Nenhum parlamentar federal de Alagoas terá uma influência tão grande na votação das reformar propostas pelo governo Bolsonaro do que o deputado Arthur Lira (PP).

A renovação na Câmara Federal, nas últimas eleições, superou os 47%.

São 247 novos deputados, mas o perfil majoritário permanece muito semelhante ao que se verificava no ano passado.

Nada que não seja fácil de constatar.

O chamado Centrão (ou Blocão), por exemplo, continua expressivo e decisivo. Um dos seus principais líderes é o deputado Arhur Lira, o segundo mais votado pelo estado de Alagoas e um nome de destaque do PP em Brasília.

Ele permanece como porta-voz do grupo, que agrega pelo menos 150 deputados federais – o que não é pouco e pode ser decisivo para a aprovação (ou não) das reformas propostas pelo governo Bolsonaro.

Que fique claro: esses parlamentares não são de oposição, mas mantêm a tradição fisiológica histórica do parlamento brasileiro – em todos os níveis.

A liberação de emendas, a nomeação de afilhados para cargos em comissão, tudo isso faz parte do pacote pretendido pelos deputados do Centrão (ou Blocão) – o que não é diferente do que já acontecia.

Arthur Lira continua negociando em nome do grupo, ocupando, mais uma vez, um espaço de destaque no Congresso Nacional.

É a realidade se impondo ao Twitter.

Maurício Quintella controla infraestrutura do Estado e da prefeitura
Ronaldo Lessa deve permanecer em Brasília
  • Consigliere Alagoano

    .

    As vezes é preciso um apoio…

    Para crescer, uma árvore precisa de estrume “…
    Giulio Andreotti no filme Il Divo

    .

  • JEu

    Concordo com o Consigliere Alagoano… “Para crescer, uma árvore precisa de estrume”… e para aprovar medidas no Congresso Nacional, o governo precisa dos votos de um monte de “b….”!!! infelizmente essa é a politicagem nacional… para mim será bem melhor que o presidente ponha a boca no twiter e diga a verdade com todas a letras, mencionando nomes e as “exigências” para votar a “favor” da reforma da previdência e demais “pacotes” do governo, mesmo que nada mais seja aprovado daí por diante… porém, por enquanto, isso só é mais um “sonho brasileiro”…

  • Alagoano sem esperança

    E a condenação na taturana em segunda instância? Nada? E a lei da ficha limpa, está suja?

    • breno

      POIS É ALAGOANO, E UM POLITICO COM A FICHA SUJA VAI COMANDAR PROJETOS E REFORMAS IMPORTANTES PARA O PAÍS. QUAL A CHANCE DESSE PAIS DAR CERTO?

  • Há Lagoas

    Imagino a comemoração dos Renan’s pós eleição, com o resultado pífio de Biu de Lira!
    Imagino agora, após a tragédia da eleição para a presidência do Senado, o “moribundo” Renan – o Pai – praticando o ostracismo que lhe foi imputado, roendo as unhas com os conchavos de Arthur Lira com o tal Blocão.
    Não cabe aqui o adágio popular que diz: “Quem ri por último, ri melhor”, mas é interessante perceber as nuances da corte que atende em Brasília, onde cada dia é simplesmente único.
    Que Arthur lembre da CBTU, e do VLT até o shopping na Mangabeiras.

  • Arthur

    O tempo dirá se esse “grupo” como fora acima citado tem real decisão nas aprovações dos pacotes de reformas enviada pelo governo ao congresso nacional……

  • sertanejo cagota

    Eu já acho que TATURANA …

  • sertanejo cagota

    O cara é TATURANA, portanto, inatingível…

  • Freitas

    Que o nobre deputado Arthur Lira, use seu prestigio para trazer recursos para Maceió e as demais cidades alagoanas, já que o nosso governador Renan Filho, só conseguirá do Governo Federal o que for estritamente constitucional, nada além do que for de direito por Lei. Lamentavelmente os Calheiros, atualmente, s´o prejudica Alagoas.

    • José Carlos Silva

      Engraçado como se pensa somente em verbas e recursos, não se levando em conta desenvolvimento e mais empregos que não sejam temporários.

      O que Alagoas precisa não e de recurso federal, apenaw.

      Alagoas precisa de captação de empresas, de ampliação do quadro de indústrias.

      Pena que pelo andar da carruagem, continuará o mesmo de sempre. Ad eternum.

      • Santos

        Concordo plenamente que ALAGOAS não precisa só de RECURSOS FEDERAIS, mas só com o básico, não sai do canto. Sem os INVESTIMENTOS FEDERAIS a tendência é voltar a pertencer a Pernambuco ou até mesmo ser de Sergipe, que vive melhor do que Alagoas.

    • breno

      SERÁ QUE ELE AGORA VAI LEMBRAR DA SOFRIDA ALAGOAS??????????????