O fato de não ser uma profissional da área não parece mesmo incomodar o novo secretário Estadual de Saúde.

Convidado do Ricardo Mota Entrevista deste domingo, o advogado Christian Teixeira afirma que sua experiência como gestor – foi, inclusive, secretário de Planejamento – pode ajudar a desfazer os nós na pasta mais criticada do governo de Renan Filho (e de qualquer governo).

– O problema maior não é a falta de dinheiro.

Ele afirmou e reafirmou seu posicionamento durante toda a entrevista, apontando o diálogo com todas as partes envolvidas na questão – fornecedores, PGE, servidores, Defensoria e a população – como o caminho que já está trilhando.

Se vai conseguir reduzir de forma consistente as demandas reprimidas na Saúde, é o que vamos acompanhar a partir de agora.

Vale a pena conferir a conversa.

Ricardo Mota Entrevista

Domingo, 8h30, na TV Pajuçara

Convidado: Christian Teixeira, secretário de Saúde

Marcha a ré
Filho de Antônio Albuquerque será o novo Secretário do Trabalho
  • CLAUDIO SOUZA

    A primeira coisa que o Secretario tem que fazer com o servidor, é autorizar a mudança de letras dos funcionários conforme a lei 6964.

  • Williams Roger

    O problema é de gestão mesmo. Tem que colocar pessoas capacitadas. Com conhecimento na área.
    Não indicações políticas desastrosas. Pessoas que nunca geriram nada. Não sabe nem ser chefe. Precisamos de líderes. Não de déspotas ou ditadores perseguidores.
    É só pegar exemplos de gestão em outros lugares/Estados e Municípios, e colocar em prática aqui.
    Tem que colocar pessoas comprometidas.
    Tipo, colocar uma pessoa que tem outras funções, que não tem dedicação na área, é uma ingerência.
    Colocaram pessoas incompetentes, ignorantes e sem compromisso. Nem ouvir o servidor, se quer faziam.
    Prevaricavam descaradamente. E tudo desandando.
    Quem sabe dos problemas, dos anseios e soluções de cada unidade, são os servidores. Esses sim irão ajudar o novo secretário. Mas tenha-se ATENÇÃO! EXISTEM SERVIDORES E “SERVIDORES”! Vê lá quem vai ouvir! Se ouvir a pessoa errada. SERÁ UM “TIRO” no pé!
    Finalizando, gestão é o problema da saúde de Alagoas ou melhor dizendo. Falta de gestão.
    Como servidor público, da saúde/Samu. Estimo uma boa gestão ao novo secretário, e que ele tire a saúde de Alagoas do caos.
    E como ele bem disse, que não é da área médica, parte-se da máxima que ele não conheça os graves problemas das unidades. E só os próprios servidores irão ajudá-lo em sua nova gestão. Não tem pra onde!
    Ele tem que ouvir os servidores.
    E relembrando! Existem servidores e “servidores”! Se ouvir as pessoas erradas, sem checar a verdade, sem ouvir o outro lado. VAI CULMINAR NO INSUCESSO. NÃO VAI CUMPRIR A MISSÃO DADA PELO GOVERNADOR!

    • PORFIRIO

      O problema, da SESAU, na gestão da Secretária anterior, era mesmo de gestão, administração, organização, responsabilização, e mais aõõõoõõ!!!!! – é bom que o novo gestor saiba,ali estava se praticando compras de botequim. O fracionamento de despesas ali, é assustador, afrontando explicitamente a lei 8.666, o dec-lei 200 e similares. Eu, particularmente, estou com 3 pequenos processos, cujo produto já fora inclusive entregue, e, nem sequer foram empenhados, sendo que o mais novo desses processos, faz uma ano agora em março/17, é uma vergonha.
      Na condição de fornecedores, somos também parceiros, cada um com sua quota de responsabilidade, agora, exercitar com desdem, o que fizera a ilustríssima senhora ex-secretária de estado da saúde, é no minimo um desrespeito com os fornecedores.

  • Antena Ligada

    É verdade Sr. Christian que o maior problema não é a falta de dinheiro. Na Unidade de Emergência do Agreste:
    a) O ponto eletrônico é uma piada. Por exemplo: o horário de entrada pela manha é às 07:00h. Entretanto, se vê servidores chegando às, 8, 9, 10,11 horas. E tal fato acontece com servidores de todos os níveis: elementar, médio e superior.
    b) A maioria dos coordenadores de setores aparecem quando bem querem e com certeza não cumprem nem a metade de suas cargas horárias semanais. E, pasme, alguns ainda recebem “horas extras” com a frágil desculpa de um acompanhamento melhor das atividades do setor.
    c) A quantidade de servidores contratados (os famosos extras) é um assombro. Sabe-se que, com a ampliação do número de leitos, se faz necessária a contratação de mais profissionais. No entanto, o que se presencia é uma gama enorme de contratados SEM NECESSIDADE REAL. Trata-se de apadrinhamento político.
    d) Alguns servidores (efetivos)ficam semanas sem aparecer para trabalhar. Pagam colegas para executarem seus serviços.
    e) Alguns bons profissionais estão “encostados” em comissões criadas com a aparente finalidade de melhorar o atendimento ao cidadão. É uma maneira de acomodar apadrinhados. Melhor seria se estivessem nas enfermarias, dando assistência direta aos pacientes.
    f) Muitos profissionais médicos não cumprem seus plantões de 24h. Ficam naquele “vai e vem” entre a Unidade de Emergência e seus consultórios particulares ou em outros hospitais.
    g) Acredito que a Unidade do Agreste necessita urgentemente de um “choque administrativo”.
    h) A folha de “extras” é uma verdadeira caixa preta. Com certeza poderia ser encolhida (e muito) sem afetar o bom atendimento aos usuários.
    i) E é evidente que a administração faz “vista grossa” para todas essas irregularidades.
    Faço votos para que o Sr. Secretário possa e queira tomar providências para colocar a situação “nos eixos”.

    • funcionariapublica

      Espero q o Sr.Secretário reveja todas situação dos func.da saúde, pois tenho um processo q já rodou vários setores desde 2010 e já faz 7 anos e ainda não recebi o q tenho direito. Não só o meu mais de meus colegas Tbem, espero q agora eu consiga receber.

  • JEu

    Creio que devemos, por justiça, dar um crédito ao novo secretário da saúde… pela experiência que tem em outras áreas, principalmente na seplag, acredito que sabe muito bem o que é gestão administrativo-financeira… assim, creio, que alguns problemas serão sanados, relacionados com materiais, equipamentos, fornecedores, etc… agora, com relação à gestão do pessoal de saúde, aí é que vai precisar, no meu entender, de alguma assessoria específica… e como diz o Williams, acima, é preciso saber ouvir e saber separar bem o certo do errado… no mais, desejamos uma boa gestão ao novo secretário de saúde… o povo alagoano está precisando…

  • DINHEIRO, MAIOR PROBLEMA…

    PARA ALAGOAS O MAIOR PROBLEMA É FALTA DE DINHEIRO MESMO, EXCETO COM A ‘SAÚDE’. VEJAMOS O PORQUE!!!
    PERÍODO ENTRE 2003/2016 ATÉ 12/05 GOVERNOS LULA & DILMA DO ‘PT’:
    1-FOI PAGO NO ORÇAMENTO O TOTAL DE R$ 19,136.05 TRILHÕES(100%).
    N.B: VALORES ATUALIZADOS ENTRE 2003/2016 ATÉ 12/05.
    2-FOI TORRADO C/A DÍVIDA PÚBLICA R$ 9,835.05 TRILHÕES(51,4%)(51,48%)(51,48%)!!!
    N.B: PAGAMENTOS PELOS CÓDIGOS ORÇAMENTÁRIOS 25.000 + 71.000 + 74.000 + 75.000, TODOS A SERVIÇO DA FAMIGERADA DÍVIDA PÚBLICA líquida QUE EM 31/12/02 (GOVERNO FHC) ERA DE 160 bilhões, MAS ENTRE 2003/2016 ATÉ 12/05 AUMENTOU ++++ R$ 3 TRILHÕES, ++++ R$ 3 TRILHÕES, ++++ R$ TRILHÕES!!!, O QUESTIONÁVEL É O PARADEIRO DESSES R$ 3 TRILHÕES, R$ 3 TRILHÕES, R$ 3 TRILHÕES, EMPRÉSTIMOS CONTRAÍDOS NOS GOVERNOS LULA & DILMA!!!
    3-FOI GASTO NO COMBATE A VIOLÊNCIA APENAS R$ 87,16 bilhões (0,45%)(0,45%) PELO CÓDIGO ORÇAMENTÁRIO 30.000 – MINISTÉRIO DA JUSTIÇA!!!
    4-FOI TRANSFERIDO PARA 27 ESTADOS ++++ DISTRITO FEDERAL ++++ 5.570 MUNICÍPIOS SÓ R$ 1,852 TRILHÃO (9,68%)(9,68%)(9,68%)!!!
    EIS O QUADRO Q/JUSTIFICA A FALTA DE RECURSOS DEVIDO AUSÊNCIA DE SERIEDADE NO TRATO DA COISA PÚBLICA E O GOVERNAR SEM DIVISÃO EQUÂNIME DAS RIQUEZAS PRODUZIDAS, PARA O COMBATE A VIOLÊNCIA E PAGAMENTOS AS FORÇAS INERENTES. PODE SER ERRADO, MAS É ABSURDO QUE UMA MINORIA DE CERCA DE 0,1% DA POPULAÇÃO BRASILEIRA (206.000) FIQUE COM 52,32% DAS RIQUEZAS PRODUZIDAS POR 206.000.000 DE BRASILEIROS!!!
    PRESIDENTE TEMER, PALOCCI DIZIA Q/O ORÇAMENTO ERA FICTÍCIO, MAS CONTINUOU NA FICÇÃO, MANTEGA ESBRAVEJOU SER O ORÇAMENTO FICTÍCIO, MAS CONTINUOU NA FICÇÃO, QUINCAS LEVI ATRÁS OS BRASILEIROS, RECLAMOU MAS CONTINUOU NA FICÇÃO, NELSON BARBEIRO TAMBÉM E POR ÚLTIMO O SIMPÁTICO SORRIDENTE MEIRELLES BOCA TRAVADA SURDO MUDO E CALADO, MAS A FICÇÃO CONTINUA!!! FAZENDO O MÍNIMO DO TRIVIAL DE AJUSTE FISCAL, MAS FIEL EM NÃO FAZER AUDITORIA NA DÍVIDA PÚBLICA!!!
    DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL líquida (+ R$ 3 TRILHÕES), ++++ NIÓBIO COM EXPORTAÇÕES SUBFATURADAS DE + DE 1.000.000/t E PREJUÍZOS DE US$ 1,5 TRILHÃO E VENDA DO SUBSOLO (NIÓBIO) A CHINA COMUNISTA + JAPÃO E COREIA DO SUL CAPITALISTAS, PODE TRADUZIR EM TESE UM ROMBO SUPERIOR AOS MÍSEROS R$ 10, 11 OU 13 TRILHÕES!!!!!!!
    PRESIDENTE MICHEL TEMER, VC NÃO É RESPONSÁVEL POR TAIS ABSURDOS COMETIDOS, MAS C/OBRIGAÇÃO DE AUTORIZAR DEVIDAMENTE UMA DEVASSA, PQ. O POVO BRASILEIRO NÃO SUPORTA ++++. O CAOS STÁ INSTALADO, É PIOR QUE O CAOS DE 1964!!! MENOS INÉRCIA, VC TEMER, TEM CAPACIDADE E COMPETÊNCIA, FAÇA AUDITORIA NOS TRÊS ITENS ACIMA MENCIONADOS, DOA EM QUEM DOER!!!
    SDS DEMOCRATAS.
    P/Domingos Correia

  • wal

    Pretendo começar de traz para frente; os srs. já imaginaram como seria a saúde se:
    1) Toda a grana arrecadada para a saúde e as enviadas pelo governo federal, fossem de fato, gastos tudo na saúde ?
    2) Se depois da roubalheira cometidas pelos políticos, eles não tentassem convencer a qualquer custo, os servidores e usuários, a trabalhem de graça,e a morrerem nas filas, sem reclamarem dos governos ?
    Seria no Brasil, a melhor saúde do mundo…
    .

  • maria santos

    Acredito que o maior problema é não humanizar a saúde,quem precisa do SUS sofre,até para marcar uma consulta é difícil,quando se consegue uma consulta a maioria dos médicos mau olha o paciente,parece que são obrigados a atender po que estão trabalhando de graça,não estou falando de todos pois ainda conheço alguns que não ver na frente deles 3 notas de cem reais que é o preço de uma consuta no mínimo,eu fico imaginando se o único sistema fosse o SUS e que não existisse planos de saúde,se essa área não seria mais humana,eu tenho um plano de saúde e ainda sofro imagino quem não tem como a maioria da minha família,como meu pai que chegou vivo no HGE,o atendimento foi no meio de todo mundo,ele teve putra parada e não tinha uma UTI para ele,quando el vinha no carro da SAMU,perguntei que se mesmo sem palno não poderiam parar em algum hospital memso privado e depois dos primeiros cuidados trasferilo,os profissionais me falaram que os hospitais não fariam nada,como os hospitais são os médicos,entendí tudo,perdi meu pai por falta de atendimento.

  • Mario Sérgio

    O problema é o incompetência do governador em manter uma louca incompetênte por 2 anos. Ele é o culpado, quem tá pegando agora descasque a batata quente sem ter faca.

  • Alex Teixeira

    E a Santa Monica cheia de Prestadores de serviços que já deveriam ter dado vagas aos concursados. Absurdo. Cobrem seus direitos.

  • carlos

    Vamos aguardar e sempre ouvindo, de quem assume preciso de tempo….

  • REVOLTADO

    Técnicos da atenção básica da sesau coordenam a atenção básica de outros municípios fazendo com que os dados sejam mascarados e tudo isso com conhecimento da coordenadora. Isso é um absurdo, uma vez que na sesau o trabalho é de pessima qualidade! É por isso que a Atenção Basica do estado esta um caos! E a coordenadora Daniele da vigilância , só assumiu o cargo por ser pupila da superitendente Cristi a Rocha. É assim que a sesau vem funcionando senhor gestor.