A faixa azul da Fernandes Lima deu seu definitivo adeus no início da tarde de ontem.

Não porque houvesse muitos carros transitando na principal avenida da parte alta da cidade – não era o caso.

Mas, como é típico do nosso comportamento no trânsito em todas as cidades brasileiras, se não há fiscalização, a ‘educação’ vai para o brejo.

Apesar de o volume de veículos ser apenas razoável naquela hora, menor até do que o normal durante os dias úteis da semana, motoristas de todas as idades, níveis de escolaridade, faixas salariais, sem discriminação nenhuma, tomaram a tal da faixa azul numa fila intermináááável, empurrando os transportes coletivos – que têm horário a cumprir – para a disputa de espaço com carros e motos nas demais faixas.

Vale o de sempre: a coisa mais democrática que existe no Brasil é a nossa falta de educação no trânsito.

E ainda bem que há pardais nem agentes da SMTT para registrar a nossa cultura de desrespeito às leis e aos demais cidadãos (aí seria indústria de multa, não é, gente?).

Há coisa mais parecida com o governo Temer?

 

Renan Filho reacende esperança de receber R$ 1,7 bilhão da Ceal 'estatal'
Lessa só fez ganhar desde que anunciou que podia disputar o governo