O secretário George Santoro, da Fazenda, disse ao blog que está recebendo hoje o último – e ele espera que definitivo – estudo atuarial sobre o AL Previdência, contratado junto a uma empresa especializada.

“No início da próxima semana vamos encaminhar ao governador o relatório final, com a atualização dos dados e as possibilidades de mudança. A decisão final, no entanto, será do governador”, disse Santoro.

A expectativa, no entanto, é “otimista”:

– Nós teremos novidades interessantes. Não sei afirmar ainda se será uma boa notícia ou uma ótima notícia, mas posso garantir que os servidores aposentados e pensionistas vão melhorar a sua situação e fundo previdenciário ficará bem equilibrado.

Todos querem saber, por óbvio, como ficará a cobrança do AL Previdência. Ele adiantou que “a alíquota de 14% será preservada, o que vai mudar é a linha de corte. Ou seja: a remuneração sobre a qual vai incidir a cobrança da alíquota para aposentados e pensionistas”.

Explicando melhor: hoje pagam os 14% todos os servidores ativos e os inativos que ganham acima de um salário mínimo.

Nada muda para os servidores ativos, mas com o novo estudo atuarial, a cobrança dos 14% vai incidir em outra faixa salarial, de três, ou quatro – talvez até mais, ele não pode adiantar – ampliando bastante a isenção do pagamento do AL Previdência para aposentados e pensionistas, ficando bem acima do que é hoje.

– Nós estamos ansiosos para resolver essa questão. O governador me cobra quase que diariamente. É possível na próxima semana ele decida o que será feito.

Dados da Covid esta semana apontam para redução de restrições no novo decreto
Bolsonaro chama Renan Calheiros para brigar no octógono dele
  • Carlos

    Se isenção não for igual ou menos perversidade do que a do governo federal é melhor ir se preparando governador , que o senhor não convencer . Existe uma defasagem salarial criminosa onde os servidores públicos e aposentados e pensionistas, vem sendo penalizado no atual governo. Já o Legislativo e o judiciário, vivem outras águas e sem esquecer que os militares e a polícia civil, só tiveram ganhos pela força que eles tem pelo puder das armas.

  • Há Lagoas

    Em outras palavras, diante desta mudança de postura do governador após tanto tempo e escárnio: Renan Filho para senador!
    Será que cola?!

  • Rir para não chorar

    Tomara que o estado devolva o que foi descontado, trazendo um pouco de alento para o aposentado e pensionista já tão sofrido.

    • SGT

      Aí bateria sonho d+, esses pestes nunca devolveram ND.

  • Aderval Viana

    Caro Ricardo Mota,
    Já que será mantida à alíquota de 14 % para todos, é só seguir o modelo do Governo federal que manteve o teto da Previdência Geral como limite de isenção para aposentados e pensionistas, que hoje é de R$ 6.433,57. O Bolssonaro fez e o nosso Governador Renanzinho fará?

  • fteal

    Dos xiliques que nem as portas com abafadores de ruidos filtram ao pacote de bondades… uhum… tá certo…

  • Antonio Carlos Barbosa

    Ricardo Mota, a sua voz no “Doze e Dez Noticias” e textos no Blog, ecoaram em todos, um sentimento coletivo de injustiça cometida contra os aposentados, desde a implantação da desumana cobrança, com alíquota máxima de 14% de desconto para o AL-Previdência, iniciando-se absurdamente desde o aposentado com o valor mínimo de benefício, ou seja, aqueles que estavam aposentados e recebendo o salário mínimo R$ 1.000,00, tiveram uma queda em sua rendas, com desconto de R$ 140,00, como sempre colocado por você “de uma perversidade sem tamanho”, para quem não tinha desconto algum, valor que fez muita falta, sendo como uma condenação de um pagamento de pensão alimentícia ao estado de Alagoas, que não precisa de tamanho sacrifício dos seus cidadãos mais pobres. Sempre você Mota, denunciando que faltou do governo, o olhar humano, social, de enxergar o outro no mundo, essa sempre foi sua fala e comentários Ricardo Mota, que traziam uma clareza dos fatos narrados, que causavam um desconforto e indignação com a falta de sensibilidade humana e social do governador, para todos os ouvintes do programa do rádio e leitores do Blog, acredito eu, que trouxe um incomodo ao governador. Pois bem, considero que a mudança que o governo estadual irá adotar, na alteração na cobrança dos aposentados, criando por justiça um teto para início da cobrança, somente aconteceu Ricardo Mota, pela sua fala e textos, denunciando sempre que possível, do absurdo da cobrança injusta, sendo a voz dos aposentados tungados em seus parcos proventos, e mostrando para toda a sociedade, a sua indignação com tamanho descanso do governo para com os aposentados. Dessa forma, você Jornalista Ricardo Mota, mais uma vez, foi o verdadeiro GUARDIÃO dos inúmeros aposentados do estado de Alagoas, sendo a voz dos injustiçados.
    Vida que segue.

  • Maurício Reis

    E o desconto dos inativos e pensionistas da PMAL, como fica, haja vista que é um sistema diferente??

  • Jane

    Que ele cumpra o teto para isenção do INSS que é R$$ 6.433,57 , e nos devolva o que foi tirado, é o mínimo que deve fazer!!!

  • Nivaldo

    Sr Carlos, do comentário acima, dê seus pulos para conseguir arrancar alguns mínimos porcento de aumento desse governo petista, as polícias de Alagoas têm três datas bases atrazadas e não tá nadando em águas calmas não.

  • Kledson

    Kledson
    Além do desconto ter sido inconstitucional os danos causados nestes 1 ano e 4 meses já prejudicou muitas famílias e o dinheiro descontado tem que ser devolvido com juros e correções. Porém a quem o Governador prejudicou não será esquecido. já mais será Senador do nosso querido Estado de Alagoas. Tem que devolver o que foi roubado dos servidores e a alíquota dos 14% retirada. Seguindo a norma Geral da Previdência Federal que o teto é de R$ 6.344,00 atualmente.

  • Beneval almerino

    Essa conversa, já doendo os meus ouvidos
    O correto era para os aposentados e pensionistas não contribuírem mais com o Al previdência,como já não bastasse passar mais de 30 anos contribuindo. Daqui pra frente é só desgraça. Só Deus na causa

  • Maria A Santos

    Só complementando, meu caro Aderval, diferenciar os aposentados por invalidez. Por agora, todos na mesma alíquota, sem a dedução que sempre foi legal.

  • Carlos

    Realmente Sr. Nivaldo vocês da segurança que tiveram alguns ganhos merecidamente e estão em águas turbulenta avalie os servidores públicos e aposentados e PENSIONISTAS, que nadaram por essas águas e estão morrendo na Beira da Praia.

  • Pedro

    Belela! Eleição nos currais ganha quem tem dinheiro, de preferência, público. Estão aí os exemplos. O poder passando de pai para filho, neto e bisneto. É como o rapaz falou aí. Cada um que dê seus pulos. Depois de velhos, não pula mais. E o Bolsovirus continua a matança.

  • Carlos ferro

    Não tem o que discutir,é só seguir o teto previdenciário 6.433,00.Fora disso não adianta.Os servidores do executivo estão com salários altamente defasados.Tem que ser feito planos de cargos e carreira,caso contrario a miséria continuará.

  • Dinha Rocha

    Não acho que seja a solução descontar os 14% igual ao valor do federal, só por um motivo: futuramente com um bom governador nós professores de 40 horas, poderemos chegar a esses 6…. e com certeza estaremos mais Velhos, os remédios deverão aumentar e o desconto do salário maior. Qual a solução, voltar ao que era, sem desconto e devolver nossa grana levada….

  • Joana D’arc Aragão Levino

    Nos mantenha informado desta importante decisão para nós aposentados do Estado.Vou aguardar Ricardo

  • Sampaio

    É bom tomar bastante cuidado é deixar para comemorar depois, principalmente gastar por conta. Esse ditador tá desesperado para manter-se no poder mais não vai abrir mão dos milhares de milhões que o Al previdência arrecada para essa quadrilha. Eu tô achando que ele vai jogar os servidores que ganha menos contra quem ganha um pouquinho mais. Vamos ficar de olhos bem aberto é tirar essa família Calheiros do poder esse é o foco.

  • Cláudia

    Não adianta mudar alíquota. A lei é INCONSTITUCIONAL, isso por si só já basta. O governador precisa/deve apenas soltar as amarras do judiciário, para que este cumpra o seu dever e assim a declare. Simples assim… Caso contrário ele dê adeus aos seus anseios políticos. Vai perder para qualquer um, principalmente para o Fernando Collor…

  • Alex

    Vão extinguir e devolver os 14% roubados dos aposentados e pensionistas??

  • CÍCERO FREDERICO DA SILVA

    Mim dá , mim dá o que é meu.
    Foram esses DESCONTOS que os nossos deputados comeu, tanto estadual como federal.
    Rapaz faça projeto prá melhora a vida do povo, os seus projetos são para as desgraças da nossa gente.
    Aumento da previdência e o novo desconto no crédito consignado, é prá ….
    Não , mim tire o tubo, chame o GENERAL GOLBERY.
    HÁ, ACORDA DEIXA DE PAIXÃO DE ESCOLA, COMO DISSE FERNANDO , O LÍDER FO GOVERNO

  • Rose

    Na real esse desconto é ridículo, já basta os anos trabalhados e mal remunerado.Devolva dinheiro.

  • Romildo canuto c. dosSantos

    Romild0 canuto cabraiba dos santos, tirar totalmente aliquota de aposentados por invalidez, ate o teto federal para que no fim da vida possa ajudar a comprar seu remedio

  • Else Guedes

    A Lei Complementar n° 52, enviada pelo Sr. Governador e votada na Assembléia em 30/12/2019 deixa bem claro que permanecem isentos do desconto previdenciário dos 14% os portadores das doenças elencadas na Lei.
    Gostaria de saber se o governador vai fazer cumprir a Lei, da forma que foi elaborada e votada.

  • Maria

    Se foi tirado 14% de aposentados por incalidez, o que mais se pode esperar de um governo desses?

  • María Valdirene Alves dos Santos

    Eu só 😥😥😥😥

  • Aparecida Carvalho

    Devemos lembrar também dos Senhores deputados que aprovaram por unanimidade esse desconto injusto, pois passamos 35 anos co ntribuindo para a previdência.