Com poesia e sabedoria, Ferreira Gullar, um dos maiores nomes da cultura brasileira nas últimas décadas, afirmou que ninguém consegue viver sem um momento de alienação, de distanciamento da realidade.

Que tal uma partida de futebol, com os dois times de maior torcida em Alagoas – CSA e CRB – como exemplo de prazer e alegria?

Que nada!

O esquema de segurança montado para o jogo de sábado, pela Polícia Militar, embora necessário, revela que estamos na iminência de uma batalha campal.

Serão duas hordas que, em tese, vão se enfrentar e que terão de ser contidas por nada menos do que 412 policiais militares, cavalaria a formar 28 conjuntos, 30 viaturas, 11 motocicletas e dois helicópteros.

Quem vai pagar por isso?

Você, eu, todos nós. E para quê?

Em qualquer lugar do mundo, um efetivo com mais de quatro centenas de homens armados só se faz necessário para evitar ou conter tragédia humana – o que parece estar prestes a acontecer.

Que fique claro: isso não é culpa do futebol.

O que acontece ao entorno de uma partida futebol, embora que de forma concentrada – na simples disputa de um clássico, como agora – reflete o que é uma sociedade, o momento que ela está vivendo.

Inegavelmente, o governo Renan Filho tem muito mérito no avanço do combate à violência. Mas eis que a mudança de que necessitamos é estrutural, cultural, há de ser aprendida nas escolas – boas escolas -, em casa e na sociedade de forma geral.

A violência custa muito caro a um povo que carece de quase tudo.

Que os candidatos, a todos os postos, pelo menos dediquem alguns minutos a pensar sobre isso. A alienação que se vive lá em Brasília nada tem de poética – é quase criminosa.

Três agiotas fazem a festa na reta final da campanha eleitoral
STF suspende decisão do TRE e autoriza candidatura de Ronaldo Lessa
  • JEu

    Concordo com vc, Ricardo… e digo mais, as boas escolas não podem ser consideradas somente por terem “prédios” novos e bonitos… há que ter um corpo docente qualificado e um planejamento escolar que vise, além da ilustração das mentes, a formação do caráter do aluno, fundamentado nos valores morais da família, do bom, do justo, do honesto e do que é decente na conduta pessoal e pública da cada cidadão… e concordo também que, sem cultura, esportes, lazer saudável para crianças e adolescentes e, até, oportunidade de geração de renda para adolescentes, como forma de valorizar a renda obtida pelo trabalho honesto e melhoria de vida de todos, principalmente das pessoas mais carentes, tudo isso confirmado por uma demonstração firme de que não se aceita mais corrupção de qualquer tipo (financeira ou dos valores morais), então, com certeza, teremos uma sociedade melhor, pois creio que tanto melhor é uma sociedade, quanto menos precise de serviços de polícia…

    • Angustiada

      Parafraseando Mário Quintana “esses que estão aí …atravancam o caminho da juventude, não permitindo que vivam com dignidade e decência com a perspectiva de um futuro promissor. Basta uma rápida olhada nos noticiários de crimes. Nesse período eleitoral vem um monte de candidato, governador falando sobre educação, mas na realidade a nossa educação não tem nenhum avanço, isso começa pela educação básica e vai se estendendo até o ensino médio. o Estado realizou um concurso pra educação com um número de vagas beirando o ridículo um pouco mais da metade das vagas oferecidas pelo município de Maceió. O professor , principalmente os que são contratados como “monitores” recebendo um salário vergonhoso e sem o reconhecimento nem do sindicato dos professores, são verdadeiros heróis se submetendo as péssimas condições de trabalho onde até o desvio de função acontece, o que dizer de um professor de Biologia dá aula de Matemática? Isso acontece em várias escolas, como é que um professor nessas condições terá condições de se qualificar? Se não recebe nenhuma ajuda pra isso? Onde foi aplicada a ajuda que o pai do filho, esse ser que tem uma voz suave, parece até um anjo de candura, trouxe e diz que o filho do pai bem aplicou?

    • Adilio Faustini

      Escolas Militares como em Manaus, Goiás e outras localidades, é um bom começo.

  • Sertanejo ENLUTADO esperando Justiça e PAZ com FÉ

    De FATO, Ricardo … ‘A violência custa muito caro a um povo que carece de quase tudo.’ [ACIMA]
    risco d’abaixar temperatura na PEDRA rumo à terra que nos há de COMER podres, haja vermes!
    Um alvoroço da BIXIGA lixa:
    – 412 policiais (cavalaria) em 28 kits com 30 viaturas e 11 cinquentinhas + 2 CINQUENTÕES helicópteros?
    – Quem vai pagar por isso? – Você, eu, todos nós. E para quê? [R MOTA acima]
    > Pra trás à CARANGUEJOS entre-coxas d’ostras frescas LAGUNARES deliciando a ORLA?
    > Inté ia descansar, NUM sujava + os pé, saXtisfiZ o meu desejo vendendo caranguejo
    https://www.vagalume.com.br/gilberto-gil/vendedor-de-carangueijo.html
    É como diz, parda e FRANZINA Dona Marina pela IGUALDADE salarial (homens X mulheres):
    – Queremos religião pá TODOS. Apois violência é pá Zé NINGUÉM! – Nem ele merece. – Elle NÃO!
    [18ago18], https://exame.abril.com.br/brasil/marina-silva-confronta-bolsonaro-sobre-direitos-das-mulheres-em-debate

  • Vieira

    A força policial do Estado cuidando de evento particular. Bom seria se, ao invés de cobrar ingresso das torcidas organizadas, pusessem uma manivela na entrada: cada um daria 150 rotações na danada, movimentando um dínamo que geraria eletricidade para Maceió e região. Garanto que depois não teriam tanta força para brigar nas ruas.

  • Há Lagoas

    Antes da escola, é em nossa casa – ou melhor – no núcleo familiar que se aprende os princípios da educação.
    Vivemos tempos tão difíceis que a falência das instituições, dificulta essa garotada a compreender o que realmente significa ser civilizado.

  • NUNES

    Infelizmente, o clássico das multidões se transformou no “clássico das mundições”.

  • Bel

    GALO sempre!!!

  • Pedra noventa

    “Mudando o que tem que ser Mudado”, no futebol e principalmente os políticos, daí teremos um Brasil melhor.

  • ROBERTO PAIVA

    RICARDO
    O CLIMA DESTE JOGO REALMENTE E DE MUITA TENSAO.
    A POLICIA TAMBEM TEM QUE SER MAIS AGIL EM DETERMINADAS CIRCUNSTANCIAS.
    OS MANDANTES DO ASSASSINATO DO GIGANTE; EX. PRESIDENTE DA TORCIDA MANCHA
    ATE O PRESENTE MOMENTO NAO FORAM IDENTICADOS.
    OS AGRESSORES DO TORCEDOR DO CRB TAMBEM NAO.
    ISTO TAMBEM CONTRIBUI PARA ESTE CLIMA DE TENSAO.
    AS TORCIDAS ORGANIZADAS EM TODO BRASIL POSSUEM SEUS CODIGOS E METODOS
    DE HONRA, NINGUEM DENUNCIA NADA. TODOS QUE SAO AGREDIDOS DAS ORGANIZADAS
    SAO PROIBIDOS DE FAZEREM O BO: BOLETIM DE OCORRENCIA.
    MAS, RESSALTO E ELOGIO O TRABALHO DO COMANDANTE DA RP TENENTE CORONEL MARLON ARAUJO
    ELE TEM CONDUZIDO A SEGURANCA DESSES CLASSICOS COM MUITA COMPETENCIA.

  • Antonio Moreira

    Era rotina – O taxista chegava apressado e pedia para o vigilante da escola chamar
    a aluna(filha dele). Um dia, O segurança lhe perguntou: O que aconteceu com o
    seu CSA para perder o campeonato? – O pai da menina se transformou num sonrisal dentro de um copo
    com água e esculhambou o Moço do portão que lhe tratava com tanta delicadeza.
    Na verdade quem ganhou último o campeonato foi CSA e o homem do taxi era/é regateaaaano doeeeente de verdade.
    Agora o “CRB” espera a saída da filha “sem pressa”, fora da escola.
    Isso é fato.

  • breno

    Inútil perder tempo e dinheiro colocando policia no estádio, pois o que as torcidas querem é exatamente irem para o confronto, eles encontrarão lugar e hora para se agredirem, então deixem eles se matar, afinal de contas vai longe o tempo que a gente podia ir ao estádio assistir uma partida de futebol.

  • ARTUR GAIA

    Quando adolescente fui a uma partida CSA X CRB, no Mutanje em companhia de um amigo CSA, fomos para a torcida do CSA claro, quando o CRB fez o gol eu gritei e vibrei, kkkkkkk e meu amigo falou : pare rapaz aqui é CSA, ninguém reagiu contra mim. E hoje ? kkkkkk

    • breno

      Hoje com certeza vc sairia no carro do IML.

  • Vassouradas das Barreiras

    Infelizmente a festa do futebol, não é uma festa de outrora e sim o momento para o torcedor confundi os seus sentimentos de amor pelo seu time e descarregar toda sua frustração de vida no torcedor “rival”. Muita polícia preventiva para evitar o pior. Já às eleições pelos menos aqui na região sul e com especialidade na minta terra onde nasci e vou morrer Coruripe, os donos do pedaço não perdem o estilo de mandar recado para quem se manisfesta contra o desmando e assume com coragem de que não vota nos Beltrão se comentam e vou me informar melhor que teve alguém que já levou o famoso cascudo para ficar calado e cadê a polícia… Está no Trapichão. Vassouradas neles

  • Mário

    Como você eu também não vou ao estádio há muito tempo, justamente por essa violência sem sentido. Lembro-me das bandeiras tremulando do CSA e CRB, da volta pra casa nos ônibus da extinta Progresso com ambas as torcidas. Hoje tem que escoltar uma torcida até a lua e a outra até marte, mas mesmo assim tem confusão. É a falência de um povo sem educação, sem cultura e mergulhado numa intolerância, em decadência profunda dos valores morais (raras exceções). E pelo andar da carruagem a bagunça tende a piorar. Triste realidade.

  • Alagoano sem esperança

    Isso é apenas um reflexo(dos tantos) da cultura do ódio que se espalhou por esse país, outrora o futebol era simplesmente uma atividade de lazer e alegria, hoje, é de preocupação. Torcidas organizadas que têm ramificação com facções criminosas, o conhecido “estágio” para atividades ilícitas. Quem torce para uma cor diferente de seu vizinho parece inimigo, cabe ao poder público expurgar esses celeiros de violência.
    Sem contar alguns dirigentes que instigam para a briga.
    Que vença o melhor.

  • Anônimo

    CRB x CSA*****

  • J. P. U. S.

    Essas torcidas que se dizem organizadas, apenas estão seguindo uma tendência, que é advinda das torcidas organizadas de times de séries superiores, onde as agressões aos rivais são os principais objetivos, consagrando assim, uma espécie de mérito, quem espancar o maior número de pessoas do grupo rival tem o respeito das demais torcidas “organizadas”, isso a nível nacional.
    Esse tipo de torcida, denominada organizada, infelizmente não está segregada à torcida comum. Por isso essa atenção tão grande das forças policiais, cidadãos de bem estão entre os delinquentes, então há o interesse de proteger essas pessoas, que por ventura, não tem nenhum vínculo com essas torcidas de atitudes maliciosas. Lamentavelmente, esse é o cenário vivido por todo cidadão brasileiro, a violência está cada vez mais vulgar, não só nos estádios de futebol.
    Como o autor mencionou em um trecho de seu texto, e eu concordo com as menções, e ainda finalizo, que, uma nação depende muito de uma educação de qualidade, onde seus povos não serão ludibriados, educação muda um mundo.

  • Adilio Faustini

    EM São Paulo as guerras entre gangues, não são torcedores, em Estádios melhoraram muito após a Lei de uma torcida só jos clássicos . Quando o mando e do Palmeiras, Corinthiano não entra e vice versa, infelizmente foi uma medida que está tendo resultados muito bons.Esporadicamente há brigas em locais distantes do Estádio marcadas pela internet .

  • ARMANDO

    De fato, uma partida de futebol, num Estado pequeno e num Estádio com capacidade reduzida, como são Alagoas e o Estádio Rei Pelé, mobilizar um aparato que envolve todo o sistema penal (Polícia Ostensiva; Polícia Judiciária: Ministério Público e Poder Judiciário) é, de fato, uma ´prova inequívoca da falência do Estado.