Hoje, às 18 horas, o presidente do STJ, ministro João Otávio Noronha, vai receber em audiência representantes da Defensoria e do Ministério Público Estadual.

As duas instituições alagoanas vão tentar convencer o magistrado a rever a sua decisão, de agosto último, de liberar R$ 3,7 bilhões da Braskem, que haviam sido bloqueados pelo Tribunal de Justiça de Alagoas.

Para o defensor-geral Ricardo Melro, os novos acontecimentos – reconhecimento da Braskem de que a exploração do sal-gema provoca o afundamento do solo no Mutange – reforçam a necessidade de garantir recursos para a futura indenização das famílias que perderam ou perderão suas casas.

Por óbvio, Defensoria e MPE miram também os moradores do Pinheiro, que ainda esperam uma solução definitiva para as sua situação.

Corrigindo

A audiência acontece em Brasília, no gabinete do ministro e presidente do STJ..

Gratidão a Rui pode afastar Rodrigo Cunha de JHC em 2020
O show da ministra Damares Alves deixa a plateia muda
  • JEu

    Finalmente duas notícias que trazem alguma esperança para o povo… a primeira é que, apesar do Toffolli, o tal do encontro nacional da justiça (tudo com letras minúsculas) já teve um bom resultado: o de permitir a reunião do MP/AL e Defensoria Pública/AL com o presidente do STJ… e segundo, a renovação da esperança dos cidadãos dos bairros atingidos pela tragédia da Braskem, sobre uma reavaliação sobre o bloqueio da verba para o pagamento das indenizações… é esperar para ver… como dito: a esperança é a última que se acaba…

  • Livia

    Era bom que Tentassem levar ele lá no bairro! Pra ele ver a REALIDADE! E depois desse bloqueio dessa principal, tá parecendo área de pacificação com aqueles tubos de cimento no meio da rua! Desesperador!!!!!!!!

  • Morador de Bebedouro

    A Braskem não vai querer indenizar ninguém. Vai enrolar até o limite. Tremendo absurdo, como pode você ter que sair de sua casa e a mesma não será mais habitada, ou seja sem retorno. E a Braskem vim com essa conversa de ALUGUEL SOCIAL. Tá na cara que quer mesmo enrolar. Podendo já indenizar as pessoas. Até porque todos os imoveis passará a ser dela. SE A JUSTIÇA NÃO AGIR RÁPIDO E IMEDIATO. 1.500 pessoas vão virá sem teto. PORQUE CORREM O RISCO DE PERDEREM SUAS CASAS PARA A BRASKEM.

  • Rotary

    Acredito no JUDICIÁRIO como acredito em PAPAI NOEL.