Não faz muito tempo, o Brasil acompanhou a queda de um bastião da moralidade política brasileira. Foi em 2012 que morreu, como homem público, o senador goiano Demóstenes Torres, que findou sua existência parlamentar – mas não como integrante do Ministério Público do seu estado – como o “amigo” do bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Como não nos cansamos de cair na conversa de falsos moralistas, o ano de 2018 nos trouxe uma penca desses personagens da “nova política”, cujo símbolo maior era o governador Wilson Witzel, do Rio de Janeiro.

Bolsonarista extremado (depois rompeu com seu guru), defendido pelos mais radicais integrantes da milícia digital que frequenta o submundo da política nacional, Witzel tem agora o seu encontro esperado com uma morte velha e previsível.

Vai-se o líder político que defendia “um tiro na cabecinha” dos bandidos pobres e pretos do Rio de Janeiro, fica a marca de um homem risonhamente perverso, mas que não haverá de ser, infelizmente, o último cálice de veneno que brasileiros e brasileiras haverão de beber, candidamente.

Assim é a humanidade, assim somos nós.

 

 

Candidatura de JHC ao governo agora é invenção de rede social
CPI da Covid-19 pode fazer o que a Assembleia Legislativa não fez
  • Sebastão Iguatemyr Cadena Cordeiro

    ” E ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE” . . . SEMPRE FIEL ÀS SUAS INSANAS VOCAÇÕES !

  • Há Lagoas

    É por isso, meu caro, que todas as vezes que vejo um político supostamente ser alçado ao título de salvador da pátria, me reservo o direito de não apenas discordar, mas de abrir os olhos daqueles que me permite argumentar contra.
    Isso serve – inclusive – para bolsonarista e lulistas!
    É triste constatar que a maioria de nós, matamos a Deus, mas o substituímos por criaturas tão falhas quanto todos nós…

  • CÍCERO FREDERICO DA SILVA

    Meu caro Ricardo, li um blog do ex- ministro Almir Pazzionoto, desde a ditadura temos governo populista e isso está trazendo prejuízo a população, e nos seus finalmente pareceu que futuramente vamos enfrentar uma autoridade, para salva a economia.
    Lamentável , esses políticos de hoje uns oportunistas e nossa população adora, foi com Lula, Dilma e com esse que está aí.

  • Carlos

    O que fazer continuar com Bolsonaro ou voltar ao atraso com Lula?… Eu mesmo torço muito por uma terceira via.

    • Pedro

      Também espero uma outra opção. Não voto em Lula, pois o dito tem culpa na eleição do Bozo. Esses políticos velhos e envelhecidos, impedem o surgimento de novos mentalidades, de novas ideias. O resultado é o que estamos vendo: a proliferação de velhacos. Para quem espera uma solução milagrosa, esqueça. Todo início de século é essa agonia. Só virá, se vier, uma moderação com a geração futura.