A CPI proposta pelo senador Renan Calheiros para apurar os supersalários nos três poderes pode não ser o melhor caminho para debater o tema.

Mas o debate é necessário.

Ainda que o senador seja movido pela busca de uma agenda positiva, não podemos desconhecer que o desrespeito ao limite constitucional é uma das verdades mais escamoteadas da República.

Faz parte de um dos esportes mais praticados no país: a hipocrisia.

Se as perdas salariais históricas precisam ser corrigidas, que isso aconteça, mas à luz do sol.

STJ recebe delação da Odebrecht que cita o governador Renan Filho
Assembleia Legislativa vai cortar folha de pessoal com base em auditoria da FGV
  • Pato Babaca

    Supersalário é a corrupção legalizada. Se subtrai o dinheiro dos cofres públicos “legalmente”. Nos três poderes. Seria muito bom que fosse corrigido. Acabando com essa malandragem de colarinho branco.
    Porém, como o povo brasileiro é lesado e midiota, gosta de se lascar de verde e amarelo. Já sabemos o resultado. continuará tudo do mesmo jeito, afinal de contas o golpista e manequim de funerária já disse: “MANTENHA ISSO”.
    Entenderam?
    “MANTENHA ISSO”

    • solon

      Vai faltar flores, óleo de peroba e nabo para o povinho.

    • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

      “Verdade”! Enquanto uns preferem “verde e amarelo”, para se “lascar”; uns poucos outros – numa ínfima minoria, felizmente, porquanto “salvos e salvadores da pátria e do mundo”, optam pelo vermelho escarlate!
      Solipsistas? Quem saberá!? Talvez sim, talvez não. Mas, certamente, alienados, alienantes, alienistas ou “socialista sincero” – definido por Nelson Rodrigues:
      “Não há ninguém mais bobo que um socialista sincero. Ele não sabe nada. Apenas aceita o que meia dúzia de imbecis lhe dão para dizer”; aceita, recebe, decora, divulga e repete tal qual fantoche, servo, vassalo ou reles lacaio às ordens dadas) crendo que “pensa” assim com a “cabeça” da cúpula!
      Notem bem: está sempre imputando aos outros aquilo que é, faz e pratica! Haja sacos!
      Encero com o escólio do mestre Nelson: “A maior desgraça da democracia, é que ela traz à tona a força numérica dos idiotas, que são a maioria da humanidade”.
      Abr
      *JG

  • JEu

    Acho que essa realmente é uma boa iniciativa… porém não vai dar em nada… só para dar visão na mídia… pois vai ficar só na proposta… ninguém vai aprovar lá no senado, e muito menos na câmara dos deputados… afinal, eles são os primeiros da lista… e não creio que queira se “incompatibilizar” com o judiciário… assim, isso é só uma “jogada desesperada” do Reinão… como não tem mais como se salvar, tá no desespero procurando uma “tábua de salvação”… mais vai afundar assim mesmo… e, depois de outubro de 2018, vai encontrar o caminho de Curitiba… bye,bye; adeus, até logo… ou seja lá o que for…

  • Contador Tributário

    Um grande passo foi a criação do portal da transparência e quando o RF realizar o primeiro concurso para CGE/AL aí sim ele está com a agenda positiva

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    AGENDA POSITIVA OU MAIS UM ARDILOSO ENGODO?
    Joilson Gouveia*
    Ao que se nos antolha, essa tal “agenda positiva” acima mencionada, tão igual, símile, similar e semelhante à indigitada “lei de abuso de autoridade” (aquela que tramitava há mais de dois lustros naquela casa legislativa – inoportunamente desengavetada pelo mais delatado, indiciado e processado dos vetustos senatoriais) deixando patente, a toda evidência, ser mais uma represália, ameaça ou vindita aos membros integrantes do Parquet e do Judiciário que uma “atualização e correção de uma lei dos idos do regime militar” tanto quanto ao engodo ardiloso mendaz do “fim do foro privilegiado” e aprovação daquelas “dez medidas contra a corrupção”, ambos anelados, assinados e postulados pelos eleitores, aos quais “engavetaram” e/ou modificaram para pior os anteprojetos apresentados.
    Malgrado ou nada obstante ser imprescindível, imediato e urgente cumprir, fazer cumprir e respeitar ao teto constitucional que limita os ganhos e estipêndios remuneratórios de todos e em todos os Poderes, que foram transformados em subsídios (num jogo de palavras) para dar cabo, termo e fim nos “penduricalhos” remuneratórios, mas mantiveram as chamadas vantagens pessoais, gratificações, adicionais, quejandos e que tais, para alguns mais iguais que os iguais.
    Como bem assestado, destacado e relembrado “não podemos desconhecer que o desrespeito ao limite constitucional é uma das verdades mais escamoteadas da República”, mas a quem compete fiscalizar a aplicação das leis e de seus limites senão aos membros do Parquet? Onde os paladinos da probidade e da legalidade?
    Ademais, ainda que seja a hipocrisia “um dos esportes mais praticados no país” e ser imprescindível, salutar, benéfico e democrático o “debate” sobre o tema, sobretudo à hialina luz solar, quem consegue precisar, deslindar, desvelar e desvendar o teor das verdadeiras “caixas-pretas” dos respectivos duodécimos repassados aos poderes Legislativos e Judiciários, nas três esferas orbitais dos poderes republicanos, mormente quanto ao quantum remuneratório de um parlamentar?
    Enfim, tudo isso faz-me lembrar daquele intrépido paladino “caçador de marajás” – que “limitou” os salários dos servidores estaduais ao teto constitucional, mas pagava-os divididos em três ou mais partes, sem prejuízo do totum, dos “marajás”!
    E por falar nas verdadeiras, verazes e verídicas “perdas salariais históricas precisam ser corrigidas, que isso aconteça, mas à luz do sol”, urge lembrar que foi o dito impoluto, probo e vetusto parlamentar quem intercedeu, interferiu e impôs goela abaixo a PEC dos precatórios, que até hoje o servidor não auferiu às ditas perdas históricas decorrentes dos famigerados planos econômicos dos desgovernos de esquerda e à Esquerda, ainda que direito transitado em julgado; ou não?
    Em tempo: onde os respectivos TCU, TCE’s, Procuradorias e Parquet de contas?
    Abr
    *JG