Eu conversei, hoje, com o secretário da Fazenda, George Santoro, um dos nomes que deram muito certo na equipe do governador Renan Filho.

Indaguei a ele sobre a Lei Orçamentária do Anual, e depois de insistir na pergunta sobre a possibilidade de aprovação do projeto do governo até o final de dezembro, ele afirmou:

– Acho muito difícil. Acredito que deve ficar para 2016.

O problema, explicou o secretário, é que está sendo necessário fazer novos cálculos, principalmente para o AL Previdência, em fase de transição.

Desde novembro, segundo Santoro, já há uma migração dos aposentados de todos os poderes para o novo instituto de previdência, “o que está sendo feito de forma cautelosa”:

– Será a primeira vez que o AL Previdência entrará no orçamento do Estado. Isso nunca havia acontecido, e os cálculos são complicados. O pessoal está trabalhando bastante, mas não acredito que dê tempo para que os deputados apreciem e aprovem a LOA.

Este acidente de percurso suspende a sessão rolo compressor de segunda-feira?

De jeito nenhum.

O governo conta com o dinheiro de alguns projetos que estão na Casa de Tavares Bastos e os servidores da Educação não veem a hora de receber a parte que lhes cabe do Fundeb.

Santoro ressalta as vitórias do Estado junto ao governo federal, no que se refere a pendências, mas elas ainda não estão de todo resolvidas:

– Nós queremos acabar o ano com o nome limpo (do Estado).

JHC garante que Nivaldo Albuquerque não tem legitimidade para pedir a sua cassação
Pesquisa do DataRenan mantém Tarciso Freire na frente em Arapiraca
  • RENAN FILHO.

    O governador Renan Filho não parece preocupado com a crise da falta de água em Maceió, a parte da cidade que é abastecida pelo Sistema Pratagy, cujo rio do mesmo nome nasce em Messias e antes de chegar a ‘ETA – Estação de Tratamento de Água do Sistema Pratagy’ existe uma barragem de armazenamento de água com uma cota 25, ou seja, a referida tem um paredão com 25 metros de altura, que se observa até lanchas em cruzeiros de lazer. A ‘CASAL’ informa que não a construiu e muito menos administra a utilização da barragem no acumulo de água, e que segundo é utilizada para irrigação de canaviais. Tal procedimento leva a população de Maceió abastecida da água do Sistema Pratagy com escassez do precioso líquido H²O. Temos a certeza que o governador Renan Filho não sabe responder se é verdade tamanha aberração no desvio de água da população para irrigação. É bom que seja apurado a veracidade dos fatos.

  • JEu

    Será que vão incluir uma CPMF no orçamento do Estado, à exemplo do governo federal? Se isso acontecer será um Deus nos acuda danado, pois passaremos a pagar (novamente) imposto duplicado, como o caso dos impostos sobre a gasolina e o álcool hidratado…!!!!