Os assessores do então vice-governador Luciano Barbosa, substituídos agora, foram demitidos no ano passado, entre agosto e setembro, na mesma leva em que foi exonerada a secretária interina de Educação, Laura Souza.

A substituição da secretária ocorreu de imediato, mas este não foi o caso dos comissionados da vice-governadoria (sem vice-governador) – como denunciado pelo deputado Davi Maia.

Estavam vagos porque deles não se precisava, por óbvio, já que não havia – nem há – vice-governador.

O MP anunciou que vai apurar.

Abrasel: "Setor de bares e restaurantes vai precisar de 5 anos para se recuperar"
CPI da Covid-19 cumpre o seu papel, mas é preciso ir mais longe
Atualmente não há comentários.