Não é um feito de pequenas dimensões, se lembrarmos o que foi o ano de 2015 – que não há de deixar saudades (tomara).

É bem verdade que o governador Renan Filho ainda não deu início à prometida revolução na Educação, nem avançou, a se observar, na Saúde Pública, alvo de tantas promessas para 2016.

Mas ele não só não piorou o que já era ruim, como ainda conseguiu bons resultados na Segurança Pública, que vinha obtendo avanços desde o governo de Téo Vilela.

Renan Filho, eis o que merece maior destaque, não criou novas crises e conseguiu evitar, ainda no nascedouro, situações que marcariam o primeiro ano do seu governo de forma desagradável.

Recordando: ele voltou atrás, na hora certa, na megalômana proposta do “passe livre”, obra insensata e voluntarista do vice-governador e secretário de Educação Luciano Barbosa – o primeiro sinal de que as coisas poderiam dar errado.

Na Saúde, interveio com presteza no episódio do desabastecimento do HGE, que quase leva ao fechamento do único hospital público na capital.

Para dar volume ao pacote, negociou com paciência e inteligência com os servidores públicos, principalmente com a PM, a parte mais evidente das ações de combate à violência no Estado.

Enfim, Renan Filho fecha o ano com mais méritos do que o contrário. Se não venceu as dificuldades, e elas foram muitas, pelo menos não se deixou abater pela impossibilidade de se tornar, por ora, um nome nacional.

Sai maior do que entrou em 2015.

Férias

Faço uma pausa para descanso de leitores, ouvintes e telespectadores. Entro em férias, esperando retornar em fevereiro.

Obrigado e um ótimo 2016 para todos.

O blog retorna nesta segunda-feira
Rui diz que "Ministério da Saúde deu pedalada em Maceió"
Atualmente não há comentários.