O tom da carta enviada à imprensa pela família de Neguinho Boiadeiro – vereador assassinado em Batalha – surpreendeu a todos os que esperavam uma manifestação de protesto contra os rumos das investigações policiais sobre o caso. 

Inicialmente, pelo apoio dado à “primeira fase” da investigação, que resultou em algumas prisões – embora eles cobrem os nomes “dos mandantes do crime”. 

Há algo mais a ser destacado: a família pede que o “Governo do Estado e suas autoridades constituídas se mantenham imparciais” – o que é uma sinalização positiva, de independência, para o trabalho que vem sendo realizado pela polícia.

 A nota traz algumas críticas, porém, que devem ser consideradas.

 Levar o tema para as autoridades federais, até pelo histórico de Alagoas, parece ser mesmo uma iniciativa sensata.

 Eis a nota:

 A família Boiadeiro, diante das últimas notícias divulgadas pela imprensa acerca dos mandados de prisão e de busca e apreensão expedidos e cumpridos no âmbito do inquérito policial que investiga o bárbaro e covarde assassinato do querido filho, pai, irmão e avô, Adelmo Rodrigues de Melo, o Neguinho Boiadeiro, vem a público se manifestar com serenidade para afirmar que as autoridades policiais e do Ministério Público estão no caminho correto!

Os indivíduos presos participaram ativamente do pusilânime assassinato do vereador mais votado nas últimas eleições municipais de 2016 na nossa cidade de Batalha, o nosso inesquecível Neguinho Boiadeiro, porém, como afirmaram categoricamente as autoridades policiais e do Ministério Público, essa é a primeira etapa e urge avançar na descoberta e exposição dos mandantes políticos do selvagem assassinato que, infelizmente, ainda não foram revelados.

Esperamos que as prisões temporárias efetuadas nessa primeira etapa sejam mantidas e transformadas em prisões preventivas. Seguramente, a manutenção dessas prisões levará às autoridades aos mandantes e pistoleiros ainda não revelados desse selvagem assassinato. Outrossim, comunicamos a toda a sociedade alagoana que os Boiadeiros não descansarão enquanto os assassinos não estiverem na cadeia.

Não queremos vingança. Queremos justiça! Nossa família, humildemente, requer às autoridades alagoanas que não nos persigam, não adentrem em nossos lares pela madrugada, não nos intimidem com ameaças, com truculência, empunhando armas de alto poder de fogo, porque não abriremos mão de procurar justiça. Salientamos que desde o assassinato de Neguinho Boiadeiro, nossa família, enlutada, vive na diáspora que nos foi imposta, com nossos familiares tendo que sair de seus lares por causa de pressões advindas de diligências policiais que não primam pela isenção e muitas vezes materializam verdadeiros abusos, razão pela qual rogamos ao Governo do Estado de Alagoas e suas autoridades constituídas que se mantenham imparciais, republicanas e cumpridoras da lei, respeitando os nossos direitos.

 

Por fim, os Boiadeiros reafirmam a confiança nas autoridades constituídas, anunciando que darão publicidade nacional, inclusive comunicando a Comissão dos Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados, em Brasília-DF, à OAB Nacional e à toda imprensa brasileira sobre este caso e a perseguição desumana e irracional que sofre a nossa família. Toda a sociedade da nossa estimada cidade de Batalha/AL sabe que o nosso querido Neguinho Boiadeiro era um servidor do povo. Seu mandato era exercido em nome e em benefício do povo. Sua atuação política sempre foi para ajudar aos mais necessitados. Nossa dor será eterna pela sua ausência.

Jamais esqueceremos do nosso amado Neguinho Boiadeiro.

Veja aqui: JHC forma chapa competitiva para a Câmara Federal
Magistrado que presidiu audiência se diz favorável aos pardais
  • João Bosco

    Mais um pouquinho e a família dirá que Renan Pai é um estadista, Renan Filho, um governador competentíssimo, Batalha, um paraíso celestial, e a morte do Neguinho ocorreu por obra e graça do divino Espírito Santo; e, portanto, contra os desígnios divinos, não há como protestar.

    • Há Lagoas

      Em se tratando de Alagoas e tendo como palco o sofrido Sertão a sobrevivência política é mais importante do que a justiça.
      Espero sinceramente que a família saiba o que realmente escreveu e que o tempo demonstre que as instituições em Alagoas já amadureceram o suficiente para ter independência.

    • Breno

      Falou pouco e disse tudo. Cadê os mandantes? E as motivações ?

  • Pedro Anastácio de Arruda

    Inocentes, os Boiadeiros não são! Sempre impuseram o medo como forma da manter o poder e o domínio em Batalha. Agora pagam de “pessoas de bem que querem justiça”. Enfim, estão colhendo o que plantaram por muitos anos na região. Muito me admira o espaço concedido a esse povo caso nessa coluna.

  • JEu

    Diz o ditado que “quem tem telhado de vidro não deve atirar pedras nos telhados alheios”!!! Assim fez a família Boiadeiro… afinal, canja de galinha nunca fez mal a ninguém… agora, que fique bem claro que é preciso que se divulgue os nomes dos mandantes e os motivos que deram causa ao ato criminoso sejam divulgados o mais rápido possível… (antes do prazo para a indicação dos nomes dos candidatos ao pleito deste ano, por exemplo), para que fique bem visível a “imparcialidade” do governo…

  • Robisval

    Nada melhor do que ser imparcial nas investigações, diante desta imparcialidade é que essa família boiadeiro começa a acreditar na segurança de nosso Estado.

  • amorim

    Não devemos sair em defesa de nenhuma família nesse caso, devemos sim, procurar o caminho da justiça, para que as pessoas antes de se sentirem donos de um povo ou de uma cidade, saibam que a justiça existe e os seus detentores sabem exerce-la com maestria;É verdade, aí não tem ninguém inocente, é cobra engolindo cobra, e medir forças dentro desse contexto, em nada beneficia o povo ordeiro de Batalha. Não me agrada quando alguém rotula que duas famílias mandam nesse cidade, tanto é que o crime partiu de outra corrente, segundo as investigações policiais.

  • Fernando Trigueiro

    Toda sociedade alagoana conhecem bem as famílias e o modus operandi das mesmas,gostaríamos de acreditar que as autoridades estão trabalhando com imparcialidade, porém as notícias que chegam em nossa capital deixam lacunas abertas, dizem que um determinado secretario que teve seu nome divulgado pela própria polícia, que foi procurado em Maceío e na cidade de Batalha, circulava livremente pela referida cidade sem maiores problemas, queremos acreditar que houve algum engano por parte das autoridades.

  • lopes

    É incrível como todo mundo hoje em dia fala de “cidadania”, sem nunca ter sequer desconfiado que ela não pode existir sem um preparo mínimo para a busca da verdade nas questões públicas. Isso faz parte da educação ginasial. Antes eu pensava que no Brasil não existia educação universitária, agora percebo que não existe educação nenhuma.

  • carlos

    Se o governador exigir que o crime seja esclarecido doa em quem doer e a verdade seja o caminho para a justiça fazer o seu papel. Ele tem muito mais a ganhar do que ser omisso para querer agradar o lado mais forte politicamente falando… O pai do governador com os seus pecados não tem histórico de violência com derramamento de sangue por espaço político.