Estamos encerrando o Setembro Amarelo, dedicado à prevenção e debate do suicídio, tomando conhecimento da extensão da tragédia no Brasil, mas com pelo menos com uma boa notícia: Alagoas ganha, a partir de segunda-feira, um posto do CVV – Centro de Valorização da Vida -, que realiza um trabalho voluntário e muito êxito numa questão tão delicada.

Coordenador Nacional do CVV, o professor João Régis da Silva é o convidado do Ricardo Mota Entrevista desta semana – às 10h30, na TV Pajuçara.

O tema é tabu, é verdade, mas é preciso falar com serenidade sobre ele, acentua o coordenador do CVV. Ele vai além: afirma que “a família tem de conversar sobre o suicídio”, como a melhor forma de prevenção.

Os números lhe dão razão: o relatório do Ministério da Saúde aponta que ocorrem no Brasil, a cada ano, quase 12 mil suicídios, a quarta causa da morte de jovens na faixa de 15 a 29 anos no país.

O CVV acumula história e experiência no relacionamento anônimo com as pessoas que buscam socorro.

Como trabalha esta organização não governamental?

Como as pessoas podem ajudar na condição de voluntários?

Por que o melhor é falar sobre o tema, mesmo entre aqueles que já perderam alguém por suicídio?

O professor João Régis responde com a tranquilidade de quem sabe que é possível, sim, mudar decisões que parecem irreversíveis.

É conferir.

Ricardo Mota Entrevista

Domingo, às 10h30, na TV Pajuçara

Convidado: Prof. João Régis da Silva – Coordenador Nacional do CVV

 

PMDB vai perder o P, mas não quer perder poder
Aécio Neves, Renan Calheiros e a 'síndrome do não me toques'
  • JEu

    Será, com certeza, uma excelente oportunidade de conhecer algo sobre o tema… que é de fundamental importância para todos, afinal se trata de salvar e preservar vidas… o que pode ser mais importante? Parabéns pela escolha do entrevistado e pelo tema desta semana…

  • Da CAETéLâNDIA até Miami, é Florida REINVENTAR o Brasil 2017!

    É dura e GRATIFICANTE a rotina de VOLUNTÁRIOS do CVV:
    – nos tempos SEMPRE difíceis do AGORA em todas as épocas em VIDA dos 8 aos 80;
    – como ACORDAR disposto a cada dia: CONTAS a pagar e nós AFETIVOS a desatar?
    É que somos RAMALHOS deitados eternamente no BERÇO esplêndido d’invasão LUSA catequizadora:
    – quem NUNCA quis ser OUVIDOS e compreendido ao DESABAFAR? [FONE 141, http://www.cvv.org.br ]
    – nesta VIDA que segue além das desditas da CACHAÇA com AA? [ http://www.alcoolicosanonimos.org.br ]
    Com ajuda do CVV é possível expurgar MALES autodestrutivos de ALGUÉM [email protected] na multidão:
    > [email protected] de sofrimento\ [email protected] por conta disso: SEM enxergar solução possível;
    – quando a AJUDA de qquer pessoa é importante: ~90% dos casos podem ser EVITADOS;
    – ALÉM de profissionais: tratamento que minimiza o DESEJO [Karen S, psicóloga]
    https://drauziovarella.com.br/noticias/suicidio-e-possivel-preveni-lo
    Buscando as BASES empíricas e filosóficas do MÉTODO do CVV fui ao Dr DRAUZIO.
    Enxergando o sucesso dos AA- Alcóolicos ANÔNIMOS no @-mundo inteiro com princípios SIMPLES:
    – REJEITAM doações de particulares e de órgãos públicos ou privados;
    – SEM trabalho voluntário: seguram ONDAS membros da irmandade de alcoólicos [INCURÁVEIS] ;
    na AA apenas 3 cargos são ocupáveis não-alcoólicos: presidência, tesouraria e geral e 2ª VICE, sem golpe!
    [05set17], https://drauziovarella.com.br/dependencia-quimica/alcoolismo/alcoolicos-anonimos

  • Carlos Renato

    Já fui voluntário do CVV em São Paulo, quando morei lá, e posso afirmar que é um aprendizado ímpar. Desde já me ofereço para ser voluntário aqui, sempre quis que esse serviço chegasse aqui.

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    HÁ CACIQUES DEMAIS PARA POUCOS ÍNDIOS
    Joilson Gouveia*
    Em verdade, desde a debacle redemocratização, mormente nesses últimos seis lustros de ascensão ao Poder, e ainda no Poder, daqueles que se diziam LUTAR PELA DEMOCRACIA, que a vida humana perdeu seu devido valor, não tem preço tampouco nenhuma valia em face da recrudescente tsunami assassina, violenta, letal, degenerada, descontrolada e até “desorganizada” diante de tantas ONG’s, que se dizem NÃO-governamentais, mas não existem nem subsistem sem generosos recursos, divisas e verbas do espoliado, aviltado, combalido e desviado ou doado Erário [“o socialismo não funciona sem a grana brasileira” – Olavo de Carvalho] nunca se viu tantos “solidários e fraternos” conselhos comunitários e tutelares, “comitês de comunidades”, ONG’s, sindicatos, uniões, federações e confederações e/ou centrais sindicais – que jamais se manifestaram nem se manifestam em defesa dos mais de 14 milhões de desempregados demitidos no último triênio, salvo contra o corte do imposto sindical obrigatório; claro!
    O que seriam ou o que são ONG’s? Vejamos, a saber:
    • De acordo com o estudo realizado pela Consultoria do Senado Federal, em 1999, “ONG seria um grupo social organizado, sem fins lucrativos, constituído formal e autonomamente, caracterizado por ações de solidariedade no campo das políticas públicas e pelo legítimo exercício de pressões políticas em proveito de populações excluídas das condições da cidadania”.
    • Segundo Herbert de Souza, o Betinho: “uma ONG se define por sua vocação política, por sua positividade política: uma entidade sem fins de lucro cujo objetivo fundamental é desenvolver uma sociedade democrática, isto é, uma sociedade fundada nos valores da democracia – liberdade, igualdade, diversidade, participação e solidariedade. (…) As ONGs são comitês da cidadania e surgiram para ajudar a construir a sociedade democrática com que todos sonham”. (Sic.) – Grifei. http://www.altosestudos.com.br/?p=46415
    Estima-se umas 600 mil ONGs, neste país, conforme informa o sítio http://tribunadainternet.com.br/brasil-ja-tem-600-mil-ongs-que-atuam-sem-o-menor-controle-governamental/, a saber:
    • “Hoje, as estimativas indicam que há perto de 600 mil ONGs atuando no país, recebendo mais de R$ 18 bilhões por ano em repasses federais e verbas de valor desconhecido vindas de fora, inclusive de governos estrangeiros.
    • Não possuímos registros confiáveis sobre os reais serviços prestados por essas ONGs, onde atuam de fato e como atuam. Além das denúncias de corrupção, sobram informações de ingerência dessas entidades em assuntos de interesse do Estado, inclusive em questões de Segurança Nacional.
    • A maior parte das ONGs tem atuação na Amazônia e são direta ou indiretamente vinculadas a organismos internacionais, seus objetivos são claros para qualquer analista de Inteligência – o controle das jazidas minerais consideradas de extremo interesse estratégico”. (Sic.)
    Por sua vez, o sítio http://g1.globo.com/politica/noticia/2011/12/verba-publica-para-ongs-aumenta-r-13-bilhao-em-8-anos-diz-ipea.html, noticia o gasto do governo com essas tais ONG’s, “repasse passou de R$ 2,8 bilhões em 2002 para r$ 4,1 bilhões em 2010”, quase 100% de acréscimo.
    Enfim, o que seriam “12 mortes por suicídio”, diante dos quase 60 mil mortos por ano, desde ascensão ao Poder daquele que se dizia ser um “partido dos trabalhadores”, que excederam aos mais de 600 mil mortos vítimas de CVLI- Crimes Violentos Letais Intencionais ou homicídios, em apenas 12 anos de “governo”?
    No Brasil, vive-se uma guerra convencional não declarada ou não admitida e reconhecida pelas tais ONG’s e, sobretudo, pelos que se dizem “governos”; ou não?
    O cidadão e a cidadã decentes, honestos, honrados, dignos trabalhadores de bem, cinicamente chamado de contribuinte, que pagam em dia o seu IMPOSTO DE RENDAS, que corresponde a menos de 30 milhões de brasileiros e brasileiras, menos de 15% da população brasileira, sustentando aos tais Poderes, Instituições e Órgãos de governos e “seus governantes e parlamentares”, os ditos “não-governantes” dessas ONG’s, e, especialmente, aos coitadinhos dos “excluídos sociais” e beneficiários de “óbolos” chamados de BOLSAS, inclusive Rouanet; até quando?
    Abr
    *JG
    P.S.: “a família precisa falar”: que família? Se o objetivo é acabar com ela, a “célula-mater da Sociedade”, conforme doutrina marxista/gramscista. Ver pôsteres abaixo, no blog!