As relações entre o deputado Davi Maia, presidente do diretório do DEM em Maceió, e o secretário José Thomaz Nonô, comandante do partido no estado, estão pra lá de estremecidas.

Maia já não esconde a sua insatisfação com os rumos do partido na capital: ele estava montando uma chapa, que considerada forte, para vereador, mas disse que “jogou a toalha”.

Sua queixa: Nonô está filiando potenciais candidatos – como a irmã do deputado tucano Dudu Ronalsa – para disputar as eleições de 2020 em Maceió contrariando as diretrizes que ele seguindo. E mais: sem ser ouvido pelo ex-deputado federal.

É de se ressaltar: Davi Maia sempre foi de uma lealdade irretocável com Nonô, mas diz que não há, hoje, reciprocidade.

Reforma da Previdência de AL terá alíquota de 14% e mudança para os militares
AI-5: o Paulo Guedes de hoje é o Delfim Netto de ontem