A nossa história é uma das coisas mais valiosas que podemos ter ao longo desta jornada, viemos ao mundo com uma missão e um propósito bastante específico, talvez você ainda não tenha se dado conta, mas acredito que chegou o momento de se conectar a você mesmo e se comprometer com tudo aquilo que faz o seu coração acelerar e olhos brilharem. São tantas distrações ao longo do caminho que talvez você não tenha se dado conta que sua história é incrível e que pode escolher se orgulhar dela.

Sentado nesta cadeira a qual se encontra faça uma breve viagem comigo, vamos voltar alguns anos e olhar a sua história como um expectador, mas não como um expectador qualquer, mas como uma pessoa interessada em perceber as vitórias, conquistas, superações, renúncias e acima de tudo, êxito. Não importa de onde você tenha saído, qual tenha sido o seu passado, eu não tenho dúvida que existem diversos motivos para se orgulhar. Caso tenha dificuldade em perceber, se concentre um pouco mais, se esforce, seja generoso, tenha amor por você mesmo. Se ainda assim você não conseguir encontrar motivos para se orgulhar e acredita que tudo não passou de um golpe de sorte, então talvez possas rever a forma como encara a sua própria história.

Por vezes somos tão bons em elogiar os outros, enaltecer as forças, admirar as virtudes e apostar nos talentos, que talvez nem tenha sobrado créditos para se enxergar. Qual foi a última vez que você reservou um tempo de qualidade para você mesmo, deitar-se, esticar as pernas, relaxar a coluna e permitir com que sua mente esteja plenamente descansada? Eu entendo que a vida é tão corrida, que aqueles que possuem esse tempo podem ser considerados sortudos, ou talvez inteligentes. Quando paramos para pensar na nossa própria vida aprendemos a despertar, pois podemos rever as práticas que não cabem mais, as escolhas que não nos servem mais e acima de tudo, o que devemos continuar repetindo porque está dando muito certo.

Toda história precisa ser respeitada, acolhida e acima de tudo, compreendida. Só a gente sabe os sabores e dissabores os quais nos sujeitamos, só calçando os nossos sapatos para saber e compreender boa parte do que vivemos e é nesta perspectiva que você deve fazer o exercício de se acolher e se abraçar. As vezes ficamos esperando que todo mundo nos compreenda, que nos ajude e que até mesmo resolvam nossos problemas, mas qual foi a última vez que nos esforçamos por nós mesmos? Não espere que alguém te resgate, aprenda a se salvar e a entender que todos nós estamos sozinhos, as companhias ao longo da jornada servem para nos trazer algo novo e especial, quanto mais rápido entendermos isso, mais significativo serão os nossos dias.

Atualmente não há comentários.