(As informações abaixo são da Assessoria de Comunicação do MPF.)

O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado de Alagoas (MP/AL) promoverão a audiência pública “Formação do Comitê Gestor dos Danos Extrapatrimoniais”, no dia 10 de março, quarta-feira, a partir das 14h30 (horário de Brasília/DF). O objetivo do evento é a obtenção de sugestões sobre o emprego das verbas pagas pela empresa Braskem a título de indenização por danos sociais e danos morais coletivos.

Os debates serão virtuais, por meio da plataforma Zoom e com transmissão ao vivo pelo canal do MPF no Youtube. O público em geral poderá acessar a audiência e formular perguntas por escrito através do chat, sem necessidade de inscrição.

 

Alagoas pode voltar à Fase Laranja já na próxima semana
Novo decreto do governo é um voto de confiança - em quem?
  • Testando

    É muito sofrimento e muita falta de respeito com o cidadão, saí da minha casa no pinheiro há sete meses e até agora não faço ideia de quanto a Braskem irá me pagar, e o pior, estão nivelando os imóveis por baixo, por baixo mesmo. Enfim, vamos reclamar a quem, não tem ninguém pelos moradores, estamos a mercê de quando, onde e como a Braskem quiser.

  • Anônimo

    Passei 9 meses para receber minha indenização. O valor do imóvel foi justo, porém os danos morais foram pífios 40 mil reais. Triste com a situação, tinha meu imóvel desde os anos 2000.

  • FELIPE BONAPARTE LEITE

    Estamos Perdidos. Tinha um imovel que em 2018 valia 200 mil. Com a normal valorização dele, em condições normais de vida e de mercado, se não houvesse o desastre, meu imovel se valorizaria 3 anos depois, chegando no minimo a 220 mil reais. Pois bem, a braskem está oferecendo nele 170 mil.
    E eu vou recorrer a quem? MPF, MPE? Não tem ninguem por nós. Ninguem. Muita conversinha, muita reuniãozinha, muita entrevistazinha… e nada de efetivo. Nada.
    Agora eu pergunto, se eu, uma cidadã comum cometesse um crime ambiental, onde eu estaria agora? Participando de reuinão on line? de formação de grupo gestor? Que nada! Eu estaria presa. E a multa pra mim seria de milhoes. Pois bem, minha casa merece 170 mil? São eles que fazem o estrago e eles que dizem quanto vão pagar? Imagine se eu bato num carro de luxo, não tenho seguro, viro pro proprietário e digo assim: Esse seu carro so vale 50 mil e no conserto dele so vou pagar mil. Eu posso fazer isso? Posso nada!
    Tem que ter uma avaliação independente. O morador faz sua avaliação com avaliador judicial, a Braskem faz com a empresa dela… e um terceiro arbitra. Seria menos injusto.
    Dai vc vai dizer: É só não aceitar. E é? e travar uma luta com uma multinacional na justiça sem saber quando vai receber? E seu auxilio aluguel ser encerrado 2 meses depois?
    Assim como temos um presidente insensível às mortes por covide, temos autoridades que não tem a menor noção de sofrimento e nem de urgência por nós.
    Tem juiz que tá pra decidir ha anos sobre FGHAB e sobre seguradora caixa. Tem liminar sendo descumprida… Nosso saldo devedor não ta sendo atualizado retroativo ou seja para valores de 2018.
    É demais.
    MPF, MPE… reunião não resolve mais. Todos ja sabem das nossas queixas…Tá escancarado nosso sofrimento. Tem que agir.
    Desculpem o desabafo. Perdi as esperanças hoje.

  • Ex. Morador de Bebedouro

    “Os debates serão virtuais, por meio da plataforma Zoom e com transmissão ao vivo pelo canal do MPF no Youtube. O público em geral poderá acessar a audiência e formular perguntas por escrito através do chat, sem necessidade de inscrição”.
    MPF. Isso é um tapa na cara dos atingidos, por essa maldita empresa. As pessoas indo directamente na central do morador, nada é resolvido, imagina essa audiência virtual. Parem de enganar o povo, nada disso irá resolver todo o estrago já feito por essa empresa, e aquele acordo vergonhoso que vocês fizeram, sem a presença dos atingidos. Na campanha politica o novo prefeito, disse que iria cair matando em cima da braskem. Pura enganação, até hoje não deu um “PIU”.

  • Há Lagoas

    A omissão do MPF, MPE e da prefeitura de Maceió sobre o transtorno causado ao usuário do VLT é algo desconcertante! A CBTU já perdeu mais da metade dos usuários que antes utilizavam este modal, e ninguém – aparentemente – está cobrando isso!
    Ah! Se o prefeito e os procuradores utilizassem o VLT, quem sabe não se teria alguma agilidade sobre esta questão!

  • Tony

    Os danos da Braskem não se restringem apenas as áreas afetadas pelas rachaduras, mas todas as regiões circunvizinhas que tiveram seus imóveis desvalorizados em virtude do problema causado pela exploração do sal-gema.

  • Morador de Maceió

    Bairros já mortos pela BRASKEM, vamos considerar EX. BAIRROS:
    Pinheiro
    Mutange
    Bebedouro
    Bom Parto

    Bairros que ninguém, nunca mais irá comprar imóveis:
    Farol
    Chã da Jaqueira
    Chã de Bebedouro
    Santa Amélia
    Fernão Velho
    Dique Estrada
    Vergel
    Trapiche
    Levada
    Esses bairros, infelizmente também foram condenados pela Braskem. Desvalorização total.

  • Carlos Messias

    Arapuca

    Esse tão propagandeado Programa de Compensação Financeira e apoio à Realocação é uma grande arapuca, pois ao ingressar nesse programa entregamos a posse do nosso imóvel à famigerada braskem sem nenhuma garantia( não sabemos quanto e nem quando iremos ser indenizados). E o que é pior é que caso não se aceite a proposta ficamos sem o nosso imóvel e sem o auxílio aluguel, tendo que, enquanto se recorre à justiça, morar na rua. Que beleza! Viva ao MP!

  • Floracy

    Revolta saber que órgãos públicos já receberam indenizações e nós prejudicados, despejados de nossas casas estamos a mercê do poder financeiro da BRASKEM! Por que órgãos públicos foram indenizados em detrimento de nós? Será por isto o silêncio desses Órgãos? Eu moradora de Bebedouro, despejada da minha casa há mais de 12 meses não recebi o pagamento pelo meu imóvel e vcs MPE e MPF…hein….caladinhos, com o dinheiro na mão! A BRASKEM MALDITA tem que pagar por nossos imóveis e não por dinheiro nos órgãos públicos! Isto é revoltante!

  • Suzi Lopes

    Estamos igual a Mariana…empresa da mesma raça q acabou com a Cidade! PGE, MPE, MPF, OAB, JUDICIÁRIO etc todos interessados nas benesses que poderiam “arrancar” da Braskem e conseguiram, tanto que silenciaram, estão todos em berço esplendido enquanto nós lutamos pra receber o pagamento do nosso imóvel!

  • Ricardo Oliveira de Lima

    Os MP’s não soube conduzir nem fiscalizar o cumprimento do absurdo acordo entre a BRASKEM e as instituições, o erro vem do início, agora é encher linguiça.