A Defensoria Pública Estadual conseguiu, ontem, mais uma vitória para os pacientes de HIV/AIDS.

A Justiça bloqueou pouco mais de R$ 473 mil das contas do Estado para a compra de medicamentos para tratamento das pessoas atendidas pelo HEHA.

As queixas vinham desde o ano passado. Em fevereiro deste ano, em ação protocolada pelo defensor Daniel Alcoforado, a justiça deu um prazo de 15 dias para que fossem adquiridos os medicamentos.

Mais uma perda de tempo.

A decisão de agora é pra valer e parece ser a única alternativa para os pacientes.

Dinário Lemos se torna o símbolo da solidariedade em Maceió
"Decreto de calamidade chama Estado e União à responsabilidade", diz procurador-geral
  • JEu

    Quero ver mesmo é a liberação da verba e a concretização da compra dos medicamentos… pois, até lá, vai ter apelação até à última instância… o que deveria ter saído, também, uma vez que já houve caso de descumprimento de decisão judicial, era a decretação da prisão dos gestores da SESAU… em seguida da SEFAZ e, por último, do governador mininim… mas, para isso é preciso muita coragem… será que alguém tem?!!!

  • Celso Tavares

    As doenças infecciosas merecem atenção e, lastimavelmente , foram “esquecidas” vítimas de um descaso criminoso. Preocupa-me o futuro das novas gerações, o que será dos nossos filhos e netos.

  • Maria

    Nada mudou e nem vai mudar, aliás vai sim e pra pior. Misericórdia, senhor! Os alagoanos precisam de respeito e dignidade.

  • Alexandra

    Uma secretaria que só funciona na base da decisão judicial. Imagine se não existisse justiça, defensoria, como estaria quem precisa do sus. Mudam os secretários, permanecem os problemas e a incompetência.

  • Carlos

    A situação da saúde nunca foi maravilhosa é uma realidade…. Porém nesse governo que respira 24 horas politica e muito cimento na veia a situação está se tornando rotina e tem mais não é só por falta de recursos e sim prioridade em direcionar os recursos para construção do novo hospital geral. Ora se os atuais clama por socorro com falta de medicamentos , insumos com a falta de pagamentos os fornecedores pequenos e assim a bola de neve só faz crescer. O novo secretario até presente dada está numa redoma e num jogo de escravo de jó, onde tira bota as gratificações para os novos assessores todos guelras grandes . Se foi bom no meio ambiente, será que vai ser na saúde é uma prova de fogo… Vamos torcer que dê certo.

  • A vida em primeiro lugar!

    Deixar faltar recursos para uma pasta prioritária como a saúde é no mínimo desumano. Cadê os recursos próprios? Isso se chama decretação silenciosa da “pena de morte”,os pacientes estão literalmente tendo a vida ceifada. Absurdo!

    • Tomás

      Os pacientes com câncer também estão sofrendo com esse descaso.

  • Indignado

    Infelizmente a judicializacao da saúde se faz necessário pela morosidade com que são tratados os processos da SESAU. O novo secretário até agora não disse para que veio, os seus assessores são, já comprovado, de uma incompetência letárgica…entraram mais arrogantes que a equipe do antecessor e vai virar o ano para eles perceberem o “monstro” que é a secretária. As rotinas(fluxogramas) mais uma vez foram alterados…os efetivos estão mais uma vez prejudicados(para cobrir despesas de campanha) os fornecedores nem são recebidos, exceto os amigos do rei…o secretario, coitado, mais perdido que “cego em tiroteio”
    Faço um apelo aqui neste blog ao senhor secretário: reveja seu staff.

  • Carlos

    Indignado o desfile de rabos de pavão dos que chegaram se isso for competência a saúde de Alagoas agradece. Vamos torcer que o novo secretário tenha carta branca para tirar a saúde da UTI…. Espero que o mesmo tenha bom senso e não venha achar que tirar ou diminuir gratificações dos pequenos servidores será a redenção da saúde.