É inegável que o maior êxito do governo Renan Filho acontece na área da Segurança Pública.

Ainda que a queda na taxa de homicídios tenha começado no governo de Téo Vilela, com o programa Brasil Mais Seguro, foi na atual gestão quem as estatísticas passaram a ter maior dimensão, apontando para uma redução significativa no número de assassinatos.

Mas eis que os novos números já mostram um “esgotamento” no trabalho policial, que continua intenso, mas tem um limite que parece prestes a ser atingido.

Na comparação com o mesmo período no ano passado, houve uma queda de 1,9% no número de assassinatos em Alagoas de janeiro a junho de 2016. Comparando com 2014, a redução constatada chegou a 22,9%.

Há o que se “comemorar”, mas há também muito para nos preocuparmos.

Não há de se apontar o dedo para a cúpula da Segurança Pública, mas esta é a consequência inevitável da ausência de outras políticas públicas estratégicas, que atendam principalmente a crianças e adolescentes da periferia das maiores cidades.

Não se constrói uma Nação com polícia, que tem um papel importante, mas não transformador.

Há um problema, entretanto, de difícil solução por esses tempos: todo mundo sabe que Educação, Saúde, Cultura, Esportes – falando apenas dessas áreas – estão longe de funcionar com dignidade nos três níveis, mas não aparecem como prioridades de opinião nas pesquisas que norteiam governos e governantes.

Ao contrário, a Segurança Pública ainda “brilha” entre as demandas mais sentidas da população.

E os governos, bem sabemos, não agem – só reagem.

Bloqueio: Justiça só acha menos de R$ 2 mil nas contas de Luiz Dantas
Radar On-line diz que Milton Lira está na fila da delação premiada
  • Alfons Maria Kubina

    E fácil para resolver se temos uma lei que obriga totós os políticos e funcionários do alto escalão têm que matricula suas crianças nas escolas públicas e todos e todas as políticos tem que ser atendido nos postos de saúde e nos hospitais de SUS.

  • Wilson

    O esgotamento é fato pois para o Jovens pretos e pobres alagoanos só resta um futuro no crime escolas não tem lazer cultura e saúde pode contratar um milhão de policiais e um só professor resolve e o Ricardo sabe disso

  • JEu

    É isso mesmo, Ricardo. Aos governos só interessam os índices da opinião pública geral, que, por ser genérica e ignorante, só pensa no imediato e não no futuro… Já disse e repito, mais uma vez: a melhor sociedade será sempre aquela que menos necessite de serviços de polícia… Para isso é preciso que o povo esteja em ordem e em progresso, ou seja, que esteja satisfeito com a situação pessoal nas esferas de educação e cultura, saúde e emprego; e sempre avançando para patamares mais justos e equitativos em termos sociais, relacionados com a distribuição de renda… Uma população satisfeita é uma população ordeira, pois saberá avaliar o justo valor de sua vida e, por conseguinte, da vida do outro…

  • CICERO FREDERICO DA SILVA

    AGORA SIM FALTA UM MAIOR APOIO FINACEIRO PARA QUEM FOR AS RUAS

  • carlos

    A visão do gov.sem tirar os méritos,é como construir obras físicas onde a populção passa e vê os concretos.Já saneamento básico nada prevenção ás doênças.No caso políticas púbicas demanda tempo para os resultados e ele tem pressa de aparecer como bom ou melhor necessidade.Quanto mais polícias e armamentos nas ruas é sinal que estamos perdendo o controle dos nossos jovens para às drogas e lógico para violência.Infelizmente eles são imediatistas os políticos,querem viver o momento e depóis deles o dilúvio!Vamos comemorar cobrando políticas públicas.

  • sebastião iguatemyr cadena cordeiro

    SÓ QUERO VER O DISCURSO DO “MININIM” QUANDO A GUARDA NACIONAL PEGAR SEUS APETRECHOS E SUMIR DAQUI.
    PODEM AGUARDAR,POIS É PARA MUITO BREVE O FATÍDICO EFEITO . . .

  • carlos

    Sebastião iguatemym,o seu comentário muito bom!Há mais de 10 anos,que ouço,vamos convocar a reserva técnica.Convocam e o resultado nada,é como tivesse enxugando gelo.Queremos políticas públicas já! discurso são apenas palavras e o resultado zero!

  • Cabo Henrique

    Esse Governo precisa trabalhar, em todos os setores, até o momento não existe diferença nenhuma para o governo anterior. O problema que mal terminou a sua campanha e eleição, ele entrou em outra pelas prefeituras de alguns municípios, principalmente a cidade de Maceió, com o Almeida. Não faça de Alagoas a República dos Calheiros!

  • carlos

    Os servidores públicos deve está unido em defesa da categória.Pode ser servidor federal,estadual e municipal do estado todo.O governador Renan Filhoestá arrazando com esta categória.Claro que tem que olhar o todo de um governo não é só o servidor.Educação,saúde estão sendo vista por este governo só no discurso!