O pesquisador da UFAL, Humberto Barbosa deverá apresentar ainda esta semana os surpreendentes dos seus estudos (ver matéria completa aqui no TNH1), na Assembleia Legislativa.

A informação é do deputado Davi Maia, presidente da Comissão de Meio Ambiente da Casa de Tavares Bastos: “Quero formalizar o convite hoje mesmo”.

Segundo a ótima matéria publica aqui neste portal, o professor Humberto Barbosa afirma que, “pela localização do óleo, é algo muito maior do que um mero derramamento acidental ou proposital de óleo, a partir de um navio, é um vazamento que está abaixo da superfície do mar, consequência de perfuração”.

Em resumo: ele afasta a suspeita de derramamento de óleo a partir de um navio que transitou no litoral nordestino.

E mais: segundo ele, foi identificado “um padrão bastante robusto levando à hipótese de que a origem do problema não é um derramamento de óleo a partir de um navio que transporta esse tipo de material, mas pode ser um vazamento de algum poço de exploração de petróleo”.

A conclusão é inteiramente diversa de tudo o que foi levantado e especulado até agora.

Vislumbra-se um bom debate científico pela frente.

Na UTI do Sírio de Libanês, Tereza Nelma espera decisão sobre nova cirurgia
Humor de Renan Filho afasta até os aliados mais próximos
  • Idosamente MONGE no Sertão: busca SUS sem úi nem Ái!

    ôI, Ricardo … + Q çá biXão! – A conferir … rsRs
    Estes resuRtados SÓ num bate com o padrão das CORRENTES marinhas … Kkkkk
    Ao que parece o cabra RUIM de conta, 9’s fora HEXA do binário digitalizado! ! [30out19]
    https://ufal.br/ufal/noticias/2019/10/laboratorio-da-ufal-detecta-imagem-que-pode-explicar-origem-do-oleo-no-nordeste
    Além disso, lembra a MARINHA do Brasil … as manchas tem diminuído, sugerindo VAZAMENTO de navio pirata. [27out19]
    Ainda o Brasil sem GRANA nem atitude pra prevenir desastres, NEM convenção internacional – seguro CONTRA vazamentos.
    https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2019/10/brasil-nao-destina-royalties-do-petroleo-para-prevenir-desastres-como-o-atual.shtml

  • JEu

    Vamos esperar para ver qual é o verdadeiro “padrão”…!!! afinal, pelo que se sabe a exploração do petróleo em águas costeiras brasileiras se encontra quase que restrito aos campos entre o Espírito Santo e São Paulo… se há perfurações por essas bandas do nordeste, então, onde estão as plataformas?!!! que o bom professor indique o local exato da tal perfuração, ou então, todo o “estudo científico” vai se tornar mera “especulação”… e mais ainda, que prove que há similitude com o petróleo produzido na Venezuela…

  • Jose Carlos Silva

    Desculpe-me, mas isso é pra rir ou pra chorar??

    Várias investigações foram feitas, inclusive utilizando satélites internacionais e o acessado pela UFAL é o único que detecta a mancha e a conclusão é mais assombrosa ainda …

    Vou aguardar pra ver

  • Maria

    É sempre bom buscar respostas para evitar danos maiores,pois os impactos já são incalculáveis. Espero que não haja nenhum tipo de omissão a partir dessa ou de outras descobertas caso sejam confirmadas a veracidade desses estudos.

  • roberto gusmão

    Se o óleo foi identificado como de origem venezuelana,esta perspectiva de vazamento de perfuração,fica dificil aceitar,existem varias plataformas no mar em Sergipe,sendo desativadas e as que ainda produzem deverão ser vendidas,ha mais de três mêses uma plataforma flutuante na bacia de CAMPOS,foi evacuada por trinca no casco ficando só a tripulação minima para maneja-la para reparo,se o óleo é venezuelano é mais provável acidente com embarcação talvez naufrágio,esta nova mancha pode ser consequência de rompimento de outro tanque desta mesma embarcação,o óleo produzido tem caracteristicas da região de onde foi extraido,residuos fosseis de animais e vegetais,tipos de solo ,idade de quando foi formado;há varios anos atrás surgiram manchas de óleo do pontal da barra até Piaçabuçu,participei da remoção e enviei as amostras para o CEMPES(PETROBRAS),quando veio a resposta tinha residuo de óleo de regioes Arabes , consequencia da lavagem de tanques de navios,