As demandas no TJ, em nova fase, vão crescendo a cada dia.

O Ministério Público Estadual, por exemplo, está à espera do julgamento do recurso que pede a suspensão de uma decisão simbólica do desembargador Tutmés Airan.

O caso: a multa aplicada ao deputado Luiz Dantas – R$ 61 mil – por descumprimento da decisão judicial que obriga a Assembleia Legislativa a devolver aos cofres públicos o dinheiro descontado a cada mês dos servidores da Casa, a título de imposto de renda.

Airan suspendeu o pagamento da multa apostando num acordo entre as partes: Assembleia, governo do Estado e MP Estadual.

O Palácio e a Casa de Tavares Bastos falam a mesma língua na Ação, mas o Ministério Público Estadual não concordou com a proposta de acordo postada na mesa: pagar o que deve, os deputados só querem começar a fazê-lo em setembro de 2017.

Até lá, zero.

O impressionante é que o governador Renan Filho aceitou abrir mão de mais de R$ 20 milhões só este ano – o acumulado supera os R$ 100 milhões.

Sinal de que os cofres da Fazenda Estadual estão abastecidos?

O pedido de suspensão de decisão de Tutmés Airan, que acredita que as partes vão se entender “conversando”, foi apresentado no dia 19, pelo procurador-geral de Justiça Sérgio Jucá.

Com a palavra, o presidente do TJ.

 

Esposa de Celso Luiz, conselheira do TC Cleide Beserra é investigada no STJ
Você recebeu carta do senador Collor em junho? (Collor manda correspondência ao blog)
  • Simone

    A certeza da impunidade faz com que eles voltem a praticar atos ilícitos! AL e sua população vai sofrer muito, com essas famílias que se mantem no poder.

  • WAL

    61 Mil, este valor é café pequeno.

  • JEu

    Pois é assim mesmo… para uns os beneplácitos da lei (os mandatários do Estado), para outros o rigor da lei (o povo em geral)… onde fica a igualdade perante a lei?!!!! E como é que o governador aceita não receber o que é devido ao erário público, como se fosse dele e, ao mesmo tempo, nega aos funcionários a reposição da inflação do ano findo, e ainda diz que é porque não tem caixa suficiente?!!! Vem aí as eleições de outubro… funcionários públicos em Maceió devem se unir e votar contra o candidato do governo… é o mínimo que se pode fazer, já que os sindicatos colocaram o rabo entre as pernas e se calaram…

  • Tiago Melo

    Concordo com as palavras do JEu. Só discordo em um ponto, que é o de votar no candidato contra o governo. TEMOS QUE VOTAR NULO!!!!!!!!!!!
    Os postulantes são horríveis em todos os sentidos, uns com processos rolando, outros enganadores que se dizem da mudança, mas todos são ligados as antigas oligarquias desse estado miserável, não se enganem, nenhum deles visam o bem comum, nenhum deles…!

  • Amaro

    Sei não… sei não… passa uma impressão a nós, leigos, consumidores e pagadores dos altos e imerecidos salários, que o TCE é uma camarilha cujo foco principal é abastecer os combalidos bolsos, pelas vias da legalidade, é claro.

  • carlos

    Para agradar os deputados tem dinheiro.Já para o sofrido servidor público só conversa fiada e muito papo que acha justo o pleito do servidor mais não tem dinheiro.Governador sua conversa está muito enfadonha ecada dia o povo manja sua lábia!