Finalmente, o Brasil descobriu que o estupro é um crime que faz parte do nosso cotidiano, sem que assumamos uma posição de solidariedade às vítimas e de coragem para exigir a punição dos criminosos.

Segundo os dados disponíveis, acontecem por ano cerca de 150 mil casos de estupro no país – é a estimativa -, embora os registros oficiais alcancem pouco mais de 30% das ocorrências.

Que bom que o tema assume centralidade no debate sobre a violência contra a mulher num país misógino e machista, com consequências trágicas.

Aqui em Alagoas, o líder do governo na Assembleia, deputado Ronaldo Medeiros, deve apresentar hoje um requerimento pedindo a criação de uma Comissão Especial de Inquérito para investigar os estupros no estado. Mas não apenas isso:

– O nosso objetivo é levar este debate para dentro da Casa, com a participação das várias organizações da sociedade. Como podemos combater a cultura do estupro em Alagoas? Eis um tema de que não podemos fugir.

Medeiros disse ao blog que já conseguiu reunir sete assinaturas de parlamentares para a criação da CPI, esperando conquistar mais duas, hoje.

Acordo no TJ: Estado vai contratar 150 professores da Reserva Técnica
'Sobra' sangue mas faltam kits de análise no Hemoal
  • Glorioso

    Os alagoanos deveriam criar um movimento contra os políticos alagoanos que são verdadeiros estupradores do erário.

  • JEu

    Louvável o interesse do parlamentar… porém, creio que existem temas mais urgentes, como criar uma CPI para investigar os estupros ao erário público… praticado diariamente em todos os poderes… ou uma CPI para apurar a falta de remédios, equipamentos, etc, na saúde… ou uma CPI para apurar as grandes dificuldades que impedem a educação avançar para tirar o Estado dos índices vergonhosos de analfabetismo… ou uma CPI para apurar os por quês de tanta criminalidade e violência que matam tantos jovens nestas terras caetés… ou uma CPI para apurar por que tanta gente está sem emprego… etc, etc, etc…

  • conceição

    Quem não se lembra dos horrores sofridos por nos mulheres na década de 70 e 80 com vários estupros praticados pela gangue sádica (filhos e sobrinhos de autoridades )que aterrorizava Maceió! e ate hoje ninquem foi punido pelo contrario muitos se tornaram pessoas influente !infelizmente daqui a um Més toda essa comoção e horror demostrado por toda a sociedade vai estar esquecida ! precisamos e de lei mas dura com punições e ate acastrações!

  • JOSIVAL

    A CPI ainda vai ser criada, mas o resultado todos nós ja conhecemos, será igualzinho a de todas as outras CPIs produzidas pela competente ALE.

  • Filho da Terra

    Alguém já viu alguma CPI ter algum resultado prático?

    Essa CPI só vai servir para aproveitar o momento, e dá mídia aos participantes.

    É apenas oportunismo, não é necessária CPI para criar e priorizar políticas que beneficiem as mulheres..

  • carlos

    Glorioso,disse tudo.Já CPI,quem sabe,pode até alcançar os seus objetivos.Motivo não envolve dinheiro.

  • Lima

    Excelente.

    Crimes como esses, dessa natureza, não pode ficar impunes. É a maior agressão que se pode cometer contra um mulher.

    Uma violência que tira a vida da pessoa, a confiança, estabilidade e equilíbrio.

    Nosso país é o campeão de leis, são leis para tudo, mas que não funcionam.

    Gostei dos comentário sobre os estupradores do dinheiro público, aqueles que vivem aumentando seus patrimônios através das tetas dos municípios e estados. Já pagamos a conta, que tal melhorar as nossas escolhas e não votar em candidato envolvido em corrupção?

  • Daniel

    Concordo com o Glorioso! Tudo isso é puro oportunismo, com raras exceções não há nada nessa Assembléia Legislatura que dignifique e justifique compreensivelmente os repasse de quase ou mais de R$ 200 Milhões anuais, e os mais de R$ 70 Milhões para o Tribunal que nem faz mais de conta! É lamentável em todos os sentidos!

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    E mais este, a saber:
    CURRA OU ESTUPRO COLETIVO MERO REFLEXO DO DECÁLOGO DE LÊNIN TUTELADO PELO TAL ECA
    Joilson Gouveia*
    É cediço, consabido e ressabido porquanto pacífico, público e notório que devemos execrar, abominar, repudiar, evitar, minimizar, reduzir e reprimir ou combater e PUNIR efetiva, rigorosa e exemplarmente a quaisquer violências, mormente se perpetradas contra à mulher ou à pessoa do sexo feminino, que de há muito é tido como o sexo frágil ou mais vulnerável às violências de toda ordem, tipos ou espécies – ainda que as feministas deplorem tal e tais condições -, haja vista que nenhum Ser Humano, sobretudo nenhuma Mulher deva ser ou deverá ser estuprada, “nem mesmo a Maria do Rosário”, que é intransigente, incoerente e ferrenha defensora e protetora dos delinquentes juvenis e infantis, traficantes, assassinos e estupradores, como bem o disse Jair Bolsonaro, com o que concordo em GNG, que “deveria levar a todos os estupradores para a casa dela”, já que simpatiza, protege e defende-os!
    Há mais de cinco lustros que vigora o tal de ECA, que permite tudo aos adolescentes, crianças e jovens menos estudar e trabalhar ou se responsabilizar e responderem por seus ATOS – é, pois, a prática perversa do mandamento número um do “decálogo de Lênin”: “corrompa a juventude e dê-lhe toda liberdade sexual”! Faça-os crer que podem tudo e a tudo devem porquanto inimputáveis e tutelados pelo ECA; exceptio laborar e estudar!
    Resulta, pois, dessa desenfreada, descontrolada, inescrupulosa e criminosa liberdade ilimitada aos “tutelados de Maria do Carmo”, o recente episódio de estupro coletivo ou CURRA de que foi vítima (?) a jovem de 16 anos, que já é mãe desde os treze (Pasmem!) – Precoce ou livre ou já responsável por seus ATOS? – Que foi ao encontro do seu (tra) “ficante”, consoante editado e noticiado nos web-jornais e redes sociais, numa madrugada e na “comunidade”, não somente para satisfazer sua lascívia, libido, afeto e desejos sexuais, mas, também, arrefecer seu vício enquanto usuária de drogas que é; ou não? Aliás, sequer seus pais sabiam de seu destino ou paradeiro ou com quem estaria, na madrugada; certamente!
    Mas, ainda assim, sem querer acusar ou defender, condenar ou absolver a nenhum dos meliantes, marginais e delinquentes envolvidos no ignominioso, bárbaro, inaceitável, intolerável, repugnante e deplorável caso de CURRA havido, no qual foi vítima essa jovem, que ronda à cidade na madrugada e sem anuência e ciência de seus pais, os quais somente souberam porque os bandidos canalhas desclassificados expuseram fotos e vídeos de seus deploráveis atos, feitos e malfeitos.
    Aliás, todo aquele que recebeu, viu e reenviou ou compartilhou tal e tais fotos e vídeo, para mim, são tão meliantes ou mais criminosos ou cúmplices da odiosa CURRA quanto seus bárbaros e miseráveis autores; salvo se foi consentido ou “buscado” por ela (o que não creio que tenha tido tal audácia e ousadia!) – Que, inclusive, disse não se recordar se estava drogada ou não ou coo fora parrar ali?
    Já dissemos e reiteramos, a saber:
    a) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2011/08/o-brasil-acaba-com-o-tal-de-eca-ou-ele.html, e;
    b) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2015/04/a-quizila-da-maioridade-ou-menoridade.html;
    c) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2015/04/maioridade-ou-menoridade-penal.html
    d) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2015/04/reducao-da-maioridade-penal-ii.html;
    e) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2015/06/sim-reducao-da-maioridade-penal-pela.html, e;
    f) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/06/o-flagelo-das-drogas-e-covardia-ou.html.
    Enfim, tal e tais fatos demonstram a basto que é mais que hora de um basta nisso tudo, sobretudo REVOGAR o ECA e, também, concomitantemente REDUZIR a maioridade penal desses inimputáveis adolescentes e tutelados jovens delinquentes juvenis, para proteção, cuidado, zelo e salvação do presente e futuro de nossas crianças, adolescentes e jovens, mormente porque estão sendo doutrinados por algumas sinistras sestras odiáveis ideologias maledicentes, perversas, degradantes e deploráveis tais quais as de gênero, sobretudo e principalmente pelos KIT’s-Gay aprovados, impostos e distribuídos nas Escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental I e II, pelo MEC, dessa famigerada, inescrupulosa e criminosa “pátria educadora”, haja vista que “urge endireitar nossa Pátria”, e já! A saber: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/03/urge-endireitar-nosso-brasil-e-ja.html
    Em tempo: o que mais vimos, nas últimas três décadas, além da exacerbação exagerada do culto da sensualidade de nossas meninas e crianças ou de uma deliberada apologia sexual nas danças, letras e ritmos de músicas, desde o “axé, lambada, rap, reggae até o funk das periferias, ‘pancadões’ e de DJ’s e MC’s” – municiados ou movidos pelas drogas -, que proliferaram nas escolas, principalmente, mostradas nas tevês abertas em busca de audiências. Numa cega obediência à regra número UM daquele pernicioso “decálogo de Lênin”. Ou não?
    Abr
    *JG

  • WAL

    Todos irão votar, de suas casas, pois eles não comparecem ao setor de trabalho, a anos,
    VOTO NULO…

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    “Peninha”, nos responda por obséquio, houve CPI no caso TATURANAS? Quantos foram cassados e/ou condenados?
    Abr
    *JG

  • SEBASTIÃO IGUATEMYR CADENA CORDEIRO

    O QUE !? KA-KA-KA—KA-KA-KA . . . KI-KI-KI—KI-KI-KI . . .
    FA . . . CIÇO. . . NÃO , MATÉRIA . . . FAÇA NÃO ! ASSIM VO-
    CÊ ME MATA . . . (COMO CANTA O POVO BRUTO) NESTES
    MEIOS NÃO EXISTEM INOCENTES , APENAS CULPADOS
    QUE AINDA NÃO FORAM DESCOBERTOS . . .

  • carlos

    Grande besteira o voto nulo.Wal,não ajuda e sim alimenta tanto quanto os que votam por favores pessoais..

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    ESTRUPO DEMAIS POR SUPOSTO ESTUPRO OU CURRA QUERIDA (?)
    Joilson Gouveia*
    Algumas coisas hão de ser ditas e precisam ser esclarecidas quanto ao abominável, execrável, deplorável, intolerável, repugnante, degradante e humilhante CRIME DE ESTUPRO tanto quanto às insólitas, sórdidas, desprezíveis e descabidas tentativas de certos movimentos “protestantes” de matizes ideológicas, que denigrem a todos os homens, genérica, igual e coletivamente, ao nos imputar tal cultura odiosa, perversa e perniciosa e perigosa generalização – nem todos os homens somos são iguais ainda que semelhantes!
    Já discorremos, dissemos, repetimos e reiteramos que essa assestada “cultura”* inexiste, como apregoada por esses “vetores manifestantes, protestantes e ignorantes”, os quais se dizem pertencer ao “pensamento politizado progressista” e integrantes daqueles mesmos segmentos que isentam de culpa aos contumazes criminosos (praticantes de assaltos, sequestros, estupros, homicídios e latrocínios, dentre outros hediondos crimes) por serem considerados “vítimas ou excluídos sociais do Estado”, que são sempre tutelados e defendidos por milhares de “marias-dos-rosários et caterva escarlate”, que não aceitaram nem aceitam e são CONTRA a redução da maioridade penal, agravação da pena e até a castração química voluntária, como condição da progressão da pena, na iminência do retorno ao convívio social sadio, são, salutar, castro e castrado, literalmente. É típico!
    *Leiam mais sobre o mister, a saber: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/06/os-antipodas-vida-e-as-liberdades.html; E mais: a) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/05/curra-ou-estupro-coletivo-mero-reflexo.html; b) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/05/o-estrupo-da-cultura-do-estupro.html, e; c) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/05/a-isonomia-e-o-estrupo-de-uma-suposta.html.
    Eis o que se nos imputam a todos os homens, em inóxias assertivas e com fulcro em discutíveis ou improváveis estatísticas, a saber:
    “A reação de algumas pessoas ao estupro, dizendo que a menina é usuária de drogas, que estava naquele lugar porque quis, põe a culpa do estupro na vítima. A gente tem que refletir que os homens sabiam o que estavam fazendo. Eles agiram com base no machismo, vendo as mulheres como objetos sexuais, que podem ser tratadas de qualquer forma. O que aconteceu foi um crime, e esses criminosos têm que ser presos. Essa naturalização da violência contra a mulher faz com que milhares de nós sejamos violentadas todos os dias. Para se ter uma ideia, a cada onze minutos é notificado um caso de estupro no Brasil, esse número é bem maior na realidade” (Sic.) – sem grifos no original – explica Lu Araújo, integrante do movimento.
    Segundo Rosetania Lopes, estudante de Serviço Social da Ufal, “Queremos fazer com que nós, mulheres alagoanas, acordemos para os direitos que temos, que não aceitemos mais nenhum tipo de violência, que não nos calem. E, principalmente, chamar a atenção dos governantes para que medidas interventivas sejam tomadas urgentemente” (Sic.), afirma.
    Dizem mais ainda, a saber:
    “A gente tem que lembrar que a responsabilidade por casos como esse não é só dos criminosos que agridem as mulheres diretamente. Falta investimento público nas políticas para as mulheres. Hoje, cada vítima de violência machista tem que ser tratada apenas com R$ 0,26. Nossa situação não vai melhorar com o Governo Temer. A futura secretária nacional de políticas contra mulheres já se posicionou contra o aborto em casos de estupro, por exemplo. Por tudo isso, exigimos 1% do PIB para as políticas de combate a violência machista”, completa Lu Araújo.
    Denota-se, pois, das inteligentes declarações, que a questão não é só CRIME DE ESTUPRO citado e alegado (ainda não provado e comprovado pela perícia forense e até desmascarado pelo repórter Roberto Cabrinni) da ilibada, recatada e viciada, e não só em drogas. Ou não?
    Dizem-se ser, seriam ou são CONTRA ao estupro sim, mas favoráveis defensoras intransigentes ao ABORTO! – Acaso deixou de ser crime?
    O Temer não vai melhorar a situação delas, mas se houvesse mais recursos, superiores aos R$ 0,26 até que se poderia manter ou aceitar e tolerar tais “vítimas”! Ou que 1% do PIB se lhes seria bastante (?)
    Enfim, ainda que a agravação das penas não resolva, definitivamente, todos os crimes, e sim a certeza de aplicação das penas cominadas, o que reduziria, minimizara ou evitaria a incidência de tais crimes, como bem dissera o Césare Bonesana – Marques de Beccaria, a saber:
    a) “Um dos maiores travões aos delitos não é a crueldade das penas, mas a sua infalibilidade (…) A certeza de um castigo, mesmo moderado, causará sempre impressão mais intensa que o temor de outro mais severo, aliado à esperança de impunidade”;
    b) “Não é a intensidade da pena que produz o maior efeito sobre o espírito humano, mas a extensão dela”.- Frases – http://kdfrases.com
    Em suma, não é gravidade e sim a certeza de imposição da sanção, castigo e pena que inibe o criminoso da prática de seus delitos e crimes!
    Os presidiários e detentos são tratados com muito mais dignidade, respeito, proteção, cuidado e zelo que os dignos, honestos e honrados cidadãos trabalhadores e contribuintes honestos, honrados, decentes e de BEM “dessepaís”, desde uns três ou quatro lustros; ou não? Sem falar nas odiosas, injustas e muitas vezes indevidas progressões de penas! Vejam mais sobre o tema aqui, a saber: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/10/presidios-ou-penintenciarias-que.html
    Abr
    *JG