A ausência dos candidatos a vice-prefeito no guia eleitoral de Maceió tem sido uma marca importante dessa eleição.

Com exceção de Ronaldo Lessa, vice de JHC – no dia do servidor público -, o silêncio de Tacio Melo e de Emannuel Fortes nos programas de Alfredo Gaspar e de Davi Davino Filho tem se mantido.

E por motivos diferentes, assim me parece.

O representante de Rui Palmeira na chapa do MDB – ele é do Podemos – nunca foi exatamente uma unanimidade, além de sofrer a rejeição do grupo calheirista, dono do partido de Gaspar.

Fortes, por sua vez, é um nome de peso junto à classe médica, mas Davi Davino Filho precisa estabelecer uma identidade própria – que ainda não tem -, bem mais do que os seus adversários, dispensando a presença do importante agregado.

A estratégia de campanha é definida pelos marqueteiros, movidos pelas pesquisas internas (as que valem), seguindo uma lógica aritmética: o que der mais, mais – e vale o contrário.

Marcelo Victor terá mais dois anos como o fantasma que assombra o Palácio
Olavo Calheiros faz leitura dura e pragmática do guia eleitoral
  • Carlos

    Não só em Maceió!
    Aqui em Coruripe , o vice – do deputado Marcelo Beltrão!
    Zé Enéas é evitado citar o nome por Marcelo e dos candidatos a vereadores e da assessoria de imprensa !
    Por que ?
    Outro detalhe uma boa parcela do eleitorado de Coruripe, não ver os candidatos primos como duas candidaturas e sim uma única de Beltrão x Edinho do Hélvio !
    Por que será ?

  • Observador

    Ricardo é imparcial, mas tem meio de comunicação fazendo campanha mesmo. Aff!

  • Denise fragoso

    No meu entender somente O JHC deverá valorizar os servidores públicos e tbm toda a população que necessita dos serviços ofertados pela nossa Maceió.
    Esse Alfredo e permanecer a gestão atual e o Davi tem ao seu lado o pior secretario de saúde que maceio ja teve o senhor Nono.
    Unidades sem medicação e escolas sem merendas essa e a realidade da nossa Maceió.

  • Aldo

    E tem alguns que ainda escondem sua origem …nem seu nome as pessoas sabem pois se souberem vão lembrar de algumas coisas …

  • Sampaio

    Com raríssima excessão,os vice são verdadeiros lobos escondido na pele de cordeiro. Como nosso velho conhecido do povo alagoano (Ronaldo Lessa) , esse tá desesperado esperando uma oportunidade pra tentar colocar sua turma do mal em ação outra vez. Cuidado povo alagoano abra os olhos,os escolhidos dos Calheiros acabou com os aposentados é pensionista de Alagoas mais esse ditador Ronaldo Lessa acabou com todo funcionários público do Estado.

  • Mário

    O candidato não tem voz ativa dentro da composição partidária para indicar o vice. O negócio é se arrumar de qualquer jeito, não importando o pensamento, a ideologia, o respeito ao eleitor, etc. Com as devidas exceções.
    “Esse sistema é um vampiro
    Ah, o sistema é um vampiro
    Esse sistema é um vampiro
    Todo povo ficou aflito
    Esse sistema é um vampiro
    Ah, O sistema é um vampiro
    Vive sugando todo povo
    Vem cá, meu Deus, desça de novo
    Ouça meu grito de socorro…”
    Pequeno trecho da música: Sistema Vampiro – Cantor e compositor: Edson Gomes.

  • Pedro

    Bom dia Nobre Jornalista. O problema não são os vices, eles não precisam se esconder. Os candidatos sim, esses de fato se escondem atrás dos seus feitores. Fico imaginando se um desses aí que tem forte apadrinhamento perder, o Covid19 vai fechar tudo de novo por retaliação.

  • Santos

    Nem sempre o candidato tem a liberdade de escolher seu vice e isso ocorreu nessa eleição majoritária de Maceió, principalmente entre os três favoritos ao cargo de prefeito de Maceió. Vejamos:

    TÁCIO MELO, vice de Alfredo Gaspar de Mendonça foi uma imposição do prefeito Rui Palmeira para colocar a máquina administrativa da Prefeitura de Maceió à serviço da campanha, nunca foi o vice dos sonhos de Alfredo Gaspar de Mendonça Neto;

    RONALDO LESSA, vice de JHC, na verdade queria ser o candidato à prefeito, mas por circunstancia político-partidária e financeira, teve que aceitar ser o vice para não ser aposentado politicamente se fosse derrotado mais uma vez como candidato à prefeito;

    EMANNUEL FORTES, vice de Davi Davino Filho foi imposição dos deputados Marcelo Victor (estadual) e Arthur Lira (federal). O preferido de Davi Davino Filho seria um outro nome, que hoje é candidato à vereador.

    Quem ganhar a eleição, vai ter um vice sem muita expressão e com pouca representatividade no Governo Municipal. Será como foi Lurdinha Lyra, vice de Cícero Almeida quando foi prefeito de Maceió.

  • Traira

    O cara dizer que Ronaldo Lessa foi ruim pra servidor público,não é falta de informação só,nem só burrice, é ganhar dinheiro mesmo pra comentar………..ou acefalite!