Quando o assunto é família só quem vive compreende os dilemas desse núcleo social. Algumas pessoas são muito privilegiadas em poder crescer em lares saudáveis, prósperos, preenchidos de amor, generosidade e humildade. Mas as vezes nem tudo sai conforme nossos anseios e nos encontramos em uma família disfuncional, confusa, desunida e empobrecida de amor. Seja qual for a sua realidade, nem tudo está perdido, afinal de contas não importa como começamos, o que vale é como escolhemos terminar.

A vida vai passando e pelo fato de não buscarmos nosso autoconhecimento não enxergamos nossos pontos de melhorias, comportamentos inadequados, escolhas sem sabedoria e decisões injustas. Quem foi que disse que precisamos resolver todos os problemas da nossa família? Porque você se colocou na posição de líder resolvedor dos problemas alheios? Entenda uma coisa: As coisas possuem a importância que nos damos, algumas pessoas se sentem bem no caos em que viver e tirá-las de lá seria uma tragédia. Precisamos compreender e respeitar a decisão das pessoas, inclusive de permanecer perdida.

Acho válido pensar em soluções para resolver problemas familiares, mas acho injusto carregar as responsabilidades sozinho, tendo em vista que as outras pessoas e responsáveis estão sentados assistindo o circo pegar fogo. Entender o seu papel nesse ciclo familiar vai trazer clarificação e acima de tudo paz para os dias difíceis. Vamos tentar devolver as responsabilidades a quem são de direito? Além de você não ficar sobrecarregado, estressado e pesado, permitiremos que o outro possa amadurecer e encontrar soluções criativas para solucionar problemas que eles mesmos criaram.

Mas você pensa, “Mas Vitor se eu não resolver, ninguém resolverá…”, essa frase eu já ouvi muito, inclusive da minha própria boca, mas posso dizer algo com propriedade, descanse, há tempo para tudo debaixo dos céus e nossa ansiedade não acelerará a resolução das questões. Entender que todos precisam cumprir seu propósito é magico, não seja aquele que impedirá as pessoas de evoluírem, além de ser uma conta cara, você não estará ajudando a quem precisa, não atrapalhe o fluxo natural da vida.

Quando o assunto é família, entenda seu papel, cumpra ele muito bem e permita com que todos ao seu redor possam cumpri-lo também. Ajudar é diferente de fazer pelo outro, não confunda.

—————

Se você deseja ficar por dentro de mais dicas como essas, me segue nas redes sociais, Facebook e Instagram, Psicólogo Vítor Luz.

Caso deseje enviar sugestões, relatos e conversar, aguardo seu contato [email protected].

Atualmente não há comentários.