A medida que vamos crescendo acabamos por aprender como gerenciar nossa vida e como devemos lidar com as responsabilidades que nos são impostas e outras adquiridas. Esse movimento é super importante para o nosso amadurecimento e a depender das oportunidades que temos acabamos evoluindo em várias áreas da nossa vida. O grande desafio consiste em reconhecermos o que de fato é nosso e o que é do outro, já que o movimento de culpabilizar os outros e colocar nossas responsabilidades nas mãos deles é completamente discreto e sutil. Se você acredita que está passando por isso, esse texto é para você.

Quando somos crianças os nossos pais começam a nos ensinar o que são responsabilidades e o quanto elas são importantes para nosso desenvolvimento e maturidade. Tal exercício pode ser desde os cuidados com um animalzinho de estimação, quanto com uma pequena administração financeira de algum dinheiro que ganhamos. A gente vai crescendo e quando chegamos a escola aprendemos que não podemos pegar o lápis do coleguinha e caso a professora chame a nossa atenção por algum episódio de mal comportamento não podemos dizer que foi o nosso amiguinho, caso de fato tenha sido a gente a se comportar de forma inadequada.

A gente cresce e descobre que quando as coisas ficam sérias existe a opção de mentir, enganar, ludibriar, fingir e esconder. Alternativas essas que podem chocar com valores e a ética pessoal de muitas pessoas, mas talvez se você olhar para trás poderá se lembrar de episódios parecidos os quais já vivenciou ou quem sabe praticou. Esse movimento surge quando nos sentimentos constrangidos, expostos e quem sabe descobertos, mas hoje desejo que você entenda que existem outras formas de se comportar e reagir.

As responsabilidades que nos foram concedidas, impostas ou atribuídas existem por alguma razão, seja pela nossa habilidade em resolução de problemas, pela nossa inteligência emocional mais evoluída ou quem sabe pela nossa resiliência diante de momentos adversos. Quando entendemos desta forma, temos a chance de expandirmos nossa consciência e entender que delegar para outro o que nós deveríamos fazer não é legal, justo e maduro. Todas as coisas existem por uma razão e quando entendemos isso a vida fica mais leve e conseguimos colocar os pés no chão.

Se possuímos todas as ferramentas necessárias para resolver nossas próprias questões, porque insistimos em acreditar que nosso sucesso, prosperidade, evolução e bem-estar depende de outra pessoa? Isso não faz o mínimo sentido, por isso devemos entender o quão nobre, inspirador e respeitoso é lidarmos com nossas responsabilidades e não a delegarmos a ninguém.

Essa é uma reflexão necessária a qual precisamos fazer diariamente, esteja atento aos seus próprios comportamentos, alguns ajustes pode lhe ajudar a chegar onde deseja com o mínimo de comprometimento.

Atualmente não há comentários.