A Petrobras quer vender este ano a sua participação na Braskem, o grande ativo da Odebrecht.

O meio mais factível para a negociação a migração da Braskem ao novo mercado da bolsa B3, convertendo todas as ações da empresa em ordinárias.

A Odebrecht apoia a iniciativa: ela tem 38,3% da Braskem, com 50,1% das ações com direito a votos. Já a estatal possui uma participação de 36,1%, com 47% das ações com direito a voto.

A lembrar: mesmo com os problemas em Alagoas, a Braskem continua sendo o ativo mais saudável da conhecida empreiteira e apresenta ainda uma lucratividade considerável: $ 3,7 bi de dividendos para os acionistas, no ano passado, dos quais deve destinar R$ 1,7 bilhão ao Programa de Compensação Financeira e Apoio à Realocação em Maceió.

Adiamento das eleições para 2022 pode fazer mal à saúde dos brasileiros
Arthur Lira defende alianças "necessárias quando feitas de boa fé"
  • Antonio Moreira

    O mundo e os investimentos:

    Só irei comer uma pizza quando o meu saldo chegar a R$ 1.000.000(Um milhão), disse um tempo desses um amigo(Português) do meu irmão.

    Esses dias, o investidor lamentou para o meu irmão que perdeu R$ 4.000.000(Quatro milhões) na bolsa de valores.

    Eu também perdi, mas foi um valor de um cafezinho em relação ao do Português.