A célere passagem do calendário tratou de tornar a cena tão ridícula quanto ela sempre mereceu ser. De um lado, este malsucedido compositor; do outro, o agente da Polícia Federal que exercia o papel de censor oficial, em tempos não tão remotos.

Era o ano de 1981, e o DCE da Ufal, presidido por Ediberto Ticianeli, retomava os festivais universitários de música. A minha canção de “guerra” (Legião dos Condenados), uma marcha-rancho, já era conhecida dos frequentadores assíduos das noites de sábado, no auditório da antiga Reitoria. Os versos da discórdia cantavam que o “filho ingrato, cospe o prato/Não canta o Hino Nacional”:

– E por que não canta?
– Não canta porque não sabe. É um homem pobre, analfabeto, blá blá blá…
– E não é um protesto?
– De jeito nenhum.
E a música foi liberada por aquele meu ex-colega do curso de Psicologia. Claro que ali ninguém havia enganado ninguém. O constrangido servidor público, a quem encontrei bem depois e que me lembrou o embate, apenas buscava uma desculpa razoável que pudesse apresentar aos seus superiores caso fosse necessário – e não foi.

Quem era dono das melhores artimanhas para driblar a censura, este, sim, chama-se Chico Buarque de Holanda, um grande gozador e unanimidade da MPB (contrariando Nélson Rodrigues). Abusava dos palavrões nas letras, que, claro, os atentos  guardiães da moral e dos bons costumes riscavam com caneta vermelha sem nem pestanejar.

As metáforas? Estas seguiam seu legítimo caminho rumo ao público. Foi assim que Apesar de você pareceu aos “homens” uma singela canção de amor (veio a ser, depois, censurada. Mas já estava colada nos ouvidos mais atentos).

Menos sorte teve Edu Lobo (para mim, o sucessor de Tom Jobim). Sua música Casa Forte, instrumental e sem letra, foi vetada porque o título pareceu, aos especialistas, subversivo (!). O critério de avaliação era o humor do dia dos responsáveis pelo Departamento de Censura Federal.

Mas a estupidez não parava por aí. Eles quiseram, nos anos de chumbo, prender Sófocles, o autor de Antígona, considerado um perigo revolucionário, então. Os agentes da “dura” chegaram ao teatro onde a peça era encenada com alguns séculos de atraso – e o grego continuou livre e sem ser incomodado no seu túmulo.

Coisas ainda piores fizeram os agentes da lei vigente. Proibiram a filha de seis meses de um médico paulista, acusado de ser comunista, de frequentar a creche em que estava matriculada, tamanho era o risco de contaminação aos engatinhantes do local.

Do risível ao absurdo – ou ao contrário – era um passo.

Houve até um episódio que ficou conhecido como o “IPM (Inquérito Policial Militar) da Feijoada”. Este foi o prato principal do almoço oferecido pelo editor Ênio Silveira ao ex-governador Miguel Arraes, em maio de 1965. Cassado e caçado pela ditadura, Arraes havia passado uma “temporada” em Fernando de Noronha – um paraíso que funcionava como prisão.

O respeitado proprietário da Editora Civilização Brasileira foi um bom anfitrião, que se tornou mais um prisioneiro dos militares por ter recebido em seu apartamento, antes do seu exílio na Argélia, o temido líder de esquerda (bom de povo, mas péssimo orador). O coronel indignado, que arrastou para as masmorras o homem das letras, não se satisfez. Levou junto com ele o que lhe era de direito: além do dono do apartamento, as duas cozinheiras de Ênio Silveira, e, para completar o grupo subversivo, deu ordem de prisão – cumprida – ao porteiro do “edifício-aparelho”.

Conta-se que o feirante que vendeu pé de porco, carne salgada e outros acepipes conseguiu sumir a tempo.

(Que tempo!)

"Você sabia que o Biu de Lira..."
Servidores comissionados reclamam de pressão para fazer campanha eleitoral
  • JEu

    Bom dia, Ricardo. Ainda estou tentando parar de rir… tudo isso, realmente, me parece uma piada… e me faz pensar como é que atitudes individuais, de pessoas, ao que me parece, com pouca capacidade de raciocínio ou que tinham, o que é mais provável, interesses outros, como conseguir uma promoção, por exemplo… porém, preciso é que não deixemos passar, também, no registro, os movimentos armados e diversos outros atos e ações de cunho terrorista que, também, ocorreram no período, além de assaltos a bancos e ações contra pessoas que foram feitas reféns pelo “movimento comunista revolucionário”… também é preciso saber que hoje, no Brasil, com o maior conhecimento e aceitação das noções de direitos humanos e com o avanço das comunicações televisada e pela internet, essa situação não poderá jamais ser reeditada no país, pois logo cairia no descrédito do povo brasileiro, que já não aceita mais regimes tão restritivos (seja de direita ou de esquerda – eis aí a Venezuela e Honduras como exemplos geograficamente bem próximos)… esquecemos, todos, ainda, o caráter, por assim dizer, “místico” da maioria do povo brasileiro, principalmente os que já atingiram uma maior “maturidade” biológica e de experiência de uma vida mais longeva, que não consegue aceitar uma vida sem um objetivo maior que as “coisas” desta existência e, portanto, fazem questão em guardar determinados valores morais: a família, a religião (não importa qual seja… contanto que seja devotada a Deus…), a honestidade, a fraternidade, o bem de todos acima do bem exclusivo e pessoal, a paz e a caridade… portanto, não creio que ninguém poderá mudar esse caráter eminentemente brasileiro e que nos guiará, sempre, para o que nos eleva e engrandece como seres humanos, como nação e como consciência voltada para objetivos superiores… Bom domingo.

    • Admirador DELE na Judeía do Mar MORTO, sertanejo no Rio PANEMA secado por 5 barragens em Pernambuco

      De FATO, Jeu … as urnas tem sabores de LIBERDADES, amigo!
      Desde 1988 c’a Constituição do Dr ULYSSES derrotado nas urnas (1989) pelo impíxado (1992) houve 7 (sete) eleições pra Depu FEDE$, Senadore$ e presidente$. [30set18, domingo HOJE]
      https://istoe.com.br/como-funcionam-as-eleicoes-no-brasil
      O cavaLLêro FiguerÊdo 1918-1999, que DEUS o tenha) recusou-se a passar a FAIXA PRESIDENCIAL pu Sarney. Pu birra d’ABL onde cacarejava o coll-ÉGUA general ADELITA (1905-1988) poetisa ENVERGONHADA das partes?
      Sarney enfaixou o sucessor em 1990, assumiu o VICE Itamar (1930-2011) mineiro de Juiz de FORA à Tancredo (1910-1985) de São João del-Rei. Ministro do eleito, ITAMAR facheou FH (1994) auto fachado (1998) que saiu rindo de Lula (2003 e 2007) sério com Dilma (2011 e 2015).
      [FACHEAR]: caçar e capturar passarinhos franzinos em noites PARDAS, um facho de luz CEGA os biXim presas F´ÁCEIS no Sertão do Nordeste.
      Em St’Ana e Batalha, Belo Monte e Traipu, Poço e Água Branca, Maravilha (a SERRA) e Ouro Branco (ALGODÃO). Podes crer, meRmão!

  • Joao da TROÇA anarco-carnavalesca BACURAU da Rua NOVA do Sertão – em St’ANA!

    Pois, RICARDO … Feijoada COMPLETA!
    … ‘Conta-se que o FEIRANTE que vendeu pé de porco, carne salgada e outros acepipes conseguiu SUMIR a tempo.’

    Uma INVASÃO tosca da INTIMIDADE do Dr Enio Silveira (1925-1996, JORNALISTA), tentando INTIMIDAR o Gov Dr ARRAIA (1916-2005, ‘Devogado).
    > Ponha os PRATOS no chão e o chão ta posto, lingüIças p tira-gosto
    – Uca, açucar, COMBUCA de gelo limão, vamos botar água no feijão
    > Diz q’tá DURA, pendura a fatura no nosso irmão (à BARRACA)
    [Em 1978 arre-RESPOSTAVA Chico]
    https://www.vagalume.com.br/chico-buarque/feijoada-completa.html
    E + partes da LETRA: bom REFOGADO p’engrossar!
    > Mulher: tô levando 1’s amigos pá conversá: FOME Q nem me conti, SED’ontonti
    > Salta cerveja estupidamente gelada p’um BATALHÃO: água no feijão NUM vá se afobá
    > NUM tem q’pô a mesa e NEM dar lugar: 1 montão de torresmo p’acompanhar
    Mais água e SABÃO na marolinha democrÔta de 1964: envergonhando militares ao coLLo do Sarney (1985).
    > ARROZ branco, farofa e malagueta: laranja-bahia ou seleta
    > Joga o PAIO, carne seca, toucinho: caldeirão c’água no FEIJÃo
    – ALIÁS, depois de salgar: faça um bom REFOGADO q’é p’engrossar
    > Aproveite a GORDURA da frigideira: pá mió temperar couve mineira

  • Sertanejo ENLUTADO esperando Justiça e PAZ com FÉ

    Grande Dr ENIO … entre as metrópoles D’Encontros c’a Civilização Brasileira (1978-1988).
    c’EDITORA perseguida quase FALINDO, recebe apoio de Geisel (1907-0996) via Bco Naci Desenv Econômico – BNDE em 1975.
    O BANCO mantém Dr ENIO (1925-1996, aos 76) na direção editorial até morrer.
    Em 1996 a editora é absorvida pelo Grupo RECORD do Tn1 da Tv `´ PAJUÇARA.
    Enio nasceu menino em São Paulo 1925 e despediu-se no Rio 1996 já SOCIÓLOGO (Usp) com pós em EDITORAÇÃO (Univ Columbia Nova York, EEUU).
    ESTAGIÁRIO d’Editora Alfred Knopf, retorna à CAPITAL do Brasil, Rio à época da Ed Civilização Brasileira (dsd 1929), a preferida de Monteiro Lobato (1882-1948).
    Depois da 2ª Doidícia 1939-1945 entre buXas (militares) e canhões (políticos fanfarrões) faz-se DIRETOR da Editora CB (1948).
    MUDA a linha editorial e a apresentação gráfica: gravuras nas capas e miolos de livros de montão e mais baratos, brochura.
    A CASA Editora cresce a ponto das maiores do Brasil, fomentando em 1965, a Revista Civilização Brasileira:
    – MARCO do pensamento político e cultural e de resistência à ditadura militar: 7 xs PRESO entre 1964 e 1969 (Comunista);
    – FECHADA c’Ato Institucional nº 5 (AI5, 13dez1968). Entre 1Brasileiro – PCB e pela resistência democrática que lidera no campo editorial.
    , com a publicação de títulos sobre temas políticos e sociais de pensadores como Karl Marx (1818-1883) e Antonio Gramsci (1891-1937), e jovens autores brasileiros.
    http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa4235/enio-silveira

  • Há Lagoas

    Naquela época o aparelhamento era estatal, e seu poder se fazia sentir em quem não estivesse de acordo com as diretrizes vigente.
    Hoje caminhamos para um aparelhamento social, irrestrito, irracional!
    Mesmo um simplório cidadão que mal consegue escrever algumas palavras – que é o meu caso – pode ser linchado por não ser igual a massa.
    Antes precisa ser poeta, hoje, basta se posicionar de forma contrária.
    Boa semana a todos.

  • BETE irmã de NESTOR tios, ela mãe d’Diogo: ZAP finado em 6 msgs

    ôI, Ricardo MOTA … um bom domingo SEM mimimi!
    seja qual for o RESULTADO domingo que vem na URNAS 07out18, apois a VIDA continua.
    D’O Outro Lado do Paraíso’ NOVELA: [email protected] da vereadora (Marielle) e da transexual (Matheusa) continuam IMPUNES!
    > NUM tem condições de VOLTAR pra Idade Média. – NETAS das bruxas seriam queimadas.
    – A gente INCENDIA esse país antes!!! [Mariana M 23 c’os peitos de fora à LUTA, sábado 29set18]
    https://paraibaonline.com.br/2018/09/atriz-vai-a-manifestacao-com-seios-cobertos-por-adesivo-da-campanha-elenao

  • Democracia ao PONTO: garçon + 1 cana, tira gosto SARDINHA péÓóRrrrr sem ELA!

    Caro RICARDO … + 1 bom domingo SEM constragimentos: cum LIBERDADES, cum Democracia!
    > O constrangido SERVIDOR público [..] buscava uma DESCULPA razoável.
    [29set18 – Sábado no TnH1] > Luto pela liberdade da MULHER, pela liberdade do corpo! [SEM quartel LUTA]
    – NUM só ele prega a violência, cuma REDUZ a mulher no discurso direto dele. [Mariana Além-PARAÍSO]
    https://www.tnh1.com.br/noticia/nid/atriz-vai-a-manifestacao-com-seios-cobertos-por-adesivo-da-campanha-elenao

  • Coração Vagabundo

    Caro Jornalista,

    Uma bela crônica domingueira. Mas hoje é dia de ouvir música.

    Meu coração não se cansa
    De ter esperança
    De um dia ser tudo o que quer

    Meu coração de criança
    Não é só a lembrança
    De um vulto feliz de mulher
    Que passou por meus sonhos

    Sem dizer adeus
    E fez dos olhos meus
    Um chorar mais sem fim

    Meu coração vagabundo
    Quer guardar o mundo
    Em mim
    Bom domingo!

  • Juvenal Gonçalves

    Olá, Ricardo!

    Lembro de uma cena inusitada:
    Dois jovens contemporâneos, atuais cinquentões, frequentadores de uma mesma congregação evangélica.
    Porém, de ideologias políticas diferentes.
    Numa noite de quarta-feira, na extinta Praça Bomfim, uma pequena manifestação: “abaixo a ditadura!”
    Um daqueles jovens discursava e, à chegada da P.F., aquele outro jovem de lado oposto chega-se ao nosso colega manifestante e, num breve lapso de tempo, e o saúda: “a paz do Senhor, irmão!”, como que dizendo: vai prá casa, rapaz!
    Pois é, eu, na pequena plateia, presenciei: ligeiramente meu colega sai “de fininho” em direção ao sua casa, que estava apenas a uns dois quarteirões do local…
    Final feliz!
    Boa domingo e boa fsemana para todos!

  • Lucas Farias

    Prezado Ricardo, crônica bastante interessante, que rememora episódios ocorridos nos nada saudosos “Anos de Chumbo”. Que hoje possamos deles recordar, com irreverência, ridicularizando a ditadura e seus agentes, dando-lhes a dimensão de sua ignorância, é sinal do triunfo das liberdades, somente possível numa democracia. Eis que esta é uma obra inacabada, sempre em construção, como qualquer realização humana complexa, ainda que tantos queriam destruí-la, em vez de aperfeiçoá-la. Por sinal, não se pode deixar de notar que o texto deste domingo, justamente com essa temática, coincide com a realização de um ato de apoio àquele candidato, de extrema direita, que defende a ditadura e seus agentes (torturadores, assassinos e corruptos), que prega a eliminação física de seus adversários (como no episódio em que simulou uma arma com o tripé de uma câmera e propôs “metralhar petralhas”), que emula medos e destila ódios e preconceitos. Dado o apoio que ele possui, temos ainda um longo trajeto civilizatório até que a violência seja rejeitada como instrumento da política. Um abraço. #EleNÃO

  • Rafael Kennedy

    E tem gente com saudade.

  • Adilio Faustini

    Só para lembrar, com um orçamento 10 vezes menor que o atual, o Brasil deu um salto econômico da 48 economia do mundo para a 8, oitava, com crescimentos anuais de até 14%.Hoje, a partir de 2003, qual a grande obra iniciada e terminada no Nordeste ou no Brasil? Posso apontar algumas grandes obras, nesse periodo,no exrerior, JBS nos EUA, Porto de Mariel, Cuba, Aeroporto Internacional de Macala, Moçambique, Metro de Caracas, N Hidreletricas, Equador, Nicarágua etc..Alem da Compra de Pasadena. Tudo isso e muito mais gerando empregos no exterior ,desempregando no Brasil e aumentando substancialmente a divida brasileira. Nada é por acaso.

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    errata ao anterior
    Sendo sempre CENSURADO fica quase impossível rebater, rechaçar, repudiar, repelir e reprochar ou objurgar textos e comentários aqui editados, mas fazer o quê? Sei que até este reclamo poderá até ser editado, mas, ainda assim, arriscarei mais uma vez, a ver:
    – Nunca se viu uma ditadura [com ditadores sazonais, alternados e temporários escolhidos por representantes eleitos pelo povo, no Congresso Nacional, a cada cinco anos] nem “torturadores” ineficientes que todas as suas supostas vítimas sobreviveram e estão muito bem obrigado – a ver ao final deste. Por 21 anos, a “imprensa-canalha” [Millôr] fez e faz aquilo que vaticinara Joseph Pulitzer: “com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corruPTa formará um público tão vil como ela mesma”.
    É o que temos visto – ou melhor: não temos visto, lido ou ouvido – a imprensa-canalha, como definida por Millôr, sequer menciona, informa e discorre ou denega, rebate, repele, repudia ou critica senão encobre o criminoso “foro de São Paulo”, que urdiu o fim do Brasil, para ser a Pátria-Grande deLLes, seus manifestantes desfraldam e empunham bandeiras outras que não a do Brasil.
    – Na íntegra in http://gouveiacel.blogspot.com/2018/09/o-vaticinio-do-general-presidente-do.html
    Abr
    *JG

    Meu caro coronel:

    Sempre o tratei com respeito e espero que assim continue.
    Mas deixo claro: não me interessa fazer com que o clima de rede social
    invada este espaço.Se assim quisesse, já teria entrado nelas.

    Essa história de azul contra o encarnado – mouros contra cristãos – nunca me interessou.
    Acho que a humanidade já avançou o suficiente para para superar sua própria irracionalidade.

    Quem gosta de “guerra”, do “bandido bom é bandido morto”, que procure outro lugar para manifestar
    seus impulsos – ainda que sinceros sejam.

    Saudações democráticas,

    Ricardo Mota

    P.S.: Perdoe-me a insistência, mas acredito que ocupar a mente com coisas mais virtuosas do que o
    ódio ao outro pode ajudar a viver (sugiro Montaigne, Os ensaios).

    • Dilet@ sujeit@ porém MOFAD@: golpista? – Despista, mig@!

      Apois, Curoné moZZão a RiR do capitão: u$ 2 (dois dóla) CAROS puZZentado$,
      é um BARATO condo a PIADA é apropriada por ADVERSÁRIO: o Bolsonaro “já ir se acostumando”!
      Cum ele, com Andrade: o Dr HADDAD! [29set18]
      https://www.valor.com.br/politica/5893581/haddad-diz-que-e-melhor-bolsonaro-ja-ir-se-acostumando-com-ele

    • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

      Reenviando no tréplica 😉
      Meu caríssimo literato humanista (e jornalista) bem sabeis que jamais o desrespeitei, com ou sem retóricas!
      Desculpe-me se “invado” (este espaço), que é bem díspar do belicoso [evitado e abominado] “clima de rede social”, o qual não é tanto assim como o imaginas!
      Aliás, minhas “invasões” ao “espaço urbano, civilizado, democrático e humanista”, que alguns visitantes anônimos destilam, vomitam e cospem suas inverdades falsas ao passado e na desconstrução e destruição de reputações de personagens [tidos como radicais ou extremistas reacionários] mais saem feridos com estocadas de facas e afiadíssimas, violentas e virulentas senão mordazes e venenosas logorreias que mais ferem e matam que afiadas facas.
      Adágio: “dou um boi para não brigar, mas nenhuma boiada dela me tira, depois de entrar”! Não temos sangue-de-baratas… Chega de ser pechados de “fascistas, reacionários, nazistas” e quejandos! Bateu; levou! Que não seja tolerável o “bandido bom é o bandido morto”, mas muito melhor que o cidadão não seja imolado – sem a mais mínima chance de autodefesa – por esses bandidos bonzinhos “excluídos sociais”!
      Por que só há vítimas de humanistas (que abominam o ódio e pregam amor), os quais jamais foram cuspidos, escarrados, defecados, mijados, esmurrados, chutados e esfaqueados?
      Compare os dois “movimentos” – do sábado e do domingo – e diga-me donde parte a intolerância irracional, iracunda e virulenta; sim?
      Efusivas e marciais saudações castrenses, desde sempre somos todos humanos!
      Amplexos
      *JG
      P.S.: Millôr e Pulitzer foram citados, e entre aspas! 😉

  • Adilio Faustini

    Leia os comentários do conteúdo do link que tem a resposta.Foi nessa epoca que os artista, que se dizem perseguidos , mais ganharam dinheiro e popularidade no Brasil.Quanto a migração dos nordestinos, estas ocorreram em maior escala nas décadas de 50, uma das maiores secas , e na década de 60, só diminuiram depois da infraestrutura , Mobral, Projeto Rondom, e vacinações maciças em todo país implantada, das décadas de 70 e 80.Hoje muitas doenças extintas ,estão retornando pelo descaso com a saúde pública.

    • Contra CINISMO grosso X IRONIA fina: urnas 2018 estão AÍ

      Conta ÔTA, Caro Adilio … sô teu OTÁRIO favorito, [email protected]!
      haja CORRUPÇÃO e escândaLLos na maroLLinha democrôta 1964-1985 apodrecida com miLLitares envergonhados no coLLo do Sarney.
      Depois vimos COVARDE herói vaLLentão agredindo mulheres e pessoas humildes impixado em 1992, esgoto pra + de METRO.
      Tubulação SUPERFATURADA agiotando poucos PENICOS pra encher com DEJETOS de corrupção trucuLLnta e vioLLenta:
      1. Tortura e ausência de direitos humanos & 2. Censura e ataque à imprensa
      3. Amazônia e índios sob risco & 4. Baixa representação política e sindical
      5. Saúde pública fragilizada & 6. Linha dura na educação
      7. Corrupção e falta de transparência & 8. Nordeste mais pobre e migração
      9. Desigualdade: bolo cresceu, mas não foi dividido & 10. Precarização do trabalho
      [ 10 razões pá NUM tê saudades da ditadura], SEM data há ~5 anos (+/-)
      https://dellacellasouzaadvogados.jusbrasil.com.br/artigos/114420764/10-razoes-para-nao-ter-saudades-da-ditadura