O novo decreto do governador Renan Filho, sobre o isolamento social em tempos de Covid-19, deve trazer novidades, ainda que não muito radicais.

Segundo um palaciano com quem eu conversei, a expectativa interna é de uma maior flexibilização com os setores que ainda sofrem muito com a pandemia – em razão do fechamento da economia, o que paulatinamente vem sendo atenuado (estamos na fase laranja/avermelhado).

Devem ser mais beneficiados, no novo decreto, o setor de eventos – que deverá aumentar o número permitido de pessoas -, além de alguns estabelecimentos, como academias de ginástica e templos religiosos, que deverão ter autorização para ampliar o público presente.

“Tudo feito com muita cautela”, argumenta o palaciano, destacando a atuação do governo em toda a pandemia.

De fato, as pressões continuam – todas legítimas –mas as medidas adotadas em cada decreto seguem os números da pandemia e as orientações da área de saúde.

Os números estão caindo, observa, mas ainda estão muito acima do almejado.

Na briga entre Flávio Bolsonaro e Renan Calheiros, os dois saem ganhando
Arthur Lira, o homem de R$ 11 bilhões do "orçamento secreto"
  • luciano

    Eu acho que deveria ter um pouco de cautela. A pandemia não acabou ainda as vacinas aqui em alagoas estão atrasadas por falta de imunizantes. Estão esquecendo que a variante Delta pode estar disseminando no país.
    Muita calma nessa hora.

    Luciano sampaio.

  • David

    É hora de flexibilizar mais as escolas particulares estão sofrendo muito com a inadimplência, flexibilizar os comércios menores de forma em que os pais possam levar alimentos e uma melhor qualidade de vida para seus familiares, tendo todo o cuidado possível, não vamos acabar com o vírus, porem já sabemos como lidar com ele. Os maiores beneficiários do fechamento de tudo são funcionários públicos que recebem seus respectivos salários normalmente. Ajude nos Governador.

    • Martina

      Caríssimo Senhor, desde o dia 18 de março de 2020 tenho trabalhado em torno de 12 horas por dia. Inclusive, aos sábados e domingos, para que não haja descontinuidade dos serviços que temos obrigação de prestar ao público que paga nossos salários (sem levar em conta que os servidores não têm isenção de impostos, pagamos como todos os cidadãos)…. É muito triste ver que TODOS os brasileiros, de alguma forma, são usuário do serviço público e jogam qualquer servidor em uma vala rasa. Me parece que este país, e, por consequência, este estado e seus 102 municípios, poderia ter os serviços públicos implodidos e permanecerem somente os nobres trabalhadores da iniciativa privada. Seria, no mínimo, interessante assistir de camarote os exemplares colaboradores da iniciativa privada realizando o trabalho dos garis, dos limpadores das galerias imundas em que todos jogam seus lixos, de fazer 48 horas de plantão de enfermagem dentro de um hospital super lotado, dentre outros serviços que só são possíveis porque existem verdadeiros servidores. Tomara que realmente sejam abertos todos os portões, se retirem as máscaras, que tenhamos a possibilidade de realizar grandes festas e comemorações ao invés de velórios e enterros. E que Deus permita que a infecção por coronavírus não se dissemine de forma alarmante para que o senhor e outros com a mesma concepção não precisem ser tratados e curados por servidores públicos.

  • Carlos

    Eu acho que somos responsáveis e não podemos baixar a guarda! Para os números melhorar ainda mais não deixar de usar máscara e nada de aglomerações. Bom seguir o protocolo de proteção. Vacina boa é vacina no braço. A desconfiança de uma certa vacina que tem imunizante baixo em relação as demais não é justifica e devemos na nossa vez se vacinar.

  • um ALAGOANO

    O que espanta é ver pessoas que não foram ainda tomar a 2 dose, incrível a irresponsabilidade.

  • Carlos

    Exatamente Alagoano, sugiro tomar a segunda dose vacina coronavac e lá na frente se necessário os estudos apontarem confirmado se vai ter a terceira dose é um bom estar com as duas doses.