Os quatro meses que passou no Brasil marcaram definitivamente a visão de Darwin sobre os seres humanos. Ele registrou:

– Até hoje, quando ouço um grito a distância, revivo com enorme intensidade o que senti quando, ao passar perto de uma casa em Pernambuco, ouvi gemidos terríveis, certamente vindos de um escravo sendo torturado e, tal qual uma criança, não pude fazer nada.

Ainda não havia inferido, o gênio, mesmo sem indícios fósseis, sem nada saber de genética, que o Homem teve origem na África. Mas o fez. Não, ele não era adivinho, mas conseguia enxergar além dos seus olhos. Se os nossos primos mais próximos, chimpanzés, gorilas e bonobos viviam por lá, raciocinou, também por lá vivera o nosso ancestral comum (hoje, estima-se que a separação aconteceu há seis milhões de anos). O tempo só fez dar razão ao pai da Teoria da Evolução.

Ele estava e está prenhe de razão, mas tudo fizeram para desmenti-lo e desmoralizá-lo. Antes dele, ainda no século XIX – e nos tempos estranhos em que vivemos -, dominava a visão de que nascemos todos de Adão e Eva. E até estes “cientistas” brigavam entre si – afinal, eram humanos – para provar sua tese: os monogenistas diziam que somos filhos do casal primevo e que as raças “inferiores” haviam degenerado posteriormente da perfeição original.

Já os poligenistas afirmavam que Adão e Eva foram os ancestrais dos brancos, e que as outras raças haviam sido criadas posteriormente. Justifica-se, portanto, a tortura dos pretos que Darwin viu e ouviu por aqui apanhando e gritando.

Mas aí vieram os fósseis e a ciência superou a ignorância – verdade?

Mais ou menos. Na década de 1950, após estudos anatômicos contaminados pelo preconceito, a África como berço da nossa espécie foi, de novo, descartada pela turma que hoje seria planista: de lá, do continente negro, veio o corpo humano, mas a mente desenvolveu-se na Ásia (Homo erectus) e na Europa. Foi assim que Carleton Coon tornou-se um “gênio”, a ser logo renegado e esquecido, virando uma vírgula apenas numa história de milhões de anos.

É, mas a turma não desistia – e nem desiste. E como escreveu Stephen Jay Gould, um dos mais importantes biólogos do século XX, “o inimigo do conhecimento não é a religião, é a irracionalidade”. E esta nós conservamos como uma das maiores qualidades ignoradas pela nossa espécie, que se considera majoritariamente racional (!).

O DNA veio a enterrar definitivamente o conceito de raças (para quem não faz o elogio da ignorância, tão atual). O racismo , entretanto, continua vivo e barulhento na estupidez humana. Sabe-se fartamente, hoje, que há maiores variações genéticas entre os europeus do que entre europeus e africanos, aquela gente que nos deu a vida (Richard Lewontin).

Sérgio Pena, cientista brasileiro, concluiu que a cor da pele, assim como o formato da face, dos olhos, dos lábios, do nariz, a cor e a textura dos cabelos “são traços literalmente superficiais”. E arremata: “É razoável assumir que os traços morfológicos espelhem adaptações ao clima e outras variáveis ambientais de diferentes partes da Terra”.

Enquanto os descendentes daqueles escravos que provocaram a empatia de Darwin continuam sendo espancados por aqui – ante os nossos ouvidos moucos -, o mundo da ciência já chegou à conclusão de que somos todos afrodescendentes.

Se me permitem, deixo um conselho: quem for escalado para comunicar aos chimpanzés o nosso alto grau de parentesco – 98% de DNA compartilhado -, que vá com cuidado, arrodeando a conversa, usando dos ardis que os humanos conhecemos tão bem, e que vá preparado para ouvir os mais inesperados desaforos.

E levar até – quem sabe? – uma munhecada no espinhaço.

As querelas do Brasil
Deixem o Paulo Guedes em paz! Bancos e banqueiros agradecem
  • Democracia ao PONTO: garçon + 1 cana, tira gosto SARDINHA péÓóRrrrr sem ELA!

    # Somos todXs Oludum, caro Ricardo Mota … desde 1986 na BahÊa!
    > Deuses! – Divindade infinita do universo … Predominante esquema mitológico
    – A ênfase do espírito original: Shu! … Formará no Éden um ovo cósmico: a emersão!
    * EM eternos o3′ 56″ _ https://youtu.be/5cSpCMwlNhk

    > Nem Osíris sabe como aconteceu … A Ordem ou submissão do olho seu?
    – Transformou-se na verdadeira humanidade: epopéia do código de Gerbi!
    > Eu falei Nut gerou as estrelas, Osíris proclamou matrimônio com Ísis
    – E o mau Set irado o assassinou, e impera … ‘táQpariu, Brasil!

    > Hórus levand’avant’a vingança do pai: derrotand’o império do mal …
    – É o grito da vitória Q nos satisfaz, cadê? … – Tutancâmon, hei Gizé, Akhaenaton!
    > Tutancâmon, eu falei Faraó: eeeh Faraó! … -É, eu clamo Olodum Pelourinho
    – É Pirâmide a base do Egito: Q mara mara mara Maravilha ê! … – Egito, Egito ê!

    > Pelourinho, 1 pequena comunidade Q porém Olodum unira em laço de confraternidade
    – Despertai-vos para a cultura Egípcia no Brasil, em vez de cabelos trançados, turbantes
    > E nas cabeças, enchem-se de liberdade. … – O povo negro pede igualdade: Êee Faraó:
    – Deixando de lado as separações, cadê? … – Olodum rebentando na palma da mão!

    • Sertanejo ENLUTADO esperando Justiça e PAZ com FÉ

      Êita EGITO sem democracia há séculos, confere Ricardo?
      … Garçon + 1, rapaz: é CARNAVAL!
      https://pt.wikipedia.org/wiki/Marchinha_de_Carnaval
      > Aí c’a$ 2 (ambas) Doidícias, tOnto a 1914-1918
      … das Dores de COTOVELO austro-agrestinas, m’embriago [email protected]!
      > Cuma a 1939-1945 do BIGODIM fanfarrão
      … e suas milícias homoÇexuÁvei$, eu hj quebro essa MESA torta
      Aliás, nos 1940’s nossos incansáveis + VELHOS já cantavam em tempos [fod-]IDOS!
      > Allah-lá-ô, ô ô ô ô ô ô … Mas que calor ô ô ô ô ô ô
      – Atravessamos o deserto do Saara … O sol estava quente, queimou a nossa cara
      > Viemos do Egito e muitas vezes nós tivemos que rezar … Allah! Allah! Allah, meu bom Allah!
      – Mande água pra Yoiô, ENERGIA pra Yaiá … chega de pabuLLagem, Dona ECUATORIAL!
      Em o3′ 18″ como se fosse ONTEM _ https://youtu.be/VtVqQLaukO0

  • Idosamente MONGE no Sertão: busca SUS sem úi nem Ái!

    Um bom domingo, Ricardo Mota … com alguma imaginação CRISTÃ.
    # Sou capaz de imaginar o dia da criação de Alagoas … – Tão parda e NEGRA!
    > Ô São Pedro […] de azul + puro […] das manhãs encarnadas de SOL;
    – do MAR […] jangadas brancas; […] cheiro sensual de melaço […] Ora, as praias
    > […] piscinas naturais […] q’a terra seja fértil […] nosso maná.
    – […] ciganice e beleza […] Maceió […] NSra dos Prazeres!
    [Noaldo Dantas, POR Chico de Assis em o2′ 16″]
    https://youtu.be/dTjdoBBdY-4

  • Antonio Moreira

    Afrodescendente é aquele que descende de africano. E a origem de Adão e Eva?
    Ah se a regra para o humano fosse assim, antes de nascer – Escolha o sexo e a cor da pele.
    Será que havia gente insatisfeito com o seu sexo e a cor da pele? Trocar de nome, isso não é novidade!
    Stephen Jay Gould – “o inimigo do conhecimento não é a religião, é a irracionalidade”.
    Desculpe-me, mas ainda acho que esse papo de salvação/vida eterna/céu foi o maior golpe que deram na humanidade.

  • JEu

    Bom dia, Ricardo. Mais uma vez vc vem, em dia de domingo, trazer à lume, para nossa meditação, uma mensagem, um raciocínio, um motivo para repensar a forma como, muitas vezes, encaramos a questão das diferenças raciais… se o pensamento é pequeno então a forma de agir também é pequena, em termos humanitários, creio… e o problema das raças é algo com que a humanidade ainda luta para estabelecer a origem… para mim a estória de Adão e Eva não passa disso: uma estória para tentar explicar para crianças o surgimento do ser humano neste planeta… e, creio que, como dito no texto, a humanidade teve um tronco comum biológico para seu surgimento… portanto, não é por acaso que o DNA comprova sua origem comum… e mais ainda, nos aproxima demais aos nossos “irmãos” menores, pois o elemento biológico tem origens comuns, conforme comprova a teoria da evolução biológica de Darwin… e eis aí o maior mérito desse gênio das ciências biológicas… no entanto, deve-se considerar as grandes diferenças raciais, seja na cor da pela (principalmente), seja no formato dos olhos, seja nos cabelos e outros fatores, inclusive no desenvolvimento de determinadas capacidades tecnológicas… e sem o fator “Espírito” nesse meio, jamais encontraremos uma solução definitiva… quanto mais avançado é o ser espiritual (intelectual e moralmente falando), mais ele transmite para o corpo suas próprias características… eis o busílis de tudo… e isso não quer dizer que não sejamos todos iguais em direitos e deveres… pois temos todos os mesmos direitos inalienáveis de “respeito à dignidade inerente a todo ser humano”, como muito bem explicitado na coletânea universal dos direitos humanos… portanto, retomando, sem o fator Espírito, o qual, como afirmado por Jesus: “sabeis a origem do corpo”, “mas não sabeis a origem do Espírito”, e, para deixar bem claro, disse: “o corpo procedo do corpo, mas o Espírito não”… isso ele afirmou para Nicodemos, um dos grandes do conselho de sacerdotes do Templo de Jerusalém… por isso que, em uma resposta à uma questão, mencionado em “O Livro dos Espíritos”, sobre todas essas diferenças, inclusive as sociais, a resposta dada diz, em resumo: “todos os Espíritos são criados iguais, todos simples e ignorantes, no início, porém com as mesmas potencialidades e capacidades para aprender e evoluir na senda do progresso”, infinito, no caso… lógico que a questão da raça em que venha a encarnar ou reencarnar não é o fator principal, muito embora esteja, normalmente, de acordo com suas “afinidades” e necessidade momentânea… e mais ainda, afirmou, em outra questão sobre a desigualdade de direitos e tratamento entre homens e mulheres, à época, que: “para a encarnação, o Espírito leva em maior consideração as experiências e aprendizado que vai encarar na face da Terra do que encarnar em um corpo masculino ou feminino, pois pode ocupar tanto um, quanto outro corpo”… e prossegue: “o que mais importa é o resultado para seu aperfeiçoamento futuro”… e como precisamos aprender todas as coisas boas e importantes para nosso aperfeiçoamento intelectual e moral, então lógico que passaremos (e já passamos por incontáveis) por fatores diversos como: raça, sexo, posições sociais e experiências para além do conhecimento puramente da matéria mais densa do globo terrestre e do universo físico, que desenvolvem o conhecimento ético-moral… torna-se, portanto, nesse momento, que aproveitemos essa oportunidade para entendermos que somos todos filhos do mesmo Pai, com a mesma origem, as mesmas capacidades e os mesmos direitos à dignidade inerente a todo ser humano e, portanto, merecedores de todo o respeito possível… mesmo que estejamos “estagiando” em diversos níveis de evolução intelecto-moral… Bom domingo.

    • BETE irmã de NESTOR tios, ela mãe d’Diogo: ZAP finado em 6 msgs

      Pois É, JEu … como alhures Ñ ditos, bugalhos interditos!

      #1. É-me mais fácil ENSINAR a vinte pessoas como devem comportar-se
      – do que SER uma das vítimas a seguir minha própria DOUTRINA. [W Shakespeare]
      [Ato I cena II de O Mercador de Veneza, peça escrita entre 1596 e 1597]

      #2. Basta você ler com alguma atenção pra verificar que SÓCRATES era aristotélico,
      – ARISTÓTELES foi profundamente platônico, e PLATÃO, socrático. CRISTO nunca foi cristão,
      – estava mais para apostelismo,e MARX jamais foi marxista, pois isso nele seria de uma VAIDADE ridícula.
      * Marxista foi ENGELS. Engelista, o que nunca ninguém foi porque o NOME num ajuda. [MILLÔR]
      [BÍBLIA do Caos, L&PM Pocket vol 262 abril de 2013]

  • Fernando Tenório Gameleira

    Diante, ou melhor, contra a ciência, estão as nossas universidades que criaram comissões para avaliar os direitos das pessoas autodeclaradas negras. Essas pessoas entraram na universidade pelo mérito fenotípico. Os professores da comissão genética analisam a cor da pele, o formato do nariz e a textura dos cabelos, para saber se o candidato tem primazia para entrar na Universidade. E ainda xingam de “terraplanistas” ou “criacionistas” quem ousa se rebelar contra essa estupidez, que só encontra paralelo no nazismo.

    • Do BARRO Duro à PESCARIA flácida: SãJorJAndo o pé na JACA(ré)CÍNICA!

      Há CONTROVÉRSIAS acerca de Mitos Fundadores … rsRs
      > Assim insistiu em vida o intrépido PARAÍBA jornalistado-se, vejamos a sós:
      – nas fileiras ALAGOANA, tentando emancipar a Comarca SERVIL desde 1817 … Kkkkk

      Alguns MITOS FUNDADORES
      #1. Reclama-se do COLO da mãe ao nascer no purgatório depois do conforto do ÚTERO, um céu.
      – No BERÇO trazido pelo PAI, a criança CHORA, faz um inferno conquistando em 6 meses de vida
      – sua identidade na TERRA, nave espacial PLANETA solar estrela mediana como tantas outras.

      #2. E nos apercebemos da FAMÍLIA, do lar na CASA com quintal ou apartamento apertado
      – com playground faz de conta na CAPITAL, espaço a explorar e dominar na ALTURA das brincadeiras
      – aos 5 ou 6 mui ANTES dos tapas e beijos que nos levam e trazem às RUAS aos 10 ou 12 de idade.

      #3. Aí a SAÚDE traz hormônios despertando para a CIDADE ao redor na adolescência.
      – E aos 15 ou 16 oferecem-se CAMAS e ganhamos MUNDOS aos 18 no máximo 20.

      > ATÉ o dia em que preferimos viajar cada vez menos aos 60, PREGUIÇA anunciada desde os 40 na cidade.

      #4. Assim na cidade ESCOLHIDA aos 70 e 80 nos limitamos à rua com idas periódicas
      – a consultórios e laboratórios, às clínicas.

      #5. Na Rainha da BORBOREMA de Noaldo Dantas é comum aos 80 e 90 sair menos à rua PREFERIDA,
      – a IDADE da aposentadoria permite ficar mais em casa, mais tempo na cama até o COMA, era a VIDA.

      #6. Filhos e também pais idosos nos fazem interpretar esse ROTEIRO desdobrado em filmes únicos
      – em cada família com pessoas ímpares ás vezes díspares gostando mais disso e outros nem tanto daquilo.
      * É da VIDA cinco estrelas ( * * * * * ) sem medo de ser FELIZ enxotando ressentimentos e frustrações. [07out13]
      http://www.ufcg.edu.br/prt_ufcg/assessoria_imprensa/mostra_noticia.php?codigo=15493

    • Varys

      Pense no acesso à universidade como o andar mais alto de um prédio. O jovem da periferia e aluno da escola pública, que, muitas vezes, é negro e pardo, vai subir de escada, enquanto o jovem branco da escola particular e membro da elite vai no elevador mais rápido. As cotas não são nada mais do que uma forma de ajudar aqueles que estão na escada, já sem fôlego e com as pernas doloridas, a subir um pouco mais rápido.
      Ao contrário do filho da elite, que vive apenas para estudar e pode fortalecer seu conhecimento com cursos particulares de Inglês e cursos de isoladas do Enem, o jovem pobre precisa trabalhar, cuidar do irmãozinho mais novo ou da avó acamada, alimenta-se mal. Tudo isso afeta sim o aprendizado e o estímulo desse jovem pelos estudos Então, por que não oferecer uma forma de compensação para eles?

      • Nonato

        Tanto um quanto outro tem que ter uma coisinha básica, “Persistência “.Quantos jovens criados em ambientes privilegiado não tem vontade, apenas participa de aulas, mas não estudam com afinco, ficam pelo caminho e quantos os que são criados sem privilégios e com esforço e persistência, tornam-se celebridades.Ex:Bolsonaro, Eu também vivia de uma família que tomava conta de uma Chácara, vivíamos 6 pessoas em 1 comodo e cozinha, no entanto, atualmente,todos estão na classe média, vivendo dignamente, isso através de muito trabalho, família estruturada, muita persistência, muita economia e muita fé. Tai a receita.”Deus ajuda, quem cedo madruga”.

  • Nonato

    Tem um elo em aberto que Darwin não conseguiu concluir, explicar, em sua teoria, o mesmo tem acontecido com o Aquecimento Global em que seus defensores não conseguem explicar aos Climatologistas que os contestam. Como dizia o humorista da Escolinha do Professor Raimundo, “Há Controvérsias “.