Já estava claro, para todo mundo que acompanha a política nacional, que a oposição tradicional no Brasil não tem conseguido ocupar o espaço que dela se esperava, depois da eleição que dividiu o país – quase – ao meio.

Desde janeiro, quando assumiu, coube ao próprio presidente Jair Bolsonaro criar suas próprias e cotidianas crises, seja porque fala demais, seja porque produz de menos, atrapalhando até os que querem trabalhar dentro do seu governo.

Agora, finalmente, ele encontrou um partido de oposição capaz de peitá-lo e expor as tripas do que é a tal da “nova política”: o PSL, legenda que o abrigou e ajudou a elegê-lo presidente da República. Em jogo: R$ 359 milhões de fundo partidário e eleitoral.

O processo de autofagia entre os bolsonaristas – dos dois lados – parece não ter limite. O presidente é exposto em uma vitrine frágil, como um personagem de rara incapacidade.

Quem afirma isso são os seus companheiros de viagem, com adjetivos como “vagabundo”, “traidor”, “comprador de votos” – e paremos por aí, em respeito aos leitores e leitoras deste blog.

Confesso a minha perplexidade e lamento dizer aos que seguem este breve texto: de novo, quem paga a conta é o humilhado povo brasileiro.

Rui: "Vamos remover as famílias do Mutange com ou sem autorização da União"
Derrotado nas urnas se inscreve para a eleição de reitor da UFAL
  • Maria

    Quanto mais dividido melhor,a quem é menor…a política diminui o povo para tentar alcançar seu controle, porque tem medo do seu tamanho e sua força. ” O governo são as velas,o povo é o vento,o estado é o barco,e o tempo é o mar”

  • Zé MCZ

    Eu até aceito que façam oposição ao Lula, ao petismo, mesmo com radicalismo, mas alguém com o mínimo de bom senso ter a convicção de que a desgraça que está aí é a mudança ao período dos escarlates, beira a insanidade, se já não é!
    Os governos petistas (especialmente o Lula) têm virtudes, por que queiram negar! Se o lema era: “faz, mas rouba, ou deixa os parceiros roubar a vontade”, ao menos houve algum progresso. O PT foi hipócrita ao se intitular partido ético, não foi! (talvez tenha sido na origem, no alicerce de intelectuais éticos), mas a hipocrisia maior é apontar o dedo para ele, como sendo o único partido corrupto. Aí aparece o xerife hipócrita pra colocar na jaula e eleger o comparsa da pior especie pra tocar fogo nesse cabaré!
    Só para relembrar, como um pingo d’água que não para de cair, precisamente: a facada foi uma farsa! Por inacreditável que possa parecer.

  • JEu

    Concordo com muito do que está dito no texto, porém, haveremos de concluir que as tais divergências e brigas internas em um partido politiqueiro não é privilégio do PSL… afinal, quem não se lembra quando Heloísa Helena descobriu o mensalão e se afastou, com mais alguns, do PT? ou melhor, foi expulsa do partido por aqueles que não aceitaram a voz da honestidade… porém, o que se há de ressaltar em tudo isso é o culto “ao poder, à ganância, à vaidade e aos interesses pessoais” que se tornam explícitos, em detrimento de tudo o que é bom, puro, honesto e ético… e sobre isso, gostaria de trazer alguns textos, para meditação, que li alhures:
    – O progresso intelectual normalmente antecede o moral, evidentemente, e é muito mais fácil que o segundo. Por isso, somos mais inteligentes do que bons.”
    – “A maioria das pessoas não dá combate permanente e organizado aos próprios defeitos morais, muitos praticamente até cultivando as próprias falhas morais com gosto e propalando-as como se fossem virtudes… Somente através da autoanálise conhecemos a extensão das nossas deficiências morais e, somente quando tomamos a iniciativa de as vencer, avançamos firmes no rumo da evolução ético-moral.”
    – Se cada um desse de si o que sabe ou pode realizar e recebesse aquilo de que necessita, a realidade humana seria totalmente diferente. Vencer o próprio egoísmo começa pelo desapego a uma série de vantagens materiais e cresce através da renúncia a outras tantas coisas, que funcionam como peso no nosso voo rumo ao Infinito.
    – Quando Jesus afirmou que deveríamos dizer “sim sim, não não” estava pretendendo significar que as opções deveriam ser claras entre o Bem e o Mal.
    – Enquanto que a inteligência se desenvolve pelo mero decurso do tempo, uma vez que ninguém consegue viver sem pensar e, só de pensar já se caminha para a frente, mesmo que pouco, não acontece da mesma forma quanto ao aperfeiçoamento ético-moral.
    Alguém só evolui nesse último aspecto se realiza um esforço consciente nesse sentido.
    – Já dizia Paulo de Tarso que “as más conversações corrompem os bons costumes”.

  • SEBASTIÃOIGUATEMYRCADENACORDEIRO

    RESUMO DA ÓPERA : SEM PRETENSÃO DE SER O ARAUTO DO SINTÉTICO FATOR BRASIL , COM ILAÇÕES PRÓPRIAS E AUTÊNTICAS , ADMITINDO ATÉ , UMA CERTA MARGEM DE ERRO , PERSISTO EM MINHA EPÍTOME , DE QUE , ESTE POVO E ESTA NAÇÃO , NÃO PRESTAM COMO MODELOS A SEREM SEGUIDOS PELA HUMANIDADE , APESAR DO ENORME POTENCIAL DE VIRTUDES HUMANÍSTICAS EMBUTIDAS INDIVIDUALMENTE , PARECE TER SIDO PROJETADA PARA O FRACASSO E A DESONROSA EXTINÇÃO . . . TENHO DITO !

  • Williams Roger Cleto Cavalcante

    Aparece nada. Tão tudo calado$ desde temer.

  • Antônio Carlos Barbosa

    Josias de Souza, 18/10/2019 as 20h14
    “PSL coloca Jair Bolsonaro numa camisa de força.
    Há diversas modalidades de maluco no mundo. Bolsonaro é do tipo que não aguenta viver em situação de normalidade. Ele costuma se recolher a um mundo de pesadelos. Ao dar uma de maluco com o seu próprio partido, Bivar transformou a legenda momentaneamente num sanatório para tratar de Bolsonaro e do seu grupo, colocando uma camisa de força no Bolsonaro e dando um tratamento de choque nos malucos palacianos.
    Por ora, a briga continua. Estão de olho na chave do cofre (350 milhões/ano dos fundos partidários e eleitoral), porque maluco partidário não rasga dinheiro. Um lado acusa o outro de desonestidades constrangedoras. A plateia já não sabe quem é quem”
    Que a briga não seja apartada. Os malucos do lado do Presidente não vão compor com os rivais. Que gastem toda a munição (pedras) uns contra os outros. Que se matem até o último maluco.

  • Hélio

    Com Bolsonaro até 2026 no mínimo!