O prefeito JHC tomou a decisão hoje: ele vetou o aumento do duodécimo aprovado pela Câmara de Vereadores no orçamento de Maceió, relativo a 2021.

Valor que estava previsto: R$ 3.233. 284,00.

Outro veto importante diz respeito às 45 emendas parlamentares, totalizando mais de R$ 11 milhões.

O argumento foi o da legalidade e da constitucionalidade.

A matéria dormiu por muitos meses na Casa de Mário Guimarães, até ser aprovada pelos vereadores no final do mês de maio.

"Novo" AL Previdência deve ser aprovado terça-feira na Assembleia
Gastos com Covid-19 em Alagoas passam por pente fino da União
  • Ricardo

    Só os pequenos e empresas tem que fazer sacrifício, a classe política está fora de qualquer tipo de sacrifício. Ainda querem aumento? Com tantas regalias.

  • Carlos

    Ai, vai ter troco. O duodécimo é os ovos de ouro dos legilativos. Os salários dos parlamentares em relação o que se gasta numa eleição não cobre os gastos.

  • Carlos

    As pequenas empresas e os pequeninos servidores públicos, que tem fazer o sacrifício. Ricardo, os parlamentares e o judiciário, vivem em outras águas.