Durante o final de semana, a presidente Dilma Rousseff se reuniu a portas fechadas por duas horas com o senador Fernando Collor.

O conteúdo da conversa por ora não é conhecido, embora não escape das inevitáveis especulações.

Ao fazer seu discurso, hoje, a presidente citou três antecessores que foram vítimas de tentativa de golpes: militares e civis: Getúlio Vargas, JK e João Goulart.

Nem uma só palavra ao seu interlocutor “preferencial” do final de semana, ainda que tenha sido ele o único ex-presidente que sofreu impeachment no Brasil.

E olhem que sentou, no plenário, ao lado da senadora Vanessa Grazziotin (PC do B), uma das mais combativas parlamentares contra o impeachment.

(A lembrar: Collor foi absolvido pelo STF, 20 anos depois – ainda que isto não tenha o significado e o peso história que deveria.)

Todos os discursos por lá, inclusive o de Dilma, são de conteúdo eminentemente político, porque o Senado é uma casa política. São falas cheias de palavras de ordem, críticas de natureza político-ideológico, tudo o poderia esperar entre os oradores – nada mais do que isto.

Repito o que sempre afirmei: Dilma cai porque já não demonstrava a mínima capacidade de representar esperança para que o Brasil saísse da crise, que é grave, mas. Pedaladas fiscais não sensibilizam nenhum povo do mundo para derrubar um governante. O que as pessoas sentem e entendem é o que lhes falta no bolso e na mesa.

O que derruba governo “é a algibeira”, já nos ensinou o historiador José Murilo de Carvalho.

É assim agora também.

Há de se questionar a qualidade do Congresso Nacional, hoje, como, aliás, ressaltou a senadora Gleisi Hoffmann, beneficiada pela generosidade do senador Renan Calheiros, em revelação bombástica na última sexta-feira.

Durante toda a sessão do Senado – que ainda vai se arrastar –, a presidente Dilma Rousseff repete o Collor “histórico”, que, ainda que lamente algumas iniciativas que adotou quando presidente, aponta o dedo para seus adversários e inimigos: “O inferno são os outros”.

É a inevitável racionalização (Freud), sem a qual ninguém escaparia da loucura.

(Quanto à omissão ao nome do hoje senador, isto pode custar caro a Dilma.)

 

Supremo adia depoimento de Almeida sobre a Máfia do Lixo
Governo de Alagoas demonstra sintonia com modelo de gestão Temer
  • Bel

    TEMER ESCARIODES.

  • Lima

    Essa senhora, o PT, Lula e todos os nossos políticos e seus partidos, não se sentem responsáveis pela falência da ética nesse país? Viver como vocês vivem é fácil demais, são salários altos, benefícios, mordomias, empregos para familiares, além dos envolvimentos em crimes de desvios de dinheiro público, caixa 2, lava-jato, etc. Será que se a política não fosse tão vantajosa, teríamos interessados em trabalhar para o povo e pelo povo? Será que sem benefícios, vocês políticos passariam o legado para seus herdeiros? Será que se cortassem em 100% os benefícios teríamos interessados em ser político no Brasil? Esquece, esse cenário não muda, eles cada vez mais ricos e nós, cada vez mais tolos. Moro No Brasil, país sem futuro!

  • paulino lopes

    Realmente, pedaladas não derruba presidente, o problema maior ´foi a crise finançeira que levou a população a um estado de dificuldade muito grande e o governo foi incapaz de resolver, aliado a roubalheira desenfreada desses políticos junto com as empreiteiras.

  • barakinalama

    É porque acha que GOLPE é só contra ela e para o Collor não!

    • COSTA GRAVAS

      ALIÁS , NA MAIORIA DOS COXINHAS DAQUI, DÁ PARA PERCEBER CLARAMENTE OS ANTIGOS COLLORIDOS DE 89. IGUALMENTE EM SÃO PAULO. VELHOS MALUFISTAS.
      MEU DEUS, QUE POBREZA DE ESPÍRITO!

  • JEu

    Realmente, o que se deveria estar apurando era não somente a tal das pedaladas, porém a começar pela tal da compra de Pasadena, toda a roubalheira feita na Petrobrás, os tais financiamentos do BNDES para as empreiteiras brasileiras em obras no exterior, etc, etc, etc…. e mais ainda, que não existisse a tal im(p)unidade parlamentar, nem para a presidANTA… assim, com certeza, teríamos já retirado a Dilma e o Temer do poder e com ela mais de 60% do senado e mais de 40% da câmara dos deputados… e devemos lembrar, ainda, que tudo foi feito com o conhecimento e a conivência ativa e passiva da Dilma, do Lula e do PT… então, que se comece a “derrubar” essa situação de corrupção habitual a partir da saída da presidANTA… que os outros virão a seu turno

  • Marcos Marinho

    Dilma na verdade sai pq nao soltou dinheiro para esses senadores que ai estão. A verdade é esta.

  • Glorioso

    As esquerdas se vitimizam por terem enfrentado a ditadura militar e impõe a ditadura civil aos brasileiros. Já vimos vários deles de punhos cerrados como alguns que hoje estão apenados. As esquerdas usam o povo pobre e analfabeto através das bolsas esmolas e em troca esperam ter o voto do povo para receber uma espécie de salvo conduto que lhes dê autorização para roubar e mandar roubar as verbas da Educação, da Saúde, da Segurança e as Estatais. São os príncipes vermelhos da corrupção aliados dos grandes empresários e usineiros canalhas e banqueiros igualmente canalhas que quebraram o país, quebraram os bancos públicos e dilapidaram as finanças públicas. Para as esquerdas e os políticos brasileiros a população é apenas um simples detalhe.

  • rubens costa

    Pedalada nunca derrubou ninguém, exceto se for na bicicleta! Se for golpe tá tudo em casa, pois o suposto golpista é o vice dela e comiam no mesmo tacho.

  • Celio Júnior

    O erro maior é do povo que elegem corruptos e depois querem reclamar!! Só colhemos o que plantamos.

  • Silva Silva

    Nós meros mortais, somos culpados de votar em pessoas que não trabalha para o povo mais sim. Trabalham para aumentar seu patrimônio e o povo não tem um retorno.

  • carlos

    Celio Júnior,faço de suas palavra as minhas!Os políticos são os mesmo no Brasil,é só prestar atenção no congresso é de pai para filho.Alagoas e´grande exemplo o povo vota nos corruptos e depois ficam indignados dizendo que todos são ladrões como votassem em renovação!Aqui em Alagoas,quem manda são os Calheiros,Beltrões,Albuquerques,Amelios ,Ferros,carimbão,carimbinho,Toledos etc..

  • Oliveira

    São todos iguais. Ela participou do esquema para derrubar o Collor junto de Lula,Zé Dirceu,Genoíno,Delúbio,esse ridículo Lindberg Farias ” o famoso criador dos caras pintadas”,e daqui de Alagoas,Paulão,Joaquim Brito…….. E agora ele vai visitá-la como conselheiro. Isso não vai mudar nunca. Como li no seu texto Ricardo,sobre amizades na política,é realmente como dizia Juracy Magalhães, são “instantes de amizade”. Tudo acontece só por interesse pessoal.ACORDA MACEIÓ,ACORDA ALAGOAS,ACORDA BRASIL.