Por que Melina Freitas não foi anunciada, ontem, no pacote de “novos” secretários de Renan Filho?

A dúvida veio tão logo o governador fez o anúncio via redes sociais dos nomes de Maurício Quintella e Alexandre Ayres.

É destacar: Quintella pode ser o nome do Palácio para disputar a prefeitura de Maceió, já que – está claro – o MDB não tem ninguém para ser o candidato à sucessão de Rui Palmeira. A Infraestrutura, é verdade, está esvaziada há muito tempo, mas ainda tem mídia.

Alexandre Ayres é tem que o maior desafio pela frente. É encrenca das brabas.

Voltemos a Melina.

Embora a pasta não receba lá muita atenção do governador – e de quem manda de fato na máquina -, ela é uma secretaria de composição.

O anúncio do nome dela , é o que conta um parlamentar muito próximo ao Palácio, não aconteceu agora para não constranger o deputado Inácio Loiola junto aos seus pares, deputados estaduais.

Por enquanto, na casa de Tavares Bastos, está prevalecendo o acordado: tem de ser bom pra todo mundo.

Mas é só uma questão de tempo.

Ô de casa! São os credores batendo à porta de Alexandre Ayres
PDT só fica na direção da ARSAL até Renan Filho decidir futuro de Lessa
  • Há Lagoas

    É o jeito”novo” de fazer política, igual ao jeito “velho” da politicagem.
    Renan – o Filho – não aprendeu com as ultimas eleições, nem mesmo com a hecatombe da qual seu pai foi vitima!

  • RICARDO

    O deputado foi humulantemante desmoralizado pelo governador! O governandor está querendo mais uma vez humilhá-lo e só ele não percebe isso!

  • CABRAL

    O governador detesta o deputado Inácio!

  • Tabosa

    O governador humilhou a Melina.

  • JEu

    Nada de novo… é só o toma lá, dá cá de sempre… coisas da politicagem alagoana e brasileira… até quando? só Deus sabe… pois o povo não está nem aí para o próprio sofrimento… e essa é uma época boa para anunciar decisões governamentais, pois os festejos carnavalescos está “batendo na porta” e a imensa maioria só pensa “naquilo”…!!!

  • Alagoano

    Impressionante como o governador trata os deputados, principalmente com aqueles que não se dão o respeito.