A Finlândia é um país interessante, que dá lições ao mundo pelos resultados em uma área essencial para o avanço da civilização: a Educação.

A novidade por lá é que as fake news, que matam em vida mais do que qualquer novo vírus, viraram objeto de estudo no ensino fundamental. Desde criança, cada cidadão e cidadã do pequeno país de pouco mais de cinco milhões de habitantes tem a chance de aprender a pensar sobre o que ouve e/ou o que lê.

Isso não é fantástico?

Não por acaso, a Finlândia, que lutou duas guerras contra a União Soviética – durante a 2ª Guerra Mundial, em 1939 e 1941 –, é um dos países com melhor padrão educacional (e de vida) do planeta. Os primeiros lugares nas avaliações feitas pelos organismos internacionais são explicados, entre outras coisas, pela atenção dada ao tema por todos os governantes finlandeses do pós-guerra.

Os professores de ensino fundamental ou médio na Finlândia são selecionados entre os melhores estudantes de nível superior e gozam de grande prestígio social – mais até do que os docentes universitários. O processo de escolha dos futuros mestres da garotada, na verdade, poderia ser chamado de sedução, a que ninguém resiste.

Um resultado prático e emblemático desse investimento estratégico: em um ano (2017), todos os policiais finlandeses em serviço atiraram apenas seis vezes, e cinco delas foram tiros de advertência.

Eis o caminho, assim me parece, para atacar um mal que não tem vacina, mas tem remédio: as fake news viraram uma epidemia universal, que se espalhou em razão, principalmente, da nossa indisposição para pensar, questionar, duvidar. “Dá trabalho? Tô fora”.

Seguir este exemplo, o da Finlândia, pode sim, imagino, resultar em uma humanidade um tanto melhor, um pouco mais tolerante do que vivenciamos agora (deixemos o amor fora dessa). Se Freud está certo, e ele acertou muito, “a criança é o pai do homem”, verso do poeta inglês William Wordsworth – true news – replicado por ele. Por que então não darmos a ela a chance de ser melhor do que somos?

Em um ótimo ensaio sobre a intolerância – Cinco Escritos Morais -, Umberto Eco dá uma pancada potente nos tolos infantilizados de agora, que se entregam ao sentimento mais primitivo pela preguiça: é mais fácil odiar, até coletivamente, do que respeitar – triste constatação!

Cadê o Eco?

“Educar para a tolerância adultos que atiram uns nos outros por motivos étnicos e religiosos (incluo políticos, também) é tempo perdido. Tarde demais. A intolerância selvagem deve ser combatida em suas raízes, através de uma educação constante, que tenha início na mais tenra infância. Antes que se torne uma casca comportamental espessa e dura”.

O leitor domingueiro deste espaço há de entender bem o que nos disse o pensador italiano. Se os finlandeses o leram com a devida atenção, eu não sei. Entretanto, isso não importa: o vanguardismo daquela nação, que vive o frio e o inverno inclemente, há de ser replicado.

Mas repetir as mentiras, as tais fake news, torná-las virais, é uma prova do desapreço que temos pelo próximo, pelo distante, pela nossa espécie – onde ela estiver. E, é claro, o problema não está na tecnologia. Cá pra nós: se nos encantamos tanto com “inteligência artificial”, uma fraude mercadológica, isso se explica pelo fato de que abrimos mão do que nos diferenciou das outras espécies, trazendo-nos até aqui, para depois retroceder. Viramos animais digitais.

Talvez seja melhor lembrar, por esses dias que antecedem o reinado de Momo, um grande compositor de marchinhas carnavalescas (Pierrô apaixonado, As pastorinhas), que já nos alertava sobre os tempos de agora – Noel Rosa é o nome dele:

“A verdade, meu amor, mora num poço”.

Cavar dá trabalho, mas podemos até encontrar ouro e pedras preciosas.

Indecisão de Rui sobre saída do PSDB lembra desastre de 2018
Jetom pago a nove assessores de Paulo Guedes equivale ao salário/mês de mil domésticas
  • Alagoano

    Perfeito!
    Por que os governantes não investem pesado na educação?
    Porque os resultados não serão vistos ainda no curso dos mandatos deles?
    É muita mesquinhez, viu!

  • Antonio Moreira

    Sexta-feira, 14/2/2020, perto do fim do meu expediente, chegou uma senhora pobre, humilde e me mostrou um papel suado, amassado que eu havia escrito e lhe dado na semana anterior.
    Ela – Mandaram novamente eu vir aqui para o senhor liberar o meu filho do sistema para ele puder estudar lá na outra escola. O sistema escolar da rede Estadual-AL é exatamente igual a de todas escolas(da rede). Fiquei indignado quando ela me procurou pela primeira vez e a segunda vez perdi a paciência e disse, vamos lá na tal escola( fica um tanto longe da minha que eu trabalho e ela foi dizendo o caminho para chegar lá). No papel, expliquei, desenhei como identificar onde o aluno foi alocado para fazer matrícula, mas nem leram… Fomos em meu carro e aquela coitada arrastou a pé toda aquela distância… Em resumo, botaram a senhora para andar indevidamente e sequer leram o papel escrito, desenhado e carimbado por mim. Até o filho dela foi injusto com ela, disse que era uma mãe burra que não sabia resolver nada.
    Coitada! Ela foi muito paciente, é uma verdadeira Santa neste mundo injusto.
    Lá, prometeram a vaga para o menino.

  • JEu

    Bom dia, Ricardo. Muito bom texto, esse de hoje, e de fundamental importância para a humanidade inteira (incluindo a brasileira…), ou seja, o valor da Educação… e, sem qualquer sombra de dúvidas, todos os países que alcançaram os mais altos níveis civilizatórios deste planeta o fizeram através da Educação de seu povo… entretanto, vale a pena ressaltar as condições em que estes povos elevaram seu patamar de civilização… é só observar para entender que eles praticamente extinguiram duas coisas: a pobreza e a corrupção… sem isso, o trabalho civilizatório da Educação será muito mais difícil de alcançar seus objetivos… e, se é bem verdade que os policiais finlandeses, em 2017 só dispararam suas armas em seis oportunidades, sendo cinco delas para cima como advertência, com certeza eles não enfrentam a dura realidade dos policiais brasileiros, que enfrentam criminosos nas ruas dispostos a assassiná-los impiedosamente… são duas realidades distantes anos-luz uma da outra, convenhamos… e se pesquisarmos o sistema penitenciário da Finlândia, com certeza vamos encontrar alguns poucos presídios, destinados mais a crimes passionais ou de pequeno potencial ofensivo, com poucos presidiários, sem superpopulação e sem violências internas, como as rebeliões que vemos por aqui… então, é justo que observemos o exemplo desses povos que já alcançaram seus altos níveis civilizatórios, tais como: Dinamarca, Suécia, Noruega, Suíça, etc, para compreender que tudo passa, principalmente, pelo aprendizado do respeito à outra pessoa, aos bens públicos e, principalmente, pela imensa predominância do comportamento ético em todos os momentos da vida pública e privada… sem isso, ficamos no trabalho de “enxugar gelo”… lá por aqueles países, não existem gastos sem objetivos maiores: educação, saúde, cultura, geração de emprego e renda e infra-estrutura são, com certeza, os objetivos primordiais dos governos, não importando se é de direita ou de esquerda (creio que até não isso não faz diferença alguma)… o importante é o bem do país, de todos e de cada um… eis, aí, a Grande Lição que precisamos aprender, pois, creio, mais vale ter um pouco menos com muita paz, do que ter muito com tanta insegurança, violência e criminalidade… Bom domingo.

  • Sertanejo ENLUTADO esperando Justiça e PAZ com FÉ

    Em CONTO isso, caro Ricardo … reza a LENDA em nota oficial do Brasil ao largo da ÉTICA, pútrida!
    vemos ANTA em ministério destruindo a Educação NACIONAL brasileira, c’outra suBÓxtamente presidindo:
    # O então tenente Adriano (1977-2020) foi condecorado em 2005. … pela família BOZAL.
    * Até 09fev2020, nenhuma sentença condenatória transitou em julgado em desfavor do mesmo.
    https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2020/02/15/nota-jair-bolsonaro-rui-costa.htm
    DECERTO perdemos a noção de SENSO e decoro sapateando apertado com pedra à MEIA luz, ‘táQpariu!
    # O governo atual vai passar. \ – Vai passar como uma pedra nos rins\ – Mas vai passar. [28set19]
    https://twitter.com/paulocoelho/status/1177929200961015808
    Sabemos Q … Para a SOCIEDADE funcionar bem, precisamos, muitas vezes,
    – nos fiar em juízos morais SUMÁRIOS. … [Afastai tais tentações, SENHOR]
    Embora … O RISCO de que cometamos injustiças é real, [Somos HUMANOS}
    – mas PIOR, me parece, é colocar em cargos-chave da República [DESUMANO]
    # pessoas que NÃO TEM qualificação ética para ocupá-los. [É triste, dói 10fev20]
    https://www1.folha.uol.com.br/colunas/helioschwartsman/2020/02/queima-de-arquivo.shtml

  • Há Lagoas

    Para atingirmos este grau civilizatório – como o da Finlândia – é necessário um esforço hercúleo do Estado brasileiro. Primeiro priorizando a educação como um todo, e segundo, punindo exemplarmente aqueles que se dizem mestre e não o são.
    É possível atingirmos o sucesso nesta cruzada, mas para isso, não basta apenas mudar nossos políticos, é necessário enxergar a inoperância do próprio ensino público – tirando algumas raras exceções – está povoado de professores descompromissados com tal desafio.
    Em uma década, voltemos ao estado do Maranhão, e saberemos o que foi feito com o reconhecimento salarial dos professores maranhense.