Ao responsabilizar a imprensa, ontem, pela sensação de que a crise na Saúde Pública é maior do que ele acha que é, o governador Renan Filho caiu numa armadilha tão antiga quanto a própria existência da tensão entre poder e imprensa.

O jornalismo está longe de ser feito por “bravos heróis do povo”. Nada disso. Todos cometemos muitos erros e, o mais lamentável para mim, vivemos cada vez mais de escândalos.

Fato concreto, porém, é de que a matéria-prima do trabalho da imprensa é a realidade, da qual o governador parece ter se descolado.

Ele não inventou a crise da saúde, é verdade, mas está muito longe de ter avançado na sua solução. Há um esforço, sim, para fazê-lo, mas que tem sido insuficiente. Além, claro, de trazer problemas para o governo junto à Polícia Federal e a CGU.

Não se pode negar ao governador a disposição demonstrada por ele para trabalhar, embora, cada dia mais, isso esteja voltado para o processo eleitoral do próximo ano.

Culpar a imprensa, aliás, é mais fácil e menos arriscado do que apontar o dedo para a PF, por exemplo.

Um mal histórico de quem está no poder é se alimentar, cotidianamente, de pessoas que, por pura conveniência ou incapacidade, são incapazes de abrir os olhos do governante para a vida real.

Aliás, Étienne de La Boétie (séc. XVI) dizia dessas figuras que “não basta que elas façam o que ele manda, mas também que pensem o que ele quer e muitas vezes antecipem seus pensamentos, para satisfazê-lo”.

Que Renan Filho ouça mais aqueles que, no seu entorno, já viveram outras experiências de poder e sabem onde esse descolamento da realidade pode dar – ainda que no curto prazo não traga lá grandes consequências.

Estou certo de que ele pode, sim, fazer melhor na Saúde, elegendo-a como prioridade, assim como fez com a Segurança.

Não houve milagre, mas os resultados são visíveis e elogiáveis.

Até pela imprensa.

 

TCU suspende pagamentos a advogados nos precatórios do Fundef
Disputa ao Senado pode levar ao rompimento duas famílias poderosas de Alagoas
  • Ednaldo

    O grande mau de qualquer pessoa que assume um cargo onde tem poder para dá a palavra final é ter por trás pessoas puxa-sacos que mesmo vendo os erros preferem não mostra-los simplesmente para agradar, isso tanto acontece no meio político como também em empresas privadas, o melhor é se cercar de pessoas que tenham independência para mostrar onde está os erros e mostrar também o caminho para corrigi-los, se não for dessa maneira não se vai pra lugar nenhum.

  • Joao da TROÇA anarco-carnavalesca BACURAU da Rua NOVA do Sertão – em St’ANA!

    Pois, GEntEee … “Mês de AGOSTO é mês de CHUVA/ lava a alma a MÁGOA”
    [Cavalo de PAU 1982 – A Valença e DOMINGUNHOS]
    https://www.vagalume.com.br/alceu-valenca/lava-magoas.html
    Apud F Campos – PT Maltanet St’Ana [aU gosto SEMPITERNO] 28ago17
    http://www.maltanet.com.br/noticias/noticia.php?id=16567

  • wal

    Ora RICARDO MOTA,esse cidadão aí ( RENAN CALHEIROS FILHO ),não é tão inocente e nem se força tanto assim como o sr. tenta passar nesse testo, ele REINANZINHO, poderia até tentar mas seus ideais não deixa.
    Veja quantos processos seu pai RENANZÃO tem …
    .
    O objetivo desse povo, é exclusivo, lesar toda uma nação em nome de seus próprios interesses. É só ver:
    MÁFIA DO LIXO
    MÁFIA DAS TOALHAS.
    RODOLEIROS, TATURANAS, da AMBULÂNCIAS e outras de quem deveriam cuidar bem de seu povo.
    .
    NÃO ME VENHAM COM CHORUMELAS…

  • Ricardo

    O Ednaldo fez um comentário correto. O Governador Renan Filho é cercado por pessoas despreparadas para o setor público. Não entendem nada de gestão pública. Fazem somente o que o chefe maior deseja, sem qualquer juízo crítico. As pessoas que lá estão são incompetentes e fazem um desserviço para a população.

    • Carlos A Toncelli

      Concordo plenamente. Christian acabou com a gestão, deixou mais de 8 mil processos parados, os direitos dos servidores suspensos e a Gestão um lixo. Aí vem o Santoro e coloca Dr. Fabrício, que nunca foi Gestor e de Gestão é ainda pior. Hoje nem direito de receber o abono permanência o servidor tem. Desde 2015 luto, e a resposta da moça do Gabinete é sempre a mesma . Não tem autorização. Agora o Gabinete dele todo dia tem reforma. Vergonha.

  • felipe

    Esse governador sabia de tudo venha pra cá da uma de e inocente

  • JEu

    Parodiando um filósofo, diria: tem mais mistério aí nesses “gastos” da secretaria de saúde do que pode imaginar nosso pouco conhecimento… assim como deve ter muitos “mistérios” nesses gastos com todas essas “obras” anunciadas aos quatro ventos… construção de hospitais e escolas, sem que as atuais estruturas existentes funcionem devidamente ou tenham, pelo menos, alguma manutenção satisfatória… muitas “licitações e obras” em estradas (quando nem o viaduto de jacarecica foi terminado, ficando um esqueleto que liga nada a lugar nenhum)… tudo é, na realidade, por demais “estranho”… principalmente em ano pré eleitoreiro… afinal, quem vai fiscalizar essas “licitações, contratos e termos aditivos”?… vamos esperar para ver se aparece alguém com coragem e capacidade suficiente para solicitar ou exigir acesso aos tais “processos”, antes que seja tarde demais… senão, tudo fica para depois das eleições… mas tem nada não, pois em 2018 o povo vai dar o troco e expurgar Alagoas dos senhores feudais, dos coronéis do interior, dos clãs dominantes e dos usurpadores do erário público…

  • ANA LUIZA

    Há pelo menos 3 anos eu venho dizendo a mesma coisa: RENANZINHO é cercado de incompetentes, que em muitos casos nem tramitar um processo corretamente sabe. Mas eles se acham mesmo. Desprezam antigos servidores, antigos fornecedores, eficientes, solidários… tudo em nome do seu NOVO GRUPO.
    Renanzinho é por si só a incompetência e a arrogância em pessoa. Lembram de uma tenda que desabou na inauguração da santa mônica? Foi uma tenda extra, pedida pelo governador, que coordena até onde fica utensílios simples, peças de propaganda e posição de tendas em eventos.
    Ele é o cara, o Neimar das alagoas… só que não. Precisa explicar um indiciado na AMGESP, como anda a educação com o LUCIANO BARBOSA.
    Olha vou dizer o que sempre disse aqui. É fácil demais fazer caixa, dando calote nos fornecedores do ESTADO.
    Tem secretarias como a SEADES que os fornecedores estão sem receber também.
    É tudo assim. Ninguem mais quer trabalhar para governo CALOTEIRO.
    Os poucos que restam são uns amigos que ainda recebem atrasados. O resto ou quebrou ou quebrou.
    Meu Deus, que chegue LOGO 2018.

  • Gomes

    Realmente a maior autoridade do estado está cercado por uma meninada sem experiência e capacidade crítica porque o principal menino é ele e prefere o conforto de ter pessoas limitadas para não ser questionado, corrigido, orientado. Próprio de quem se acha acima do bem e do mal. A turma é inexpressiva mas não tem o que se preocupar porque não se mantêm na vida pública nem tem poder. São funcionários para fazer pequenos mandados sem conseguir entender o que acontece ao redor. O único caminho de alguém que não consegue fazer juízo de valor é venerar e se ocupar na fantasia de poder. O perfil predomina mas tem os capacitados e com vida própria independente de governo ou governante como o comunista, a blogueira e o chaminé. O resultado para Renanzinho e qualquer um é perder a capacidade de ser questionado e começar a reagir como no caso do fantástico.

  • carlos

    SÓ FALTA O GOVERNADOR DIZER,QUE OS PACIENTES,QUE ESTÃO MORRENDO NÃO SÃO PACIENTES E SIM ATORES DE TEATRO E´TUDO MENTIRINHA..

  • CARLOS FRANCISCO DE FARIAS

    Pois é,agora Renan,o governador,anda distribuindo ambulâncias pelo estado e helicóptero para fortalecer a saúde dos alagoanos.Agora cadê os médicos,os enfermeiros e demais funcionários pra fazer a saúde funcionar?contratar uma locadora para desviar recursos é mais fácil pra chamar atenção do eleitor que contratar profissionais pra cuidar da saúde dos mesmos.Quem dar mais votos?

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    O texto abaixo é de 15 de setembro de 2016, a saber:
    O MAIS GRAVE É A NOTÍCIA OU O NOTICIADO?
    Joilson Gouveia*
    Triste Brasil de brasileiros e de brasileiras, e de uma pequena parte da imprensa, que mais se incomodam com o noticiado que com a notícia ou com o que é noticiado, que não deveria ser tornado público ou sequer divulgado ou mais com o criminoso que com todos os seus crimes perpetrados!
    No mais da vez, é o próprio proscênio da mídia ávida por furos que ofusca à sobriedade indefectível de servidores públicos, tal e qual ao narrador esportivo que esbaforido grita “golaço” num simples gol de seu time preferido, ainda que tenha sido impedido ou “de mão”!
    A denúncia é quase nada ou mesmo ínfima diante do nefasto teor dos crimes denunciados de tão bem urdidos, adrede articulados e orquestrados e praticados em conluio por cúmplices geniais escarlates da nata e da pouco e nada sóbria alta-cúpula escarlate, e a isso se tenta minimizar ou se desdenha, menoscaba ou dar-se-ia pouca monta, mesmo diante dos milhões desviados do Erário – ao qual deveriam zelar, cuidar e preservar -, pelos ora denunciados propinodutos dessa desmascarada propinocracia dos cleptocratas escarlates et caterva, apaniguados, aparelhados, familiares e parentela, os quais saíram da linha da miséria e pobreza ou do mapa da fome, enquanto aos verdadeiros miseráveis carentes e necessitados deu-se o óbolo esmigalhado de diversos tipos de bolsas e de todos os gêneros, e aos tais CULT’s: o generoso óbolo Rouanet, via MinC.! Ou não?
    Há sobriedade ou isenção de proscênio quando determinado repórter ou jornalista anuncia um furo de reportagem informando, por exemplo: “cidadão é preso como suspeito de tráfico por portar alguns quilos ou pacotes de drogas” – antes o ladrão era aquele flagrado com o produto do roubo nas mãos, hoje é um cidadão “suspeito”. Ou quando se noticia: “um suspeito teria sido eliminado por resistir a tiros a abordagem policial numa blitz”, por exemplo! Nenhum cidadão de bem trocaria (nem trocará) tiros com a polícia, mormente à fardada e de pronto identificada, muito menos ainda, irá transportar consigo tanta droga assim, ainda que usuário/dependente-químico: razão primeira, maior e a mais rentável do tráfico de drogas!
    Uns preferem responsabilizar ou culpar ao delegado que descobriu o cadáver e o criminoso que o vitimou ou, como querem os petralhistas: que preferem culpar à câmera de vídeo ou aos grampos que flagraram fragorosamente as falas de seu “asceta de prístinas virtudes” em colóquios com seus comparsas!
    É a típica lógica comunapetralhista! Ou não?
    Abr
    *JG
    P.S.: in http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/09/o-mais-grave-e-noticia-ou-o-noticiado.html