A Polícia Federal avançou mais ainda na investigação da Sururugate – fantasmas e laranjas na Assembleia –, no dia de ontem.

Ao todo, foram ouvidas oito pessoas, uma a mais do que as citadas na relação encaminhada por Baixinho Boiadeiro à PF, em documento protocolado.

Detalhe fundamental do inquérito que corre em segredo de justiça: seis dos depoentes são de uma mesma família de Batalha – todos parentes de um vereador de situação.

Tem de tudo: esposa, sogra e até um tio-avô do mesmo personagem.

Como já contou este blog, a PF realizou uma diligência em Batalha, na semana passada, e pôde constatar que os beneficiários do suposto esquema fraudulento vivem – na maioria – em condições abaixo do que lhes permitiria a remuneração recebida dos cofres públicos.

E mais: nenhum dos nomes dos depoentes constava do Portal da Transparência da Assembleia Legislativa – foram identificados pelas portarias publicadas no Diário Oficial.

Além disso, todos foram nomeados em maio de 2015 e exonerados em dezembro de 2016.

Para a PF, este seria um forte indício de que o dinheiro público pode ter sido utilizado na campanha eleitoral de Batalha, há pouco menos de dois anos.

 

Mãe do prefeito do Pilar pode ser suplente de Maurício Quintella
Cabeleira, Dantas, Brandão, Damasceno Freitas e Bulhões disputam o poder no Sertão
  • JEu

    E alguém tem alguma dúvida?!!! Agora, vem a PC/AL com uma “estória” de cartuchos roubados das forças armadas no Rio de Janeiro ou coisa que o valha… tudo cortina de fumaça para não ter que agir e prender os verdadeiros culpados (executores e mandantes) pelo assassinato do Neguinho Boiadeiro… e tudo para não desagradar aos “grandes e poderosos”

    • breno

      Falou pouco e disse tudo.

    • Sertanejo ENLUTADO esperando Justiça e PAZ com FÉ

      ôi, JEu!, … PARECE até q’a profícua INTELIGÊNCIA da Polícia CIVI
      continua depreciada pela vistosa e briosa FORÇA da Polícia MILITAR.
      Quem GANHA com essa desfaçatez na [IN-]segurança?
      SORTE q’outras desinteligênicias, na AGRICULTURA por exemplo, devagar e sempre FELIZMENTE desaparecem aqui do Sertão desde a UNEAL em 1994 da reta final de GB 1991-1995.
      AGORA, aos pés do Cristo da MICROONDAS em St’Ana o IFAL n’AL 130 é referência de qualidade em Ensino Público MÉDIO – gratuito!!!
      Com EXTENSÃO e pesquisas de SOLO semi-árido produzindo mêi-AGUADAMENTE com bactérias RIZOBACTER capturando nitrogênio dos 80% do AR do vento respirável GRÁTIS.
      As bactérias da NATUREZA dispensam CAROS adubos e arados que causam EROSÃO no solo: a cobertura de resíduos da SAFRA anterior FERTILIZA o solo sertanejo.
      Graças às luzes dos CONHECIMENTOS advindos da BR 316 em SATUBA, filial do IFAL da Av Barão de ATALAIA no centro da Maçayó.

  • Marcio silva

    Nos surpreende muito esse tal de segredo de justiça. Proteger com segredo quem se apropriou do dinheiro que é público.

  • felipe

    Isso vai da em nada com essa justiça fraca q alagoas tem q so protegem os politicos ate hoje melina freitas tai solta e o processo parado e olhe q desvio 16 milhoes..

  • Joâo Melo

    Segundo notícias chegada da capital do leite, só em uma família, Pai, esposa 02 duas filhas , filho e genro, colocam no bolso mais de R$ 50.000,00 mensais dos cofres públicos;

  • Observador

    QUE NOJO!

  • Batalhense

    Bora polícia civil, saiam das rédeas do governo, vocês são policiais que investigam.

  • MT

    Bom dia!
    Vai ter NADA! NÃO vai dá em NADA.
    Não é a primeira vez,nem será a última.
    Foi assim com CELSO; Fernando Toledo, Marcelo victor…..
    Aliás vai sim, Paulo será eleito DEPUTADO, para aumentar e muito e ainda mais à INVEJA; DESPEITO; RECALQUE; ENFIM o desespero de quem nunca foi nada politicamente, só bandido.
    O CAMAROTE IRÁ SER INVADIDO.
    Chore NÃO.!!!!!!!

  • YLDEGLAN o pobre de direita

    Na série da televisão botaram a fala do Jucá como se fosse Lula falando. Os esquerdopatas estão dizendo que é canalhice, que o capital estrangeiro não quer que Lula volte, preferem os entreguistas corruptos. Ora bolas, mas vai ser bom que vai fazer a cabeça de muita gente que nem eu. Afinal de contas está se combatendo o comunismo. Isso não é bom? Fora PÊTÊ.

  • Daniel

    Vejam o portal da transparencia da assembleia, so consta a partir de janeiro de 2017.
    Por que será?

  • Bruno Maia

    A matéria vem a tona e, não divulgam os nomes ou a que político estão ligados. Se o tal boiadeiro sabe de tanta coisa, tem que ser levado a sério ou preso junto com esses corruptos. Certeza que isso é briga pela poder e a concorrência em Batalha, onde o povo não ganha em nada e o dinheiro fala mais alto.

    Até que fim alguém teve coragem de denunciar corrupção, mas, dificilmente se trata de uma pessoa que não esteja ligada a maracutaia e crimes.

    Em Alagoas, todos sabem a fama dos boiadeiros e como eles ficaram ricos. Tanto é que enfrentam uma família tradicional, no caso dos Dantas. Uma briga que vai além da própria política.

    Que a justiça e as autoridades conclua logo essa Sururugate de Batalha, prenda todos que tenham que prender, pois CORRUPTO, LADRÃO E ASSASSINO tem que viver isolado e longe da população!

  • Teixeira

    Não deve ser fácil num ano eleitoral, onde a ordem é reeleger o senador, crimes como, o de Rodrigo Alapenha, que completará um ano em agosto, os órgãos de segurança, serem pressionados a dar um resposta a sociedade, pois o belo trabalho de jornalismo sem rabo preso que Ricardo Mota faz, aguça os comentários e faz de pobres, bodes expiatórios, onde familiares se assustam quando aparecem advogados pagos, sabem lá por quem, defendendo os que nada tem há ver com o crime. Presos por morarem em Alagoas com os estigmas de PPPs (pobres, pretos, Professores e P..tas). Nem que seja tarde, mas, um dia a verdade prevalecerá e no mínimo, saberemos quem pagam a advogados dos bodes expiatórios.

  • Santos

    É uma pratica comum utilizada por políticos corruptos, a nomeação de pessoas simples para receberem os salários em seus lugares. Outra pratica é pagarem um mínimo possível e embolsarem a maior parte. Mas também tem políticos corruptos que empregam várias pessoas da mesma família em cargos comissionados para serem cabos eleitorais no período eleitoral. Nas Secretarias e Superintendências da Prefeitura de Maceió tem políticos de todos os tipos e gostos, só não vê quem não quer.