A Braskem anunciou hoje na Defensoria Pública que vai dar início na próxima semana às conversas e negociações com os moradores do Mutange, que deverão ser transferidos.

Antes, porém, vai alugar um imóvel na parte alta da cidade para só então convocar as pessoas para conversar – o que deve demorar algo em torno de dez.

A preocupação – como avaliaram na reunião de hoje – é com a diversidade: cada um tem suas exigências e necessidades.

Uma empresa especializada em negociações foi contratada pela Braskem e vai se instalara aqui em Maceió, para dar celeridade aos trabalhos.

Mas que fique claro: por enquanto, é o Mutange.

Morte do vereador Luiz Ferreira: segunda-feira tem novo júri
Cristiano Matheus só não será candidato em Marechal se não quiser
  • JEu

    Espero que essas “negociações” incluam não só a retirada dos moradores, mas, também, as indenizações pelos imóveis perdidos… e se for isso, já será um grande avanço, mesmo que, no momento, seja somente para os moradores do Mutange… e que o MP/AL e a Defensoria Pública possam acompanhar todo o processo das negociações individualizadas…

  • Adriano

    Se essa negociação incluir indenização do imóvel já é um bom começo.

  • Rogério Rodrigues da Silva silva

    A situação é a seguinte, estão calando a boca de alguns por conta do próprio laudo feita pela Braskem, e o restante das famílias que está em desespero sem nenhuma perspectiva de resolução, é triste ver que nesse país não há moral, ética e vergonha na cara, a que ponto chegou a vida de um ser humano neste país, é para chorar lágrimas de sangue!!!!

  • Geraldo SOS

    Antes de tudo precisamos conhecer a íntegra do Relatório do Instituto de Geomecânica de Leipzig (Alemanha), o conteúdo desse estudo pode nos revelar surpresas, e as demais áreas afetadas estarem excluídas, não havendo semelhança científica posta nos termos da CPRM, o nosso Serviço Geológico do Brasil. Não esqueçamos que o DNA da Braskem é predominantemente Odebrecht, não por acaso um dos seus ex-presidentes acabou de ser presenteado com belíssimas pulseiras nos Estados Unidos (algemas para os leigos). Lembrando ainda que as avaliações imobiliárias dos imóveis do Mutange já foram concluídas por perito avaliador definido pelo Tribunal de Justiça de Alagoas. A opção pela modalidade de negociação individual, caso a caso, revela de imediato buscar vantagens no contexto do desequilíbrio de forças, especialmente em um contexto de fragilização dos moradores, diga-se, será estilo “Pegar ou largar”. Mais que ontem, o MP/MPF e a DPE/ DPU devem acompanhar sim, caso a caso, para o lobo mal não comer novamente a vovozinha, além da comilança nos 44 anos da exploração.

  • Teo Silva

    Sr. GERALDO, DIGA-SE; SOSPINHEIRO; falou tudo . Realmente temos que estar super atentos às negociações. Ja que estamos apreensivos e nervosos com a situação, devemos argumentar na hora , para não se arrepender depois.

  • Eu

    Bom que se resolva tudo para que as famílias não fiquei no prejuízo em todos os sentidos. Agora que muitos está fazendo esse caso de palanque político, estão.

  • Morador sofredor

    Qual o mistério existe por trás do laudo alemã? Já sabemos que das 14 minas que estão destabilzadas 4 a proabalidade de abrir a catrera chega a 80%, entao por que não disponibilizam na íntegra os estudos e a delimitação da área de resguardos. Braskem o diálogo é com a sociedade afetada, junto ao acompanhamento dos órgãos jurídicos. Busquem os reais afetados não busquem quem não é o réu desse processo.

  • Atenção

    Mas que fique claro: por enquanto, é uma pequena parte (20%) do Mutange.