O deputado-ministro Maurício Quintella tem todo o direito de manifestar sua opinião – e defendê-la – em relação ao estatuto do desarmamento (embora eu discorde dela).

Entretanto, a declaração feita por – de que o “Estatuto do Desarmamento prestou um grande serviço ao crime organizado” – precisa, no mínimo, ser relativizada e explicitada.

Vejamos: pessoas de bem são pessoas de bens?

Além do mais, não me parece que o crime organizado de colarinho branco, este que mata mais do que todos – roubo de dinheiro da Educação, da Saúde Pública – precise de armas para se concretizar (danosamente).

Se ele acha mesmo que “mais armas, menos mortes”, que defenda o seu ponto de vista, mas que esclareça o que seria o “cidadão de bem”, que precisa ter direito à autodefesa, e a que crime organizado ele se refere.

Batalha: inquérito sobre Boiadeiro relaciona denúncias contra a Assembleia
Veja aqui: JHC forma chapa competitiva para a Câmara Federal
  • Há Lagoas

    O nobre blogueiro – por vezes – é traído por suas ideologias – e eu também sou. Mas gosto de sua sinceridade e também defendo que todos tem o direito de expressar aquilo que acredita.
    A pergunta que fica é: o estatuto do desarmamento desarmou os bandidos “pés de chinelo” aqueles que se encontram nas esquinas, becos, ponto de ônibus, lotação, praças, enfim em toda a cidade, principalmente na periferia? Esse mesmo que mata nossos filhos, amigos, conhecidos e todos os vulneráveis que encontram.
    Não defendo Quintella, mas a minha consciência diz que se o estado brasileiro só tem o direito de desarmar a população quando conseguir proporcionar segurança.

    • Junior

      Falou tudo!

      • INOCENTE idoso corrompido por empresário ESPERTO: criÔnça$?

        Com CERTEZA, arma na mão de OTÁRIO despreparado é caXiBRema:
        – faria a festa da BANDIDAGEM sob protestos da parolagem desinformada;
        – e traria mais LUCROS a fabricantes de armas NACIONAIS com defeitos;
        – alguns FABRICANTES já proibidos de vender ARMAS ao estado de Sã[email protected]çP;
        [Taurus impedida de vender ARMAS pra Estado de São Paulo], 27out16
        Entre outras FARSAS, como a venda pelo ZAP de armas a bandidos.
        [20jun16], https://veja.abril.com.br/brasil/armas-de-fogo-sao-vendidas-ate-por-whatsapp
        DE Ataíde & Alexandre c’álbum ‘Do jeito que a galera gosta’ (2007)
        – Ké sabÊ o q’é Q é i$$? – CaXaça, Xifre e pôBRema, CA XI BRE MA!

        • Adilio Faustini

          Sempre tivemis Armas, meu pai desde 1930 após servir o Exercito e depois eu e meus irmãos, tambem após servir o Exercito e eu Aeronautica Quarto Comar, nunca passamos medo ou atiramos a esmo.

    • José

      Fantástico!!! Falou tudo!

    • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

      Concordando em GNG com o esposado coerente, inteligente e pertinente raciocínio, ao que adito o seguinte, a saber:
      A grande verdade é que, pelo Estatuto do Desarmamento, sancionado no primeiro (des) governo escarlate, a regra é a proibição do porte, cuja posse de armas é a exceção – Art. 6°, da Lei 10826, de 22, de dezembro de 2003 – ED.
      A proibição alcança até aos que a própria lei excepciona portar armas, quando em serviço, exclusivamente em serviço, de serviço e a serviço de segurança, fora disso o porte de arma é vetado, ilegal e proibido.
      Ou seja, todo cidadão pode possuir armas, desde que preencha os pressupostos legais do ED, mas nenhum cidadão DEVERÁ portá-la, i.e., tê-la consigo e ao seu dispor e alcance, para uso imediato, quando e se preciso for. Eis, pois, o “nó de Górdio”: poderá tê-la, mas não deverá portá-la ou usá-la quando preciso!
      Doutro giro, enquanto os meliantes, marginais, delinquentes e criminosos infanto-juvenis, desprovidos de registro, cadastro e de porte-legal, portam suas armas (de uso permitido e até de uso restrito) e de grosso calibre e, livremente, ao seu livre-nuto, alvedrio e bel-prazer, ceifam as vidas de cidadãos (com ou sem posse de armas), “institucionalizando a pena-de-morte” aos homens e mulheres de bem, honrados, honestos e decentes “dessepaiz”.
      Os “excluídos sociais” ou denominados “vítimas da sociedade”, mormente infanto-juvenis (crianças e adolescentes) podem tudo, menos estudar e trabalhar, “nessepaiz”. Eis a cruel, crua, dura e nua verdade!
      Entrementes, contudo, ainda que esteja coberto de razões procedentes, pertinentes e contundentes do autor do texto em liça, esposado e questionado por Bene Barbosa, urge destacar que não basta ter, possuir e portar uma arma para defesa, é preciso ser preciso no seu uso, manuseio e capacidade, habilidade, técnica, e, sobretudo, coragem para usar, se preciso for! Pois, não sendo preciso em seu uso, seu erro poderá ser-lhe perigoso, danoso, gravoso e fatal para si próprio ou aos seus entes queridos – sem seu uso preciso, exato, indispensável, certo e correto, a vítima poderá ser o usuário impreciso, imprudente, imperito ou negligente. Ter sem saber usar é o mesmo que não ter! – Na íntegra in http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/02/arma-poder-possuir-sem-poder-portar-e.html
      Abr
      *JG

    • Segurança Direito de Todos

      Perfeito!!!

      • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

        ERRATA AO ANTERIOR
        Aos “politicamente corretos”, “progressistas”, “humanistas, pacifistas, coletivistas, igualitários, fraternos e justos” esquerdistas de esquerda e à esquerda que me perdoem – querendo perdoar ou até mesmo tolerar e entender – sinto em desconcordar de suas ideias, ideais e ideologias, mas a coisa é muito simples, a saber:
        Atribui-se a Rui Barbosa: “Quem não luta pelos seus direitos não é digno deles”, dentre os quais a Liberdade, a Propriedade, a incolumidade, a integridade, a tranquilidade e inerentes à própria Vida enquanto pessoa, sujeito indivíduo e Ser Humano [Art. 5º caput, da CF/88 e seguintes: (…) inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, À SEGURANÇA e à propriedade, (…)], sobretudo o direito à legítima defesa da vida própria ou de terceiros, conforme estatuído no Código Penal Brasileiro:
        Legítima defesa
        Art. 25 – Entende-se em legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)
        Eis, pois, o dito bem antes por Rudolf Von Ihering: “Temos, pois, o dever de defender nosso direito, porque nossa existência moral está direta e essencialmente ligada à sua conservação; desistir completamente de defesa, o que não é muito prático, porem que poderia ter lugar, equivaleria a um suicídio moral”.
        Abr
        *JG

  • wal

    Esqueceu de perguntar a ele ( MAURÍCIO QUINTELA ),em toda sua vida política o que ele fez para redução das mortes violentas. Se tem algum projeto de lei, para garantir que os assassinos, fiquem presos até o fim da condenação.
    .
    Depois a poucos meses da eleições, todos querem aparecer, querem mostrar que estão preocupados com seu povo.
    .
    Num ver a cambada da assembléia, se reúne na casa, para fazer projeto de lei para ter HI-FI nos coletivos. Santa paciência…

  • ALAGOANO

    O que prestou um grande serviço ao crime organizado, e contínua prestando eh a classe politica corrupta, que da grande mal exemplo a todos os outros criminosos. Mas não só isso, no fundo, todos sabemos, que o que fomenta a violência, eh a falta de recursos, que foi objeto de desvios, eh o dinheiro mal empregado, eh o superfaturamento na obra, eh o conluio de bandidos políticos e bandidos empresários. Eh inclusive a falta de emprego, os outros bandidos percebe que os dirigentes do pais roubam descaradamente e não lhes acontece nada, logico se sentem no direito de roubar também. Entao isso aumenta a violência. ARMAS UMA INDUSTRIA FORTE, COM GRANDE LOBISMOS, EH DIFÍCIL ENCONTRAR ALGUM POLITICO CONTRA. PELO CONTRARIO DEFENDEM COM OS MAIS ABSURDOS ARGUMENTOS.

  • JEu

    Creio que existe um problema de interpretação do “espírito” da lei, no assunto… pois há diferença clara entre o que é “posse” e o que é “porte” de arma de fogo… a posse é o direito de ter uma arma (dentro de padrões razoáveis de segurança) em sua casa, para defesa de seu lar e de sua vida e de seus familiares… já o porte de arma é o direito de portar (ou conduzir consigo) uma arma, quer ostensiva, quer discretamente, uma arma de fogo, seja por motivo de trabalho ou ofício (policiais, segurança patrimonial e outros), seja por direito legal (advogados, juízes e outros)… assim, entendo que há hoje uma necessidade de retorno ao direito (lógico que com restrições legais) de ter uma arma em sua casa… pois em sua casa (que pela CF/88 é inviolável) o cidadão tem melhor controle da situação, podendo opor ação de resistência com relativa segurança… enquanto que nas ruas, bem poucos são capazes de fazer frente à uma ação de assaltantes armados, e só os mais bem treinados policiais e seguranças são capazes de manter o domínio (territorial e emocional) em uma situação dessas… portanto, concordo em parte tanto com o que se falou no blog quanto com o comentário do Há lagoas… pois se há necessidade do Estado melhorar (e muito) sua capacidade de garantir a segurança de todos os cidadãos, também há necessidade de se por um freio (e bem grande) nos corruptos e corruptores que tanto matam tanto o corpo quanto a alma(indiretamente, porém seguramente) quando desviam verbas que deveriam garantir a todos o direito à saúde, à educação e ao emprego e geração de renda, que é o que dá dignidade a todo ser humano…

  • GOMES

    Concordo com o comentário anterior, o estatuto do desarmamento só desarmou os homens de bem que tinham as suas armas registradas para sua defesa e os bandidos temiam, pois sabiam. No entanto, infelizmente não houve o desarmamento dos bandidos, ao contrario, ha um armamento desenfreado deles, consequência do que estamos vivenciando atualmente, uma verdadeira guerra desigual e sem controle, nunca vista nesse país, que as estatísticas estão ai para comprovar!!!

    • Eleitora

      Concordo plenamente, quem tem porte de arma, que é muito difícil de conseguir, deveria ter o direito de usar a arma para se defender e a sua família.
      Os bandidos estão super armados e ameaçando a população inocente.

  • Gerson M Souza

    Especialista em Segurança Pública.

    Tudo bem!! Se querem armar o cidadão para que tenha a posse de uma arma de fogo em sua residência que o faça, mas por favor, tem que haver uma análise profunda no equilíbrio(perfil) deste cidadão, no contrário gera violência.

  • Diógenes Paes

    Caro jornalista Ricardo Mota, a opinião do ministro desse governo GOLPISTA do qual ele e sua turma do PR (fisiologista de carteirinha) tem moral política de falar sobre segurança pública, por vários mandados na câmara federal e sendo apoio do governo do PT e agora do VAMPIRO NEOLIBERAL, nunca apresentou ou falou de projetos sobre a área, recheado de oportunismo e demagogia, ele e outros pleiteiam uma vaga do no senado, nós alagoanos temos um arquivo enorme para posta nas redes sociais suas atuações pifes, sorrateiras e oportunistas, ao seu bem comum e sua turma. Estamos cansados desse tipo de politico.

  • WELDER

    A única ressalva que faço é que se paramos pra pensar a quem a PF liberava o porte de arma no Brasil? A reposta é simples as pessoas que tem um poder aquisitivo mais elevado ou alguém ligado a segurança pública, faço aqui este aparte, pois é um bom assunto de debate. E sobre a política, principalmente a alagoana é triste notar que enquanto tivermos apenas: Collor, Calheiros, Lessa, Lira, Quintela, Vilela, Palmeira, Caldas, Albuquerque, Tenório, L Pedro, entre outros como alternativa, este estado nunca vai pra frente, ACHO UMA IMBECILIDADE NÓS BRASILEIROS FICARMOS DEFENDENDO LADO A OU LADO B, SENDO QUE TODOS OS LADOS ESTÃO NO MESMO BARCO DA CORRUPÇÃO!

  • SH

    Concordo com “Há Lagoas”
    Aqui em Minnesota nos EUA tem mais armas que habitantes e o número de assassinatos é 1 pra 55 mil, aí em Alagoas onde só bandido tem arma a proporção é de 1 morto pra 1mil e setecentos sobreviventes!

    Aqui bandido tem medo de invadir a casa ou comercio de alguém pois sabe que se for surpreendido leva bala, na bananalândia só resta ao proprietário rezar ou tentar dar uma vassourada no invasor.

  • Melquisedeque

    Mota, boa madrugada.

    A questão do desarmamento muito simples. Se propagou que a violência advinha da posse e porte de arma do cidadão. Fez-se campanha maciça para que houvesse o desarmamento. Houve uma adesão grande, com pessoas entregando até garrucha velha e enferrujada. Tudo em troca de uma graninha prometida e paga pelo governo.

    Maravilha, melhor dos mundos, acabaríamos com a violência, cidadão protegido, etc, etc, etc.

    Resultado prático: violência desmedida, aumento do contrabando de armas, bandidos mais armados que as forças policiais (imagine o mero cidadão), número de mortes alarmantes em todo o país.

    Não adiantou tirar a arma do cidadão de bem, daquele com que a tinha em casa para sua defesa.

    Pode falar o que quiserem, mas a violência dos chamados movimentos sociais, dente eles o famigerado MST, armado e treinado para invadir e conquistar propriedade que não lhe pertence, não existiria se o produtor pudesse estar preparado para defender o que é seu, na mesma medida em que é agredido e tem seus bens confiscados, roubados e destruídos.

    Não é só o desarmamento da população que resolve o tema violência, isso passa também pelo conjunto de leis brandas e ineficazes, pela desgraça chamada progressão de pena, pela certeza da impunidade

    Ou seja, assim como disse Einstein, tudo é relativo.

    Se me perguntarem se sou a favor da violência, direi que não, mas conforme foi comentado la em cima, enquanto o Estado não proporcionar a devida segurança, serei a favor da posse de arma de fogo para proteção da propriedade e da família, sem nenhum tipo de hipocrisia e sem a necessidade de ser politicamente correto.

  • João Gomes

    Desarmamento em debate hoje 28/02 na GloboNews as 21h30 com Alexandre Garcia.

  • Adilio Faustini

    O que justifica um reservista das FFAA altamente preparado depois de servir o Serviço Militar ser proibido de possuir uma arma? É um Soldado da Pátria apto a protegerr sua familia,seus vizinhos e si próprio.

  • breno

    Quer dizer que os criminosos de colarinho branco aos quais vc se refere não possuem capangas armados até os dentes?

  • Jose Carlos Lopez

    Engraçado perceber que dependendo do mensageiro a mensagem ganha toda uma carga de preconceito. Se alguém que o blogueiro entende comprometido com mazelas fala sobre o desarmamento, logo vem o comentário para “relativizar”. É mesmo Ricardo Mota?
    Quer dizer que pela sua régua só os “puros” podem falar livremente sobre assuntos que atormentam a nação?
    Não conheço Maurício Quintela, não faço juízo de valor, mas ele falou o que a MAIORIA da população quer. Digo MAIORIA porque isso ficou bem definido no referendo em 2005. Pelo fim do Estatuto do Desarmamento e pelo direito à posse e ao porte de arma pelos cidadão de bem (mediante criterioso exame), e quem abusar que seja colocado na cadeia. Chega de medo, chega de restrições para frequentarmos sairmos na rua ou até mesmo dormirmos numa casa de praia. Devemos exigir leis rigorosas e ações públicas, mas ao mesmo tempo assegurar o direito do cidadão, inclusive o da legítima defesa. Parabéns ao deputado Maurício Quintela, como também ao deputado Bruno Toledo por ter coragem de enfrentar o “politicamente correto e bacaninha”, que só ferra todo mundo.