O recuo do ministro Sérgio Moro, na nomeação da cientista política Ilona Szabóe, do Instituto Igarapé, para a suplência do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, faz desmoronar a ideia vendida de que ele assumira uma pasta de “porteira fechada”.

A fantasia não sobreviveu nem ao menos até o carnaval.

Se na Vara da Justiça Federal presidida por ele, em Curitiba, o agora ministro decidia como lhe mandava a consciência, agora ele sabe que tem um chefe (ou uma família de chefes).

No Judiciário, ele era indemissível; no ministério é apenas mais um na equipe do presidente Jair Bolsonaro – que pode tirá-lo quando quiser.

Há de se ressaltar: Moro foi um juiz corajoso e decidido, na Justiça Federal, qualidades que, ao que parece, ficaram presas à toga.

61, uma tola ideia
Lessa assume a Agricultura contra a vontade dele e do governador
  • Leonardo

    Ser “corajoso e decidido” é uma qualidade do ser, não uma circunstância. Eventual erro dele não deveria ser capaz pra justificar essa postagem em que você mede um juiz e agora ministro que já fez tanto pelo Brasil por um ÚNICO ato. Triste.

  • JEu

    Pode até ser, mas ninguém lhe vai tirar a dignidade e a honradez pessoal… mas, no caso, não se tem muito a lamentar não… era só uma pessoa que iria para lá para defender, com unhas e dentes, os criminosos contra os policiais… se se poderia ganhar alguma coisa com ideias diferentes do pensamento do governo e da maioria do povo brasileiro, por outro lado poderia simplesmente ficar criando “problemas” para a implantação de um regime mais rigoroso no sistema penitenciário e no combate à criminalidade…

  • Zezim

    O que a gente não faz por uma boquinha no STF

  • Fabio

    Triste …Estamos vendo uma história bonita que ele criou em torno de seu nome ir parar direto na lata do lixo

  • Julius Robert Hoppenheimer

    Bravo! Se foi homem como juiz, pode continuar a sê-lo como ministro. Entre o amor da mídia e o do povo, escolha sempre este último e não errará.

    👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🙏

  • Julius Robert Hoppenheimer

    Eles estão avaliando o resultado de suas escolhas pelo mesmo meio que ganharam as eleições: REDES SOCIAIS, assim espero. Essa é nossa única e mais poderosa voz.
    Comunista/socialista, jamais!!!
    Comunismo é pura picaretagem!!!

    👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🙏

  • Antonio Carlos Barbosa

    Pois é velho Mota, no cargo vitalício de Juiz Federal, Moro vez a diferença, mostrou que com os mesmos Códigos Penal e de Processo Penal em vigência, foi possível condenar e prender todos os poderosos da República, tanto empresários quantos os políticos que não tinham mais mandatos, o tal foro privilegiado, pois os com mandatos continuam sem julgamento, pois o Supremo Tribunal Federal não os julgam, espera a prescrição do crime, pois assim o julgamento consta de uma única linha de fundamento.
    Nossa esperança, de um judiciário mais atuante, destemido, realmente julgador, apareceu após a Lava Jato, com os Policiais Federais, Procuradores federais e o Juiz Sérgio Moro, tanto é que surgiram outros juízes Federais e até estaduais, com o perfil do Moro, ótimo para o povo, péssimo para os corruptos.
    Infelizmente, Moro aceita o convite do Capitão, que somente a este beneficiou com a sua entrada no Governo. Hoje Moro depende da liberação do Clã do Capitão e dos Filhos zero 01 zero 02 e zero 3, para colocar suas ações em praticas no Ministério da Justiça.
    Um exemplo: o pacote anticrime organizado e anticorrupção apresentado pelo Ministro, a mando da família Bolsonaro foi desfigurado. Tiraram do projeto a criminalização do caixa dois, ficou num projeto separado, facilmente de ser esquecido, pois os políticos ameaçaram não aprovar as reformas, caso não ficasse de lado o crime de caixa dois, Moro Ministro teve que aceitar, mesmo a contra gosto do ex-Juiz.
    O presidente Júnior 01, Senador Flávio COAF/Queiróz/Miliciano Bolsonaro, menos deseja é que a justiça seja feita, assim, sempre estará em confronto com o ministro .
    Moro como Juiz, julgava com sua consciência, determinava prisões, todas as medidas para a efetivação do direito e da justiça, e não tinha que dar satisfação ou ter aprovação de ninguém, hoje infelizmente depende dos interesses do Clã.
    A pior desgraça de um homem é confiar em político, Moro estar desgraçado, e nós brasileiros fedidos e maus pagos.

  • Juliana

    Enquanto isso TCE Alagoas gasta quase 7 milhões com empresa de comunicação e tecnologia. E os servidores públicos e o povo que aguente os cortes nos gastos. A notícia

  • Valdir Maurício de Barros

    Nunca foi o que se pensava, queria até acreditar que um dia o judiciário brasileiro, passaria o Brasil a limpo, mas o que se viu foi uma perseguição política, livramento da cara dos políticos do PSDB, em especial o amigo Aécio Neves.
    Ele não sabe onde botar a cara, até o globo, que o fez de ídolo, não aguenta ele mais.
    Para ele só sobrou a Lei do Retorno.

  • Thiago Bast Mad

    A imprensa não tem mais o que falar. Devem com saudade da época da Lava Jato. A cientista política foi indicada para que? Que conselho? Um cargo de grande relevância NACIONAL!! OHH Merece destaque NACIONAL!!! A imprensa tem que sair desta caixinha…. E LOGO!!

  • Ricardo Gomes

    O juiz exemplar e determinado era uma farsa. O ministro que quer ser ministro do supremo e pagará qualquer preço para isso, é real. O projeto para destruir a esquerda e chegar ao poder infelizmente deu certo. Mas a queda pode ser grande. E ela acontecerá.

  • Valdemir

    Pura verdade, para deleite dos que torcem para o descaminho do atual governo.vale as aspirações individuais de cada um, em detrimento das coletivas.

  • Wagner

    Mouro é uma farsa criada pela elite golpista. Era necessário tirar o principal candidato para eleger outro, comprometido em tirar os direitos dos trabalhadores e entregar o património público.

  • Adilio Faustini

    Moro errou e corrigiu, não se pode ter subordinados que não se alinham, e estejam comprometidos, com a politica das organizações, simples assim quem não consegue entender isso, nunca será Gestor.

  • Apareceu a margarida, MOROu? – Olê, olê, olá! – ÁS na manga ou cavalo de Troia?

    Foi, NÉ Ricardo … a cada puxada pena sairia uma GALINHA: peru de fora, amoleceu!
    > Há de se ressaltar: Moro foi um juiz corajoso e decidido, [R Mota acima de TUDO]
    – na Just-Fed, qualidades Q, ao Q parece, ficaram presas à toga. [Frouxidão diante de todXs]

  • Sertanejo ENLUTADO esperando Justiça e PAZ com FÉ

    Aqui no Sertão, caro Ricardo … quem tem PRAZO, como as Justiças, num tem PRESSA!
    > Alegações de Queiroz foram consideradas ‘inconsistentes’ por investigadores [02mar19]
    – SEM documentos NEM lenços engrenados pra “multiplicar o nº de assessores d’IN-Flávio BolZonaro
    https://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2019/03/02/alegacoes-de-queiroz-foram-consideradas-inconsistentes-por-investigadores

  • Ex eleitor

    Deixa o ministro em paz, ele já fez um grande favor a nação em trancafiar o chefe da facção chamada PT.

  • Fernando

    Um comentário nos moldes da esquerda brasileira!

  • Valdeck

    O Juiz ou ex-juiz, agora ministro, arvorou-se em entrar na política bem antes de tornar-se ministro pela sua seletividade e celeridade açodada em julgar um único partido e seus membros. Sabe-se que o intuito específico ao passar de pedra para telhado, é meramente ser alçado ao panteão dos inatingíveis e inalcançáveis ministros do STF. Ao assumir a pasta da Justiça de um governo que não roga em fazer ou exercer a justiça e cidadania e sim impor o justiçamento a quem pensa contrário à ordem vigente, causou estranheza é ter chamado para compor o conselho uma cientista política que tem em seu bojo dados pesquisados e estudados à exaustão, academicamente falando, e que tem a escuta das ruas, das periferias, do campo oprimido. O Conselho é um órgão consultivo que é importante ter em seu corpo agentes que destoem, discordem, que tenham opiniões diferentes e diferenciadas justamente para que ao tomar decisões beneficiem a maioria e não a minoria, pois agindo contrariamente esbarra-se num governo oligárquico, clientelista e sectário. O ministro em tela, e não só ele, parecem estar apeados aos ditames dos filhos do eleito certos de que apenas seus seguidores no mundo virtual é que compõem os habitantes do país. Atendendo os caprichos dessa “meninada” só mostra o quão está refém até de suas palavras anteriores quando disse que Caixa 2 era crime e que agora não é mais, quando disse que o Onyx Lorenzoni incorreu num erro e não num crime de caixa 2. Quando os milicianos, posseiros e grileiros estão assassinando ribeirinhos, indígenas, quilombolas, ameaçando inclusive políticos e a Justiça representada pelo Moro fica a olhar perdidamente num horizonte cor de rosa tal qual a ministra dos Direitos Humanos Damares. As cartas brancas que o eleito havia dito, parecem agora bastante encardidas para quem está apenas 200 dias na pasta.

  • Julius Robert Hoppenheimer

    Essa Illana szabo nomearia alguém de nós(de Direita), num governo comunista???

    👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🙏

  • Julius Robert Hoppenheimer

    Não podemos esquecer nem o bem e nem o mal.
    Se esquecermos o bem seremos injustos; se esquecermos o mal, encorajaremos a sua prática.

    👉🇧🇷👉🇧🇷👉🇧🇷👉🙏

  • Luiz Antônio Maciel de Araujo

    Como magistrado ele só precisava seguir o que estava previsto em lei, e o fez com santa eficiência sem nunca desviar-se dela, como Ministro tem que ouvir, ponderar, ter bom senso, honestidade, lealdade ao Presidente, e recuar quando for preciso… até meu caseiro aqui entendeu isso!

    • Rubens

      Às vezes o que parecem ser uma atitude inteligente pode se tornar em um tiro no pé. Aguardemos os próximos capítulos da Renanladia …dignos do fantástico.

  • Lucas Farias

    Prezado Ricardo, o recuo instantâneo do ministro Moro, motivado em grande medida pela fúria delirante das redes sociais bolsonaristas, demonstra não apenas a ilusão conveniente do tal ministério “porteira fechada”, como também o peso político decisivo das forças ideológicas antiacadêmicas e anti-intelectuais. Imaginava-se que Moro, enquanto ministro, teria a mesma liberdade de atuação que tinha fomo magistrado, sem chefes nem superiores hierárquicos para enquadrá-lo. Não foi o que pareceu neste episódio. De qualquer modo, ainda que humilhante para Moro e embaraçoso para esse governo feito de tropeços, desmentidos e birutices fundamentalistas, o recuo de Moro não é, no mérito, digno de comemoração. Ilona Sazbó é uma cientista política das mais conceituadas no campo de estudos sobre criminalidade, drogas e violência. Tem formação acadêmica em instituições da Suécia e da Noruega, atuou como consultora para o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e como coordenadora da Comissão Global de Políticas sobre Drogas e da Comissão Latino-Americana sobre Drogas e Democracia, além de ter várias obras publicadas a respeito. As manifestações contra a nomeação dessa brilhante cientista para um cargo de suplente no Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, que tem natureza consultiva, com base em toscos acusações de pureza ideológica e conspirações fantasiosas, revelam um ambiente de ignorante aversão à metodologia científica e à experiência acadêmica, necessárias no enfrentamento da criminalidade e da questão das drogas, substituindo-se o conhecimento racional pelos gritos histéricos de falsas soluções que simplificam problemas complexos e que não deram certo em lugar nenhum do mundo. É lamentável, mas é o que se tem. PS.: Meu Deus, que comentário esse logo acima!