Pode, sim, ser considerada positiva a posição do juiz Ygor Figueiredo que presidiu a audiência pública sobre os pardais.

Defendendo a necessidade de seguir os trâmites legais, ele se disse favorável à fiscalização eletrônica (os pardais) do trânsito.

Deve saber que o Brasil mata, por ano, 47 mil pessoas nas ruas das cidades e rodovias espalhadas pelo país.

Saber Direito há de ser também saber direito como nos comportamos em relação aos outros.

Ainda não foi definida a questão, mas a presença do magistrado pode ser uma sinalização importante.

Família Boiadeiro elogia investigação e pede que governo mantenha imparcialidade
Renan Filho traz de volta ao Palácio marqueteiro de Cícero Almeida
  • Carlos Ferreira

    Esses pardais irão financiar a campanha do Rui para o governo.

    • Eleitor

      Basta vc obedecer às normas que n será multado, simples assim!

      • Cícero Piti

        É somente colocar quebra molas de concreto estilo aqueles em frente ao Chalé suiço os Fetiche, todos os motoristas diminuem a velocidade. Já o pardal facilita a fulga para o bandido, pode-se observar que o número de assaltantes em fulga aumentou com os pardais. Pardal na verdade é só pra assaltar o motorista certinho, pois há uma quadrilha que anda com carro estouro e não tá nem aí pra os pardais. Já o quebra molas todos respeitam.

        • Amauri M neto

          Essa foi boa. Dizer pra retirar o pardal porque facilita fuga de bandido! kkkkk. conta outra bicho. Faça sua parte, passe por ele a 40Kmh que nunca vai dar um trocado pro RUI. Preferir quebra molas a pardal é a coisa mais retrograda que existe. Alem de muitos serem pessimamente construídos, danificando o piso do carro, desgastando amortecedores, suspensão. Quem conhece, sabe que se passa de lado, pode piorar a situação dos equipamentos do carro. Fora que é praticamente impossível passar por um a mais de 40 por hora, enquanto que o pardal dá a oportunidade de passar a até 60km sem multas e sem danificar o carro. A população não consegue ver vantagem nos pardais, talvez o motivo seja não conseguir respeitar a sinalização mesmo!

      • Quitério Matias

        Isso se os pardais estiverem aferidos pelo orgão competente, o que não é o caso uma vez que estão viciados e sempre registram velocidade a mais, o que foi comprovado com foto do velocimentro do carro com o mostrador do pardal.

  • Nado

    FORA PARDAIS!!!!

  • divaldo

    Se todos respeitarem a sinalização nao havera industria de multa.

    • Santos

      o problema é a quantidade de pardais em uma cidade que não tem segurança nenhuma

    • Zenilda Oliveira

      Concordo plenamente, só leva multa quem não respeita as leis de trânsito. Os donos do mundo, irresponsáveis de plantão, o semáforo fecha e passa de 3 a 4 carros uma absurdo total,só obedece quando mexe no bolso. Nunca cooperei com industria de multas, Prefeito nenhum vê meu dinheiro.

  • JEu

    Parabéns Juiz Ygor Figueiredo pelo posicionamento em favor da vida, bem supremo de cada ser humano… Quanto aos que pensam em contrário, que vão aprendendo a obedecer às regras do trânsito… pois se em uma via a velocidade máxima permitida for de 60 Km/h, não tem porque andar em velocidade superior… se o veículo da frente já vai nessa velocidade, então não tem porque ultrapassar… agora, se o veículo da frente vai, por exemplo, a 50 km/h então pode ultrapassar observando as regras para a segurança… como por exemplo: ser local permitido para ultrapassagem, fazê-lo sempre pelo lado esquerdo (a não ser em via dupla de sentido único), e não utilizar a faixa azul para fazer a ultrapassagem… tudo muito claro…

    • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

      Foi-se o tempo do “império da vontade do príncipe”, que sucumbiu ao império da lei ou da LEGALIDADE, que específica, estabelece e determina os indispensáveis pressupostos ou pré-requisitos para a fixação dos referidos preciosos “precisos pardais” em nada precisos.
      Simples: respeitem, sigam, obedeçam e os cumpram, para pulverizar tais “pardais precisos” nos locais onde for preciso e dentro desses tais pressupostos e regras estabelecidos com suas imprescindíveis sinalizações e estaremos acordes, cientes, ciosos e conversados.
      Senão vejamos!
      Cumprir às leis? É disso que estamos tratando, claro!
      Aliás, “II – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei; – Art. 5º, da CF/88.
      Há mais de um CTB? Creio que não, a saber:
      Art. 43. Ao regular a velocidade, o condutor deverá observar constantemente as condições físicas da via, do veículo e da carga, as condições meteorológicas e a intensidade do trânsito, obedecendo aos limites máximos de velocidade estabelecidos para a via, além de:
      I – não obstruir a marcha normal dos demais veículos em circulação sem causa justificada, TRANSITANDO A UMA VELOCIDADE ANORMALMENTE REDUZIDA;
      II – sempre que quiser diminuir a velocidade de seu veículo deverá antes certificar-se de que pode fazê-lo sem risco nem inconvenientes para os outros condutores, a não ser que haja perigo iminente;
      III – indicar, de forma clara, com a antecedência necessária e a sinalização devida, a manobra de redução de velocidade.
      Art. 61. A velocidade máxima permitida para a via SERÁ INDICADA POR MEIO DE SINALIZAÇÃO, obedecidas suas características técnicas e as condições de trânsito.
      §1º Onde não existir sinalização regulamentadora, a velocidade máxima será de:
      I – nas vias urbanas:
      a) oitenta quilômetros por hora, nas vias de trânsito rápido:
      b) sessenta quilômetros por hora, nas vias arteriais;
      c) quarenta quilômetros por hora, nas vias coletoras;
      d) trinta quilômetros por hora, nas vias locais;
      II – nas vias rurais:
      a) nas rodovias:
      1) cento e dez quilômetros por hora para automóveis e camionetas;
      2) noventa quilômetros por hora, para ônibus e microônibus;
      3) oitenta quilômetros por hora, para os demais veículos;
      b) nas estradas, sessenta quilômetros por hora.
      §2º O órgão ou entidade de trânsito ou rodoviário com circunscrição sobre a via poderá regulamentar, por meio de sinalização, velocidades superiores ou inferiores àquelas estabelecidas no parágrafo anterior.
      Art. 62. A velocidade mínima NÃO PODERÁ SER INFERIOR À METADE DA VELOCIDADE MÁXIMA ESTABELECIDA, respeitadas as condições operacionais de trânsito e da via.
      Espero não ser preciso desenhar nem explicar o desenho! 😉
      Abr
      *JG
      P.S.: Convém não olvidar ao teor do Art. 320, do CTB! 😉

    • Justiça para Alagoas

      JEu concordo com vc, mas onde estão os agentes da SMTT quando há a necessidade de fiscalização em outros pontos que não os fiscalizados pelas câmeras? Pois a barbeiragem é grande, estacionar em local proibido, tomar vaga de idosos com seus carrões de luxo(isso é o que realmente acontece), isso também coloca a vida de pedestres e motoristas em perigo podendo causa acidentes graves também, não só os excessos de velocidade, furar sinal vermelho ou as pessoas não pensam nisso?

  • Pouca vergonha

    Pardais estão irregulares! Sai câmeras escondidas, tipo Silvio Santos, em curvas, por traz de árvores, ……. Se for consideradas legal aí tem que tirar todos os quebra molas das ruas e adotar os pardais! Mas pelo que vemos só São colocados em avenidas de grandes movimentos, claro, pra ter lucro! Na minha rua tem dois quebra-molas mas não tem muito movimento, aí não tem lucro, e, portanto, não se coloca os pardais! A vida na minha rua pode correr riscos! não tem muito movimento/não tem lucro/ não tem pardal! Pouca vergonha! E a justiça, ainda, quer concordar com esse tipo de extorsão que usa o dinheiro público pra campanha do Rui ao governo! Ficar atentos: o nome do prefeito candidato ao governo é Rui dos pardais.

  • Everaldo Bezerra

    Se essa pouca vergonha for legalizada, o candidato que em sua campanha disser que vai tirar essa industria de multas, com certeza vai ter o meu voto. já disse uma vez aqui nesse blog, se é pra diminuir a velocidade nas vias por que não coloca lombadas, mas já sei não dá dinheiro pra caixa dois.

    Resposta
    Acho que em cada lado da Fernandes Lima cabem umas vinte lombadas.
    Que bela solução!

    • Fernando

      Everaldo, que pensamento tacanho. Percebe-se pelo seu discurso de ódio que você é um infrator das leis do trânsito. É por causa de pessoas como você que o Brasil nunca será um país civilizado!!!

  • Melquisedeque

    Olha, não podemos cobrar aos corruptos, aos fora da lei, se nós mesmo não as cumprimos.

    Não quer levar multa, ande na velocidade correta e tchau.

    Por mim pode encher a cidade, que seguirei não tomando multa.

    • Agente fiscalizador Sonegador de IPVA

      Gostaria que tivesse na verdade um pardal para pegar os carros de funcionários da SMTT que dirigem carros com o IPVA atrasado. Quebra molas de cimento todos teem que diminuir a velocidade

  • Tony

    Os pardais podem ser manipulados a qualquer momento. O que a SMTT precisa é colocar seus Agentes nas ruas para fiscalizar, e principalmente, para orientar o trânsito caótico de Maceió. O que vemos atualmente é um trânsito desorganizado por falta de Agentes de Trânsito nas ruas.

  • paulo roberto da silva

    até concordo com os pardais em parte prevenir acidentes,mais a segurança do condutor e família ficam onde quando diminuem a macha e os bandidos ficam na frente do seu carro com uma arma na mao.

  • marcos antonio da silva

    PARDAIS DEVEM SER COLOCADOS EM LUGARES QUE REALMENTE TEM PERIGO DE ACIDENTES, E NÃO ESPALHAR PARDAIS POR TODOS OS LUGARES DA CIDADE. É CLARO QUE TEM FIM LUCRATIVO SIM. UM JUIZ PODE ATÉ CONCORDAR COM O AUMENTO DE ACIDENTES CAUSADOS POR ALTA VELOCIDADE, MAS ELE NÃO PODE DECIDIR ONDE OS PARDAIS PODEM SEREM INSTALADOS, QUEM DECIDE ISSO É UM LAUDO TÉCNICO EMITIDO POR UMA PESSOA COMPETENTE COM CONHECIMENTO NO ASSUNTO E NÃO UM JUIZ.

  • juceran

    Quantos acidentes houveram nos locais que tem PARDAIS? Com eles ligados ou não.

  • wevison santana

    Nobre Ricardo Mota, nada como ser um pobre mortal para praticar atos como qualquer cidadão nesta órbita ( estacionar veículo em cima da calçada em uma agência bancária ), sabe aquela história que diz: “é rapidinho”.

    Abraços.

  • Ivanildo

    Só existirá a “indústria da multa” se existir quem a alimente. Seja um condutor invisível as fiscalizações eletrônicas e aos agentes de trânsito. Como assim? É simples. Respeitando as sinalizações e as regras de trânsito você nunca será multado. É como se você não existisse para aqueles que arrecadam dinheiro com multas. Manutenção de fiscalização eletrônica de trânsito custa caro, e se não houver retorno elas simplesmente deixara de existir. Seja invisível a eles. Respeite as regras de trânsito.

  • Dimas

    Tem que multar mesmo, todos sabem quais são os limites de velocidade nas vias, se descumprem têm que ser punidos. Esses que reclamam são os maus motoristas, e o que é mais grave, muitos deles são profissionais do volante que deviam se preocupar com a segurança dos seus passageiros, mas só olham para seus bolsos e vivem cometendo irregularidades, arriscando a vida de inocentes. Quem dirige sabe do que estou falando.
    É simples, se não quer ser autuado, respeita o limite de velocidade!! A lei é para todos!

  • Daniel

    Em Nova Iorque o limite de velocidade é de 40 km em todas as ruas da cidade. Anda na linha que não leva punição, fica a dica.

  • Marcelo

    Pardais não poupam a vida de ninguém. A prefeitura insiste em ativa-los com a pretensão de roubar o contribuinte. Esses pardais não mostram a velocidade do veículo, que é uma obrigação do sistema eletrônico, para dirimir dúvidas. Como saber se realmente alguém passou acima da velocidade da via? Acreditar que o equipamento está regulado? Só para trouxas pensar que o equipamento está realmente calibrado! Essa indústria da multa precisa acabar. Pesquisas têm demonstrado que pardais não diminuíram os acidentes nas vias. A prefeitura só insiste nos pardais porque querem dinheiro fácil.

  • Boleado Jr

    Basta respeitar as normas que ninguém será multado. O problema é que nós, Brasileiros gostamos é de bagunça!

  • Weriton

    Trata-se de uma arrecadação sem finalidade onde políticos utilizam tais recursos como querem. O próprio governo do Rio já quis, em outro momento, receber dinheiro de multas antecipado. Locais onde não tem registro algum de acidentes foi alvo da instalação de tais equipamentos. Sem falar que a Versis, empresa dos pardais, é a mesma envolvida em financiar a campanha do Marcelo Deda em Aracaju! Precisa de algo mais???

  • de olho

    Governantes criam indústria da multa e esquece de fazerem a parte deles basta ver péssimas condições de ruas e estradas.

  • Thiago

    Tirei minha carteira de habilitação em 2002 e nunca levei multa alguma, ando rigorosamente dentro da leis, logo não estou nem um pouco preocupado com os tais pardais, por mim tinha pardais e câmeras em todas as ruas da cidade, eu acharia ótimo, só os corruptos e desonestos não iriam gostar.

  • Fernando S.S

    Sem chorumelas e bajulamentos.
    Primeiramente devesse pensar na infraestrutura das vias e investir em sinalização e educação no transito. Como poder penalizar ou “fiscalizar”, se o município não oferece vias seguras e sinalizadas?
    Cadê as faixas refletivas? Retornos de quadras? Agentes auxiliando a fluides do transito? Padrão de lombadas (Que na verdade são quebra suspensão e outras peças)? Cadê as campanhas ativas do dia a dia ?. Bem são tantas perguntas que devem respondidas. Todo essa campanha de instalações de radares e em prol de algum interesse para beneficiar os cofres e não em prol de ajudar a fluides e segurança no transito!
    Esta é minha opinião e deve sim ser discutida para construir soluções ao invés de criticas ou defesas.

    • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

      Complementando ao que fora assestado acima, pelo leitor “Fernando S.S”, a saber:
      “P.S.: Onde as faixas de segurança e de pedestres nos cruzamentos das vias calçadas e/ou pavimentadas, com ou sem semáforos, sinalização horizontal, vertical e aérea ou sonora, nas esquinas da cidade? Vale dizer: o CTB só funciona, presta e vinga, literalmente, onde houver instalação dos “precisos pardais” ou vídeo-sensores eletrônicos digitais”; fora dessas vias a vida humana não tem nenhuma valia; ou não?” – Na íntegra in http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/07/as-renitencias-inflexiveis-de-pardais.html
      Abr
      *JG