Ao longo da nossa jornada vamos encontrando diversos tipos de pessoas, com estilos variados, culturas diferentes, pensamentos interessantes e crenças singulares, por traz desta diversidade muitas vezes não conseguimos conceber a beleza desta originalidade e acabamos nos incomodando com a existência do outro. Isso acontece de modo recorrente, muitas vezes de forma inconsciente e quando nos damos conta, já estamos bem distantes daquele ou daquela a qual possuímos alguma distinção.

O nosso incomodo com os outros fala mais sobre nós do que sobre o outros, os nossos comportamentos de inflexibilidade, intolerância, preconceito, impaciência, inconstância, hipersensibilidade emocional, baixa resistência a frustração e por fim alto senso de importância são algumas coisinhas que ficam bastante nítidas quando apresentamos algum desconforto com o outro. Talvez neste momento você esteja pensando, “mas Vítor, como assim? Se é o outro que me incomoda, por que essa pode ser uma dificuldade minha?”. A dificuldade se torna nossa quando perdemos a capacidade de acolher o outro do jeitinho que ele é, na eminência de querermos pares ou pessoas semelhantes, desconsideramos a singularidade do outro e é aí onde começa o incomodo.

Aceitar o que se parece conosco em valores, pensamentos, comportamento, aparência, estilo e cultura é um comportamento natural e está tudo bem, a questão está quando estamos diante do diferente. Ao nos aproximarmos de algo que é estranho, atípico ou original temos a chance de expandirmos nossa mente e visão sobre muitas questões. É válido nos permitirmos e encontrarmos pontos de convergência para que possamos continuar a evoluir, afinal de contas, não alcançaremos nossa melhor versão fazendo sempre as mesmas coisas e vivenciando circunstâncias semelhantes ao que já somos.

Portanto, quando sentir algum incomodo diante de alguém busque refletir se essa é uma dificuldade do outro ou sua, se for algo interno seu, busque perceber o que é e amadureça. Se for algo externo e em especial ao outro, busque conversar, apare as arestas e fortaleça a conexão, isso vai te ajudar a seguir em frente sem pesos desnecessários.

Atualmente não há comentários.