A posição do governo do Estado busca algum equilíbrio – se é que é possível – entre a situação da Saúde Pública e a crise na economia local, que é real e preocupante.

Lembrando que é o setor de serviços – que tem o maior peso na economia local – aquele mais sofre com os decretos de isolamento social.

Que ninguém se engane: há, sim, uma pressão – absolutamente justificável – dos segmentos empresariais pela flexibilização do isolamento social.

E isso, por óbvio, não é descartado nem desdenhado. Até porque pós-pandemia serão essas empresas, hoje sofrendo com as restrições de funcionamento, que deverão comandar a retomada da economia local em patamares razoáveis.

Lembrando que só há emprego se houver empresas – é assim que funciona o capitalismo.

Os decretos de agora são criticados pelos dois lados – de quem quer abrir e de quem quer fechar mais -, mas terminam sendo a média que o governo considera possível.

Tomara que não cheguemos ao colapso do sistema de Saúde – lembrando quer Alagoas, felizmente – foi dos únicos estados a não conhecer o lado mais duro dessa realidade.

Mas isso não basta: é preciso entender a responsabilidade coletiva de cada cidadão – é a isso que se dá o nome de cidadania.

Arthur Lira toca pacote de reformas do Planalto em meio à pandemia
Dinheiro descontado de aposentados do AL Previdência "vai virar precatório"
  • Há Lagoas

    As decisões de fechar comércios e definir, por meio de um “comitê de científicos”, quais são as “atividades essenciais” que podem funcionar, não tem demonstrado a eficácia que prometiam. A cidade de Araraquara é um exemplo salutar disso!
    Lendo um artigo em uma determinada revista, achei interessante o relato do jornalista que apontava a aglomeração em transporte público como uma das principais causas de disseminação do vírus. E disse mais, se todos os usuários, além de usarem as máscaras, permanecessem calados durante a viagem, isso melhoraria e muito o número de não contaminados por covid.
    Pergunta, alguém já ouviu alguma propaganda oficial assim, seja no âmbito federal, estadual ou municipal?
    Soluções simples que fazem toda a diferença! Alguém morre por ficar 40 minutos de boca fechada?!
    Mas, fiquemos apenas com aquilo que é propagado, o setor produtivo é o grande culpado pelo covid-19, ou então apontemos para o presidente Bolsonaro, quem sabe o Zé da Quitanda, talvez a Copa América?

  • Bruno Madeiros

    Muito fácil dentro de seus gabinetes ou seus apartamentos luxuosos fechar comércio e determinar que o cidadão simples e humilde não trabalhe, não tenha como conseguir seu sustento e não tenha como arcar com seus compromissos financeiros!!
    Para servidores públicos, políticos e “herdeiros endinheirados” que tem o seu garantido o grito de FECHA TUDO é simples! Para trabalhadores do comércio, turismo, ambulantes, microempresários, taxistas, motoristas de aplicativo, trabalhadores informais e tantos outros.. estipular um Pare a quase um ano em meio e abandonar a mercer da própria sorte é UM VERDADEIRO CRIME!

    O GOVERNO DE ALAGOAS e seus representantes não só enxergam os próprios bolsos!!

  • Daniel

    O governo federal na figura do presidente e seus ministros desastrosos são os responsável pelas empresas que hoje sofrem com a pandemia ao negar vacinas e não fazer um trabalho sério com propagandas educativas preferiu apostar na imunidade de rebanho e remédios que o mundo todo já descartou. Desde o início o Genocida presidente não usa mascara e promove aglomerações desnecessária causando mau exemplo para o país.

  • Carlos

    Exatamente, Daniel! Não sou partidário do Governador Renan, mas graças a ele e a outros, como o de São Paulo (de quem também não sou partidário) temos hoje vacina. Bolsonaro foi omisso e só se movimentou pela vacina depois das pressões que sofreu. Por isso, hoje o que resta aos governadores enquanto a vacinacao se arrasta, é adotar medidas restritivas para evitar mais mortes por covid! Só não vê isso quem é muito míope ou não quer!