Há iniciativas do poder público, ainda que não resolvam o problema de dimensão impressionante e inesperada, que são simbólicas e trazem um forte apelo, sensação de alguma justiça, para a população.

Volto à prefeitura do Pilar, que eu já havia destacado aqui pela distribuição de R$ 6 mil kits de limpeza para os mais carentes (agora já são 11 mil), ao custo – inicial – de R$ 32 mil.

Agora, vem outra novidade: prefeitura e Câmara de Vereadores acordaram em reduzir o duodécimo do Legislativo na mesma proporção da queda de receita do município – inevitável.

Antes, porém, o prefeito Renato Filho anunciou o corte de 50% do seu salário, do vice e dos secretários.

É uma economia simbólica, é verdade, mas que traz uma sinalização importante para quem vive as piores consequências da pandemia do coronavírus.

E deveria ser replicada pelos outros municípios, inclusive Maceió.

 

Partidos fazem corrida maluca para filiar até sábado seus candidatos
66 moradores das áreas de risco da Braskem se negam a deixar suas casas
  • Há Lagoas

    Não creio em altruísmo de político, mas o atual prefeito do Pilar demonstra em sua caminhada política que é possível atingir o que se deseja, fazendo o trabalho de um verdadeiro administrador.
    Ele acalenta o sonho de chegar a Câmara federal, e constrói um caminho a ser trilhado pelos demais gestores.
    Renan e Rui deveriam aprender com ele.