A indagação é procedente, levando-se em conta a decisão do TRE: se o coronel Adroaldo Goulart era, de fato, um candidato “laranja” nas eleições de 2014, a serviço de quem ele se colocou?

Fiz a pergunta ao advogado Marcelo Brabo, que atuou na defesa do então candidato Bendito de Lira, o alvo do militar-candidato, de acordo com o procurador Marcial Coêlho.

O que ele respondeu?

– São as idiossincrasias da nossa legislação eleitoral. Louvo a decisão do TRE, mas é preciso ir além. Se os desembargadores reconheceram a condição de laranja do oficial, é necessário que se aponte e se puna aquele que, supostamente, o contratou.

Esta não é, reconheçamos, uma decisão corriqueira. Em todas as eleições as denúncias se multiplicam, principalmente contra candidatos de partidos sem expressão, assim como os candidatos que usam o horário eleitoral para atacar um único candidato. Mas chegou ao resultado de agora tem sido improvável.

É, portanto, uma ação que aponta para uma parceria entre o laranja e o “dono” do cítrico.

“A Justiça precisa punir os dois envolvidos: sem um não há o outro”, diz Brabo.

Parece-me, prenhe de razão.

Renan Filho rejeita sugestões de Renan pai para a Segurança
JHC com a família Bolsonaro - o que diz o deputado?
  • JEu

    Talvez o culpado seja o “laranjal” instituído com as brechas nas leis eleitorais…!!! Creio que a decisão do TRE deveria ter incluído uma multa pecuniária (bem alta) para o coronel infrator… assim se poderia desestimular tais comportamentos no futuro….

  • carlos

    Quando chegar no dono do cítrico que todos sabem…a coisa emperra o mordomo é que paga o pato ou não.Basta o produtor do laranjal,intervir por baixo dos panos.Por falar em coisas,três Alagoanos,compõe a comissão parlamentar de inquerito são:Titular dep.federal Mauricio quintela e os suplente JHC e Max Beltrão.Destaque para o Beltrão,porem é suplente se for convocado Dilma que se cuide é “Durão”não suporta corrupção é uma lição que aprendeu com o pai dep.onde o dinheiro público deve ser só para o bem do povo…