Além dos onze deputados e ex-deputados investigados – e provavelmente indiciados – na Operação Sururugate (a Taturaninha), pelo menos dois outros nomes deverão entrar nos novos inquéritos realizados pela Polícia Federal na Assembleia Legislativa.

Segundo uma fonte da própria Casa de Tavares Bastos, que sabe muito sobre a turma de lá, seriam um ex-deputado e uma ex-deputada. Os dois teriam praticado as mesmas brincadeiras dos ex-coleguinhas.

Detalhe: pelo menos um deles, adiantou o assembleista, deve disputar vaga na Assembleia em 2018.

Com exceção dos novatos na crônica político-policial, ainda aturdidos, todos apostam que o tempo vai fazer o que sempre fez nesses casos (apesar do esforço da PF): acalmar os ânimos e passar o pano do esquecimento em mais esta história escabrosa.

Disputa para federal em família: Tereza Collor x Arnon de Mello Neto
Em nota oficial, Executiva Regional do PT explica negociação com governo Renan Filho
  • JEu

    Só tem um jeito de acabar com essa safadeza: o povo exigir o fim imediato do foro privilegiado e da im(p)unidade parlamentar… aí o Juiz singular poderia expedir os devidos mandados de prisão preventiva… e com a vantagem de que, como consequência, teríamos uma melhoria muito significativa nas estruturas das cadeias e das penitenciárias (é só lembrar o caso recente da sala cinematográfica que foi implantada na cadeia onde está o Sérgio Cabral)…

  • Joao da TROÇA anarco-carnavalesca BACURAU da Rua NOVA do Sertão – em St’ANA!

    Ricardo, … TIMÃO completo … “11 deputados e ex(investigados) provavelmente indiciados – Op$ $ururugate (a Taturaninha)” {R Mota acima]
    Quem seria(M) os timoneiros, perguntamos aqui do SERTÃO imaginando barulhinho BOM e prazeroso de LAGOA, omelete em casa VÓ e mãe dizia ‘fritada’ de SURURU da Vila, Mundaú, MANGABA.
    > PANDEIRO namora viola e na roda é o POVO que canta
    – Mas o dono do BAR só dá liberdade se for um bom SAMBA [SURURU], Martinho
    https://www.vagalume.com.br/martinho-da-vila/sururu.html
    Aí o RATO roeu a roupa do REI [ou não?], restam RUÍDOS, furdunço
    > Eu vim pro lugar ERRADO, o Q tá acontecendo – FURDUNÇO?
    – Isso aqui é SURURU – casa do seu Zeca, td @mundo é + d 1!
    [Rei da CACIMBINHA], https://www.vagalume.com.br/o-rei-da-cacimbinha/furdunco-e-sururu.html

  • marcelo

    Só existe duas maneiras de acabar com essa safadeza eterna. Acabar com essa Assembléia, fechar a porta e jogar a chave no mar ou o pagamento dessa cambada ser feito diretamente pelo estado. Pronto, simples assim.

  • HELIO JOSÉ DESMENTE MEIRELLES!

    A ‘PREVIDÊNCIA SOCIAL’ Ñ É DEFICITÁRIA 2° OS AUDITORES FISCAIS DA RECEITA FEDERAL E AGORA O RELATOR DA CPI DA ‘PREVIDÊNCIA’ SENADOR HELIO JOSÉ DO ‘PROS’ CONFIRMOU Q/A ‘PREVIDÊNCIA’ NÃO É DEFICITÁRIA, CONFIRMA OS RESULTADOS DOS AUDITORES FISCAIS!!! NO CONTRÁRIO A VERSÃO DO MINISTRO MEIRELLES Q/TEIMA EM MENTIR AO DIZER QUE A ‘PREVIDÊNCIA’ SOCIAL É RESPONSÁVEL PELO DÉFICIT ORÇAMENTÁRIO ATUAL DE ALGO EM TORNO DE R$ 150 BILHÕES, MAS ESCONDE O FALAR QUE ELE MESMO MEIRELLES JOGOU FORA, TORROU COM A ‘CIRANDA FINANCEIRA EM 2017 SÓ R$ 1,031 TRILHÃO PELOS CÓDIGOS ORÇAMENTÁRIOS DE ‘USO EXCLUSIVO’ DA CIRANDA FINANCEIRA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL:
    25.000 = R$ 18,56 BILHÕES!!!
    71.000 = R$ 534,38 BILHÕES!!!
    74.000 = R$ 29,35 BILHÕES!!!
    75.000 = R$ 448,80 BILHÕES!!!
    A FALSA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL É O VERDADEIRO ROMBO BRASIL E NÃO A PREVIDÊNCIA SOCIAL QUE É SUPERAVITÁRIA, AO PONTO DE MEIRELLES DESVIAR CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS Q/SÃO PAGOS ANTECIPADOS/CONSIGNADOS A ‘APOSENTADORIA’ PARA PAGAR OS IMORAIS JUROS COMPOSTOS DA ‘CIRANDA FINANCEIRA’!!! ENTRE 2006 A 2015 O SUPERÁVIT DA PREVIDÊNCIA FOI DE R$ 598,7 BILHÕES E ONDE FOI PARAR TANTO DINHEIRO? EM JUROS DA ‘DÍVIDA PÚBLICA’!!! E AINDA TEM ‘EQUUS ASINUS’ Q/DEFENDE!!!
    FORA MEIRELLES AO LADO DE PALOCCI.
    SDS/DEMOCRATAS
    Domingos Correia.

  • Bel

    SÓ VOTO EM ALGUEM, QUANDO ACABAR A IMPUNIDADE PARLAMENTAR.

  • Ricardo

    Enquanto esses deputados se deliciam com milhões roubados, seus eleitores morrem de fome num estado sem lei, consequentemente sem justiça.