Apontada como uma legenda em crescimento até a abertura da janela da infidelidade, o PSD de Marx Beltrão esvaziou-se com a mesma velocidade com a qual cresceu em Alagoas.

Se nas eleições municipais tinha dois candidatos de peso nas principais cidades alagoanas, ficou praticamente sem nada.

Cícero Almeida saiu para o PMDB dos Calheiros e Tarcisio Freire deixou o barco de Beltrão e foi para o PP de Biu de Lira.

Aliás, mesmo o dono do partido desistiu de deixar o PMDB, pelo qual foi eleito: a sua cota de cargos federais está vinculada à legenda temerista.

Júnior Dâmaso se filia ao PMDB para disputar prefeitura de Marechal
Senadores alagoanos se recolhem ao silêncio obsequioso
  • JEu

    O problema é que, talvez esteja faltando “munição” para o partido….!!!!!!!!!!!!!

  • Thiago

    É como se a “iminente” assunção do vice Temer ao cargo de Presidente, atrai-se todos visando o comando do poder da república. Foi tudo planejado, ou mais ou menos arquitetado? O PMDB vai dominar o mundo? Eis a questão…

  • carlos

    Esse olho é irmão desse outro olho.Max Beltrão e sua ambição pessoal o deixa sem tempo para raciocínio lógico.A turma quando pensa na mão de quem vai ficar fica sem dormir e com pesadelo!