A Secretaria de Saúde de Maceió está se deparando com um novo e surpreendente problema: a tentativa de estudantes universitários da área de Saúde – principalmente de Medicina – de serem vacinados agora, incluídos em um novo grupo de risco.

“Isso se chama fura-fila”, disse ao blog o secretário Pedro Madeiro.

Ele ontem conseguiu se reunir com dirigentes de faculdades locais – federal, estadual e particulares – para estabelecer um padrão único de declaração dos vários cursos para que um estudante possa ser vacinado:

– O Programa Nacional de Imunização é claro quanto a isso: apenas os estudantes que cumprem estágio nas unidades de Saúde serão contemplados com a vacina neste momento. Acontece que há aluno que está no primeiro ano do curso de Medicina e busca o serviço com uma declaração de que exerce atividade de risco.

Segundo Madeiro, os servidores que atuam nos postos estão sendo pressionados a vacinar estudantes, muitas vezes acompanhados dos pais, com base nessas declarações.

O documento padrão estabelece que apenas os alunos que cumprem o estágio curricular podem ser vacinados nessa etapa.

Reitor

“Essa é uma situação constrangedora para todos nós”, disse ao blog o reitor Josealdo Tonholo, da UFAL.

Ele recebeu uma ligação do secretário Pedro Madeiro, ontem, pedindo ajuda para evitar que novas declarações sejam dadas a alunos que não têm direito à vacina agora:

– É uma questão ética sobre a qual devemos nos debruçar. O Brasil tem um Programa Nacional de Imunização que é respeitado por todos. Não se pode, simplesmente, dar “carteirada” por se tratar de um aluno de Medicina ou de outro curso da área de Saúde que quer passar na frente de quem de fato é do grupo de risco.

Ele revelou que é grande a pressão sobre professores e diretores de unidades de Saúde, mas disse que concorda com a posição do secretário Pedro Madeiro.

Palanque de Bolsonaro em Maceió terá JHC, Collor, Arthur Lira e Marcelo Victor
Outro processo contra Arthur Lira na Taturana espera decisão do TJ
  • Anônimo

    Inclusive alunos dos primeiros períodos chegaram a falsificar o documento, fornecido pela faculdade, colocando coisas que só constavam em períodos do fim do curso. Ou seja, cometendo crime.

    • Adriana

      Isso é fofoca, as faculdades mandaram para os períodos iniciais mesmo dos cursos de saúde e eles aceitavam nos primeiros dias pq realmente é atividade curricular obrigatória, mas não é estágio, só a partir de segunda aceitavam obrigatoriamente se tivesse estágio e agora só mais avançados, os alunos não tem culpa se foi um direito dado a eles, faltou conversa entre a organização e as faculdades, mas elas também não tem culpa por afinal, os estudantes de saúde realmente atuam em unidades de saúde desde os primeiros períodos, mas era para ser melhor organizado de fato!

  • Danielle

    Alunos que estão atendendo em aulas práticas das faculdades em hospitais e clínicas
    deveria sim ter direito pq estão correndo risco da mesma maneira, visto que atendem acompanhado dos professores médicos já vacinados.

  • Taliane Simão Valentim

    Eu vi de perto um grupo de estudante pressionarem no sábado passado, a equipe da unidade do Papadromo/Trapiche, a vacinarem eles, com base que são estudantes de medicina. Os profissionais não cederam a pressão e explicou que eles, não estavam nessa categoria de risco, foram embora indignados. Entendi, e realmente temos que dar a prioridade de acordo com o maior risco, nada de furar fila não. Enfim, todos nós precisamos sermos vacinados, mais como não tem vacina pra todos, que sejam os prioritários primeiros.

  • ROTARY

    Agora seria a hora da juventude que se diz EMPÁTICA aos problemas dos que sofrem preconceitos, mostra a verdadeira empatia e não cometer crimes com falsificação de declaração, e se achar no direito de ser vacinado antes dos outros apenas pq no INÍCIO do curso de medicina. Mas a vida é assim, coloque o ser humano em situação de risco ou que ele detenha poder e verá quem realmente ele é, os acadêmicos perderam uma grande oportunidade de resgatar o prestígio que os médicos tiveram no passado e que devido a diversas atitudes como essas perderam o respeito da população. Existem relatos que muitos foram acompanhados dos pais o que demonstram que a falta de valores vem da herança familiar.
    Tenho 42 anos, já vacinei minha mãezinha e por mim já estou muito satisfeito, aguardo que todos que realmente precisem sejam vacinados e agradeço por mão estar no grupo das comorbidades e ter caráter para não fingir ser prioridade por critérios acadêmicos ou de emprego.

  • Maria

    A portaria do Ministério da saúde prevê que tem direito a vacina os estudantes da saúdes que estiverem em ESTÁGIO e CLÍNICA . E isso é justo. Injusto é vacinar quem não atende paciente. Quem atua em CLÍNICA ESCOLA atende paciente.

  • Carol Rocha

    Pensar em risco todo mundo está correndo, independente de ser estudante de Medicina ou não. Diante disso todos são prioratórios. Agora pq são estudantes de Medicina, iniciantes, ser conaiderados grupo de risco é uma grande falta de respeito com a sociedade. Entram na faculdade já com o espírito que é melhor do que o próximo. É triste ver isso dos “futuros médicos” , ressaltando que não são todos.
    Acredito que mais prioritário do que esses estudantes de Medicina iniciantes, são os professores que estão na ativa, independente de idade; os motoristas e cobradores do transporte público; os catadores de lixo e outras categorias. Esse pessoal sim precisa de um olhar prioritário , agora os estudantes que não estão fazendo estágio podem muito bem esperar como boa parte da população esta fazendo. Conheço vários filhos que cuidam dos pais que são idosos e com problemas de saúde e que esses filhos não foram vacinados pelo simples fato de não serem prioritários no momento. Estão esperando chegar sua vez e agradecendo pelos pais já terem sidos vacinados. A pandemia é para ser um momento de reflexão de como vive uma sociedade e o que podemos mudar. Fica claro que mais de um ano nessa situação e as mudanças de comportamento dos indivíduos não mudou muita coisa. Dá pra notar com mais clareza que Boa parte das pessoas só pensam em si mesmo, infelizmente.

  • Estudante.

    Excelente! Vá ao campo de batalha sem capacete, sem colete e sobreviva. Ao estudante de medicina cabe estudar horas a fio, ir pra linha de frente e se expor sem vacina. Enfim, é furar fila….. Enquanto os debates permanecem presos ao periscópio, quebrado, da obviedade esse tipo de posicionamento e aversão ao profissional(e futuro profissional) da saúde vai se perpetrar.

  • ZIL

    Brasil que todos falam da honestidade dos políticos é o mesmo que quer furar fila na vacina! Ainda falam que o Brasil tem jeito! Onde?

  • Vivi

    Isso é completamente absurdo, agora os estudantes que têm direito de se vacinar por estarem atuando nas CLÍNICAS-ESCOLA, não poderão. Irresponsabilidade sem tamanho das instituições que emitiram declarações para alunos dos períodos iniciais, e uma falta de respeito com àqueles que estão expostos ao risco de contágio.

  • Professor

    Prezados. Estudante tem direito sim, ninguém disse que não tem. Mas aibda faltam professores que estão em pesquisa, extensão, etc.
    Em 2020 todos estávamos atendendo nos hospitais. E continuaríamos com vacina, sem vacina, etc.
    Professores da odonto por exemplo, todo procedimento gera spray e não foram vacinados. Estão aguardando. Os mais jovens que tem risco quase nulo não respeitarem a organização e decisão do Pni, levarem documento para confundir e furar a fila é o fim da picada.
    Fraude é fraude. Reflexo de um povo desonesto que se acostumou a achar normal cometer atos ilicitos.
    Acham que os honestos são trouxas e os que querem passar os outros para trás os espertinhos.
    No fim, o que se passa a vida tomando, o é tomado. A morte faz deixar toda a safadeza para outro usuário.

  • paulo

    Resumindo: brasileiro sendo o brasileiro canalha que é, e ao invés de tentar mudar sua cultura de canalhices, prefere culpar os políticos. O brasileiro tem que ser estudado urgente, aqui o povo gosta das coisas fáceis, e de tudo fazem para pensar apenas em si e não no próximo, ai vai para rua e grita “culpa do Bolsonaro (ou de algum outro), mas não olha para própria e vida e tenta enxergar se é um ser humano bom.

  • LJB

    Minha esposa faz Medicina na UFAL, está no 5o semestre e não recebeu (nem ela nem sua turma) a vacina por não estar no período de estágio obrigatório. Desde março vimos o absurdo de alunos das faculdades particulares se vacinando mesmo sem fazer estágio, simplesmente pq a faculdade mudava no sistema e colocava que o aluno do 1o período desempenhava atividade de risco… Isso tem que ser esclarecido o quanto antes. Esses alunos precisam ser punidos e as faculdades mais ainda.