Você levaria para casa, para apresentar e/ou conviver com a sua família, um ladrão, um assassino, um espancador de mulher?

Tudo bem, eu já sei a sua resposta.

Mas ela me remete a outra pergunta: por que você votaria em alguém que tivesse qualquer um dos atributos acima?

Quem assim age, tolerando criminosos nas casas legislativas ou nos governos – em qualquer nível –, não prejudica apenas a si próprio. Condena várias gerações ao atraso, à fome, à ignorância, ainda que depois reclame até cansar de que “todos os políticos são bandidos”.

Isto é injusto, por que nessa atividade, que deve ser nobre, tem gente da melhor qualidade e que não pode ser comparada com ladrões de merenda escolar, com saqueadores dos cofres públicos, ou pistoleiros do poder.

Sugiro que busque no partido da sua preferência – se você tiver – alguém que você não se envergonharia de levar à sua casa, conversar com os seus mais próximos, com seus filhos, ainda que isso seja só um exercício de imaginação (o texto não trata de afetos).

Se você sabe ou tem motivos para desconfiar que um candidato a prefeito ou a vereador é só mais criminoso que quer se dar bem nessa seara, rejeite o seu nome.

Diga não, mesmo que alguém próximo lhe peça o voto para o delinquente.

Adote um candidato que você considere uma pessoa de bem, honrada. Um mau caráter não pode resultar num bom político.

Não faça da permissividade com a escória humana uma arma contra você mesmo, respingando em toda a comunidade.

Lugar de bandido não é a Câmara de Vereadores ou a Prefeitura (de qualquer município).

Pedaladas
Esposa de Celso Luiz, conselheira do TC Cleide Beserra é investigada no STJ
  • Zeca

    Aí é que tá o problema Ricardo. Qualquer 50tinha resolve para a maioria.

    • Sergio

      Aceitar a oferta de dinheiro e NÃO votar no candidato que quis comprar seu voto é a única forma de acabar com este cancer que transforma o eleitor em 50 reais.
      O corrupto te paga 50 e lhe f… os proximos 4 anos, ou seja transforma vc em uma rapariga barata!

  • um ALAGOANO

    Excelente sua crônica, vivemos num mundo de faz de contas, onde as pessoas reclamam dos crimes políticos cobram honestidade mas a sua parte que é o principal não exercem e agem como se nada acontecesse e o pior as pessoas praticam atos na sua ótica simples mas que ferem o bom senso, por exemplo: estacionar em vagas exclusivas, utilizar filas preferenciais etc, somos críticos mas somos culpados sempre.

  • Indignado da silva

    Concordo em grau gênero e número com vc RICARDO.

  • Roberto Bastos Costa

    É verdade! Pessoas publicas são conhecidas a partir de sua vizinhança. São próximas do sentido material, afetivo ou de parentesco. Estão na mídia nem que seja na “radio vassoura”, na conversa informal. Divido o pensamento com aqueles que mostram nossa responsabilidades na escolha ao lembrar a origem de nossos homens e mulheres públicas: com certeza não são de Marte.

  • ARTUR GAIA

    Ricardo, o problema é falta de EDUCAÇÃO MORAL E CÍVICA, a desculpa é sempre a riqueza de ignorância. Ex.: Vou votar porque ele rouba mas faz, vou votar porque é amigo do meu pai e me prometeu um emprego, é meu parente e por fim, me deu 50,00 o cara é bom. Qual o futuro que teremos com um VOTO desse.
    Ricardo, você não acredita, eu do jeito que sou, já recebi uma ligação essa semana me pedindo um voto para um amigo de quem me ligou,imagine a coragem das pessoas quando se passa para esse papel, agora você imagine o que pode acontecer com aqueles pobres miseráveis do interior que não sabe nem como se chama. Resumo, escutei o conhecido, não fui grosso, mas fique triste com o seu comportamento. Não estou preocupado se gostou ou não desse meu relato.

  • Joca Maciel

    Ora,ora,ora… Fico realmente no mato sem cachorro no tocante a minha busca sobre um ente chamado “homem público”. Não existe na conjuntura atual essa espécie!

  • Esperança Zero

    Quais seriam os candidatos de bom caráter e que só visaria o bem estar coletivo.
    Claro, existem alguns impensáveis de serem votados, mas a lei não funciona na pratica para barra-los.
    Como a política desceu ao nível das sarjetas, vejo os ainda melhores com o olho no se dar bem!
    Infelizmente!

  • Humberto

    Vote nulo !!!

  • Kinha

    Concordo Ricardo, infelizmente não encontro essa pessoa que tenha essas qualidades que queira se candidatar.Trabalho na área de saúde e me revolto em vê que pessoas morrem por falta de atendimento adequado, por falta de internamento para tratamento,profissionais heróis fazendo o impossível para salvar vidas.Essa pessoa que tanto procuro, só em conto de fadas.Infelizmente e a contra gosto votarei nulo, sei que não estou fazendo o certo, mas pelo menos tenho minha consciência tranquila que não contribui para que esses delinquentes se perpetuem.

  • Itamaracá a pedra que canta, e brejo lodoso!

    É fácil detectar origens de enriquecimento ilícito por quem participa diretamente de governos, aí aparece na mídia e na fofoca do boca a boca, vamos dizer assim por exemplo um que já foi governo e que comprou 4, 6, 8 fazendas, propriedades rurais, mas não aparece e coloca em nome’LARANJAS’. Aí tem ‘LARANJAS’ ricas, maduras, pobres que pagaram em apenas duas FAZENDAS RURAIS algo talvez no total de R$ 10.000.000,00, R$ 5.000.000,00 pagos por cada em dinheiro, espécie!!! Vamos admitir que o pseudo ‘LARANJA’ seja rico, como detectar se a origem do dinheiro pago foi oriundo da propina, de desvio através da corrupção, de atos ilícitos? Simples, é só verificar se as movimentações bancárias do ‘LARANJA RICO’ de fato saíram de maneira correta, os R$ 5.000.000,00 para cada ‘Fazenda Rural’, mas eu tinha guardado em casa, declarou no Imposto de Renda? Não? Então foi pago pela emissão de cheque ou documento bancários? Não? Por acaso declarou no Imposto de Renda? Como se processou o milagre, só a Polícia Federal, Ministério Público Federal, Receita Federal podem detectar a origem ilícita, sonegação de impostos e moralizar políticos desonestos. “Não faça da permissividade com a escória humana uma arma contra você mesmo”.

  • Ismar Nascimento

    Belíssimo texto. Criativo, crítico e muito profundo. Mas, infelizmente, poucos pensam assim. Jornalista de grande responsabilidade, se outros jornalistas fizessem a sua parte com textos desta natureza, teríamos um alcance maior junto à sociedade.

  • PORFIRIO

    Ricardo, você, com sua influência nos meios de comunicação, graças a um brilhante trabalho que desempenha, com bastante bravura e destemor, deveria aproveitar o espaço pra dá uma porrada bem dada nos presidentes dos TRE’s e do TSE, no que pertine a homologação de registros de candidaturas de bancidos à vida publica. Faz isso, por favor.

  • JEu

    Concordo plenamente com vc, Ricardo. Muito embora tenho a opinião de que não somente não desejo que um delinquente frequente minha casa, como não o quero mesmo no rol dos amigos ou conhecidos, como vizinhos, pessoas que convivemos socialmente em ambientes de trabalho, etc… a não ser que se arrependam de seus crimes e procurem agir de outra maneira, inclusive se esforçando para reparar os mal-feitos. Porém, creio que o eleitor que vota nessas pessoas (que deveriam estar na cadeia) ou é alheio à realidade, por não ter informação suficiente, ou então simplesmente “vende” o voto… Talvez fosse interessante que, bem próximo às eleições, algum movimento contra a corrupção divulgasse uma lista, em cada município, dos candidatos “fichas-sujas” com os respectivos mal-feitos… aí, quem sabe, as pessoas mal informadas poderiam votar mais conscientes… quanto aos que “negociam” o voto, aí só polícia mesmo…

  • Fábio

    Essa classe de político sós são eleito por causa daquelas pessoas desinformada do interior que votam nestes bandidos que roubam dos cofres públicos e enganam os eleitores pobres com cestas básicas e outras mendigagens…

  • Daniel

    Corrupção tem sido um vírus. ..

    É difícil quem se elege não contaminar-se …

    No discurso é bom caráter, na prática. …

    É acreditar na sorte, ou seja um tiro no escuro.

  • Glorioso

    O senhor jornalista e formado de opinião, deveria sugerir ao seus leitores e ouvintes, procurar entender o “Fundo Partidário”, que é um dos métodos mais nocivos de lesar o cidadão brasileiro e que foi criado pelos políticos para viver do dinheiro do trabalhador brasileiro.
    Na minha modesta opinião, acabando o referido fundo, acaba-se o político mutreteiro, mentiroso, enganador, canalha, usuário de dois discurso(Um para o eleitor e outro para negociatas dos gabinetes), daí, nós iriamos vê se realmente há político honesto no Brasil, porque da forma que é a politica brasileira atual, não podemos confiar.

    • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

      HÁ MAIS DE QUATRO LUSTROS QUE SUGERIMOS PLAUSÍVEIS SOLUÇÕES AO COMBALIDO BRASIL!

      Joilson Gouveia*

      Nos três últimos lustros de desgovernos escarlates, o que mais se viu foi “MINISTÉRIOS, secretarias e agências reguladoras” – leia-se: “empregadoras”, verdadeiros cabides e/ou armários de empregos à súcia matula escarlate e demais apaniguados daquela tal “coalizão vitoriosa” – que nada produziram, regularam, resolveram, criaram ou beneficiaram senão aos aparelhados arraigados e incrustrados nesses quase quarenta ministérios. É fato!
      Eis que, agora, os “comunapetralhistas” tocam o maior horror e esbravejam esbaforidos insanos e ensandecidos contra ao atual presidente-em-exercício, que era o melhor, mais capaz e eficiente vice-presidente deLLa, que todos eLLes mesmo elegeram!
      Assim como os manhosos felinos e sonsos gatos domésticos que mais miam enquanto gozam- é gozando e miando – agora soltam alaridos iguais aos bacuris quando perdem suas tetas na gorda e velha porca!
      Há muito mais que somente aqueles “assistidos, carentes e necessitados”, inservíveis servidos, mantidos e sustentados pelo óbolo Rouanet, no MinC, por generosas sinecuras, benesse e graçolas iguais a alimárias ociosos cercados e encurralados no curral famélico dos tais Programas-Sociais e BOLSAS de todo o gênero, espécie, tipo e formas. É fato!
      Tenho dito: para reduzir, conter, evitar ou combater ao irresponsável, odioso e inaceitável déficit estratosférico do Erário Nacional, que foi espoliado, aviltado, achacado, desviado e “doado”, é bastante repatriar todo o “investimento” deLLes, nos países de bandeira escarlate; expropriar todos os bens e contas no exterior, mormente dos envolvidos no mensalão, PTrolão e etc., bem como reduzir ou acabar com o tal FUNDO PARTIDÁRIO dos 35 partidos, que fora majorado por eLLa, em 2014, em mais 550% – Governo nenhum há de manter nenhum partido, que seus filiados os mantenha; assim como são mantidos os mais de 15.000 sindicatos e centrais sindicais “dessepaís” e as tais ONG’s, que não podem nem devem ser mantidas por nenhum governo que se preze e minimante probo – corte cirúrgico, amplo, geral, visceral ou intestinal das legiões inumeráveis de cargos comissionados dos “aparelhados” apaniguados incrustrados nos três Poderes, Instituições e Órgãos republicanos até o terceiro escalão, cortando suas graçolas, mordomias, benesses e sinecuras. Leiam mais sobre o tema aqui, a saber: https://jus.com.br/artigos/1935/ataque-ao-monstro-o-servidor-publico-de-novo-e-o-vilao-da-historia.
      Como hão de ver, os que acessarem ao link em liça, o texto é de 1995, mas as sugestões contidas de suas alíneas “a” usque “f”, ainda que de um texto vintenário, i.e., de mais de quatro lustros, suas propostas são plausíveis, viáveis, adequadas, exequíveis e atualíssimas porquanto cabíveis feito luvas à atual conjuntura de nosso combalido Brasil!
      Abr
      *JG

  • Romão

    Excelente texto! Já compartilhei… o problema é de quem quiser continuar se iludindo, rsrrsrs! Ouvi dentro da minha casa que: “[…] se alguém me oferecer cinquentinha vou! […]” (sic), imagine o desaforo?!

  • Zé MCZ

    Plausível, mas é muito difícil esse seu alerta chegar aonde é preciso modificar o clientelismo. O imenso público que é comprado está mais interessado no fêice, inshta, bbbosta e mais. O analfabetismo político está em todas as classes. Os que se beneficiam desse sistema vampiro orbitam, da mesma maneira que os urubus fazem sobre a carniça. Esse é o melhor exemplo.

  • Claudio

    Como o eleitor saber que um politico não é saqueador do dinheiro público, verifique se ele emprega a familia no setor público, verifique se o carro do politico é de luxo ou seja um carro de mais 100 mil reais, ai pode ter certeza esse politico é um LADRAO, agora ta na mão do eleitor é so nao votar nesses Bandidos que mancha a politica brasileira.
    Quem não sabe como investigar seu candidato, basta entrar no Google e colocar o nome do candidato e ao lado processos judiciais, ai o eleitor vai saber se o seu candidato é bandido ou não.

  • Tiago Melo

    Parabéns mais uma vez Tio Rico,
    Toda eleição eu digo que vou votar NULO e sempre acabo escolhendo o “menos ruim”. Mas, quem é o menos ruim? Temos que procurar o melhor.. Por isso na eleição vindoura vou VOTAR NULO e cumprir minha promessa pois não vejo um candidato melhor. Todos, sem exceção, direita, esquerda, centrão, estão todos no mesmo barco o barco da corrupção…!

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    INDEPENDE DO RECADO QUANDO O BUSÍLIS É O RESULTADO SUGRAGADO!
    Joilson Gouveia*
    O busílis, sempre imputado ao eleitor ou ao cidadão e cidadã de bem, honesto, honrado, decente e de boa-fé, que ainda crê ou confia nessas “URNAS ELETRÔNICAS DIGITAIS INVIOLÁVEIS, SEGURAS E INVULNERÁEIS” – como apregoa a Justiça Eleitoral – as quais sequer se pode auditar, contestar, aferir, conferir e comprovar o seu “resultado obtido” ou nelas “registrados”. É fato! – Ou ao ignaro, ingênuo, incauto, ignorante, inocente, pueril, carente e necessitado eleitor, mantido por óbolos do tipo BOLSAS ou aqueles que “recebem cinquentinha”, seja para votar ou não votar (recebendo-o já é-o tão ou mais criminoso que o “comprador”; ou não? O certo seria denunciar o crime; ou não?), o que bem reflete a índole, o caráter, o escrúpulo ou formação política de nossos cidadãos/eleitores!
    Há quem diga que há políticos honestos – deve haver, sim! Difícil é encontra-los; ou não? – O nosso Sistema Político-Eleitoral, que compele ao cidadão a VOTAR, no mais da vez, no menos ruim ou menos pior, numa URNA que não lhe confere a certeza, convicção e a garantia da verdade sobre o destino dado ao seu voto sufragado porquanto impossível auditar, impugnar, contestar e/ou comprovar os resultados anunciados. Já dissera Stalin: “Voto não decide nada! Quem conta os votos decide tudo”! Assim tem sido e assim será, sobretudo se não impressos. Eleição sem impressão causa MÁ impressão e gera dúvidas ou confusão, mormente a mantença do Status Quo Ante e do que aí está: sempre os mesmos candidatos de sempre ou seus primogênitos e parentela ou os apaniguados corruPTos e corruPTores!
    Amanhã, dia 31 de julho, o povo poderá mudar a tudo isso que aí está! O “tchau, querida” há de ser um ADEUS definitivo a todos eLLes! Ou não?
    Abr
    *JG

  • revoltado

    Se não for pra vota em político bandido político ladrão
    político que desviam verba do estado político mandante de crimes parabéns em Alagoas não vai ter eleições esse ano

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    ERRATA AO ANTERIOR!
    INDEPENDE DE RECADO QUANDO O BUSÍLIS É O RESULTADO SUFRAGADO!
    Joilson Gouveia*
    O busílis, sempre imputado ao eleitor ou ao cidadão e cidadã de bem, honesto, honrado, decente e de boa-fé, que ainda crê ou confia nessas “URNAS ELETRÔNICAS DIGITAIS INVIOLÁVEIS, SEGURAS E INVULNERÁEIS” – como apregoa a Justiça Eleitoral – as quais sequer se pode auditar, contestar, aferir, conferir e comprovar o seu “resultado obtido” ou nelas “registrados”. É fato! – Ou ao ignaro, ingênuo, incauto, ignorante, inocente, pueril, carente e necessitado eleitor, mantido por óbolos do tipo BOLSAS ou aqueles que “recebem cinquentinha”, seja para votar ou não votar (recebendo-o já é-o tão ou mais criminoso que o “comprador”; ou não? O certo seria denunciar o crime; ou não?), o que bem reflete a índole, o caráter, o escrúpulo ou a formação política de nossos cidadãos/eleitores!
    Há quem diga que há políticos honestos – deve haver, sim! Difícil é encontra-los; ou não? – O nosso Sistema Político-Eleitoral, que compele ao cidadão a VOTAR, no mais da vez, no menos ruim ou menos pior, numa URNA que não lhe confere a certeza, a convicção e a garantia da verdade sobre o destino dado ao seu voto sufragado porquanto impossível auditar, impugnar, contestar e/ou comprovar os resultados anunciados. Já dissera Stalin: “Voto não decide nada! Quem conta os votos decide tudo”!
    Assim tem sido e assim será, sobretudo se não impressos. Eleição sem impressão causa MÁ impressão e gera dúvidas ou confusão, mormente a mantença do Status Quo Ante e do que aí está: sempre os mesmos candidatos de sempre ou seus primogênitos e parentela ou os apaniguados corruPTos e corruPTores!
    Amanhã, dia 31 de julho, o povo poderá mudar a tudo isso que aí está! O “tchau, querida” há de ser um ADEUS definitivo a todos eLLes! Ou não?
    Abr
    *JG

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    ERRATA AO ANTERIOR!
    INDEPENDE DE RECADO QUANDO O BUSÍLIS É O RESULTADO SUFRAGADO!
    Joilson Gouveia*
    O busílis, sempre imputado ao eleitor ou ao cidadão e cidadã de bem, honesto, honrado, decente e de boa-fé, que ainda crê ou confia nessas “URNAS ELETRÔNICAS DIGITAIS INVIOLÁVEIS, SEGURAS E INVULNERÁEIS” – como apregoa a Justiça Eleitoral – as quais sequer se pode auditar, contestar, aferir, conferir e comprovar o seu “resultado obtido” ou nelas “registrados”. É fato! – Ou ao ignaro, ingênuo, incauto, ignorante, inocente, pueril, carente e necessitado eleitor, mantido por óbolos do tipo BOLSAS ou aqueles que “recebem cinquentinha”, seja para votar ou não votar (recebendo-o já é-o tão ou mais criminoso que o “comprador”; ou não? O certo seria denunciar o crime; ou não?), o que bem reflete a índole, o caráter, o escrúpulo ou a formação política de nossos cidadãos/eleitores!
    Há quem diga que há políticos honestos – deve haver, sim! Difícil é encontra-los; ou não? – O nosso Sistema Político-Eleitoral, que compele ao cidadão a VOTAR, no mais da vez, no menos ruim ou menos pior, numa URNA que não lhe confere a certeza, a convicção e a garantia da verdade sobre o destino dado ao seu voto sufragado porquanto impossível auditar, impugnar, contestar e/ou comprovar os resultados anunciados. Já dissera Stalin: “Voto não decide nada! Quem conta os votos decide tudo”!
    Assim tem sido e assim será, sobretudo se não impressos. Eleição sem impressão causa MÁ impressão e gera dúvidas ou confusão, mormente a mantença do Status Quo Ante e do que aí está: sempre os mesmos candidatos de sempre ou seus primogênitos e parentela ou os apaniguados corruPTos e corruPTores!
    Amanhã, dia 31 de julho, o povo poderá mudar a tudo isso que aí está! O “tchau, querida” há de ser um ADEUS definitivo a todos eLLes! Ou não?
    Abr
    *JG

    • Zé MCZ

      O “seu Aurélio” é definitivamente o pai dos asininos e muares. Só ele para nos auxiliar a tentarmos ser desinteligentes. Por isso mesmo nem me dou o trabalho!
      Tem razão, como falou Leonardo Boff:
      SE NÓS SOUBÉSSEMOS O QUE ESTA ELITE ESTÁ PREPARANDO PARA NÓS, NÓS TOMARÍAMOS CONTA DAS RUAS E NÃO HAVERIA RUAS EM QUANTIDADE SUFICIENTE PARA NOS CABER.
      Portanto, amanhã…
      31 de julho de 2016…
      Até o dia da votação definitiva dos que foram sem ter nunca sido.

  • Há Lagoas

    Uma sociedade justa produz bons políticos.
    Em se tratando de Brasil com toda essa crise de credibilidade – nem mesmo a justiça se salva – já que a mesma permite que bandidos continuem exercendo seus mandatos e se candidatando a novos pleitos. Que dirá então de nossa classe política…
    Neste caso, optemos pelo menos ruim, já é um bom começo!

  • Plínio Doce

    Quem vota em ladrão é ladrão também!

    • José gonçalves

      O homem de bem tem que acabar com essa história de que ele não serve para a política pois,sob o argumento de que essa é uma atividade feita sob medida para os canalhas inescrupulosos, e se apresentar como alternativa para ocupar os espaços de poder. Do contrário, a continuar essa situação, ainda que queiramos,num futuro não muito distante não teremos alternativas para receber a missão de nos representar. A política é uma atividade nobre, imprescindível para a vida em sociedade e não pode ser exercida por delinquentes com a nossa benção. Acorda povo!

  • observadora

    Belo texto Ricardo Mota,eu vou dar um ex bem simples e objetivo,quando o cidadão vai realizar um compra no comercio e feito uma analise para saber se seu nome esta limpo no serviço de proteção ao credito, caso encontre alguma restrição a compra não e realizada de forma nenhuma e a clienta vai pra casa tão frustada as vezes era um objeto que ela estava necessitando tanto.Porque o TRE e TSE não faz a mesma coisa quando vai escrever estas candidato fixa sujo eles sabem quem são essas figurinha garimbadas são nome sujos não podem se candidatar, esse tal de Cicero ele não e processado pela mafia do lixo e como aceitaram ele candidato de novo ele sabe que o negocio e muito bom.

  • marcos

    Só lembrando, Ricardo, que criminoso não é só quem mata, mas quem desvia e rouba, e isso não tem um que escape.

  • Lima

    Estamos novamente em meio a um turbilhão de escândalos públicos, o que tem sido uma situação comum em AL. No entanto, a questão da corrupção é muito mais profunda. Acredito que apenas uma pequena parte dos casos seja descoberta e venha a público. Imagino que grande parcela fique escondida nas entranhas públicas. Temos a corrupção política, a corrupção de servidores e de cidadãos desonestos. A corrupção sempre tem dois lados, um corrompendo e outro sendo corrompido…

  • LimaJr

    Todo mês a arrecadação tributária bate recordes, o governo encosta os contribuintes na parede e suga a maior parcela dos seus recursos e tudo isso para quê? Para vermos que o nosso dinheiro está sendo desviado, utilizado para manter um gigantesco cabide de empregos, manter o inchaço da máquina pública ou aplicado em obras fúteis, enfim, uma grande parcela escoando pelo ralo.

  • carlos

    As eleições municipais é uma oportunidade que a sociedade tem para começar a desenhar a realidade que pode mudar sim.