Os senadores Biu de Lira e Renan Calheiros devem se unir contra a PEC, já aprovada na Câmara Federal, que permite que seja “retomado” o financiamento empresarial nas campanhas eleitorais.

De Lira acha que o tema já está vencido, depois da decisão do STF, na semana passada.

Calheiros reúne hoje os líderes dos partidos para ver a possibilidade de dar andamento à tramitação da matéria, com celeridade, no Senado.

Mas o líder do PMDB na Casa, Eunício de Oliveira, já disse que é contrário à matéria.

Secretários querem que Renan Filho dê mais dinheiro para a Saúde
CNJ julga hoje caso envolvendo desembargador Washington Luiz
  • Antonio

    Os nobres Senadores são mesmos uns falsos moralistas.

  • JOBSON, DO SINDIMETAL

    Ricardo, barrar a PEC das doações empresariais é corroborar com a louvável decisão do STF e, consequentemente, é contribuir para a moralização do processo político e eleitoral.

    Sem esse tipo de doações, legislativo, judiciário e executivo poderão ser, de fato, poderes independentes e institucional, e não empresariais. Além do que, isso poderá acabar com o roubo do dinheiro público.

    E tá na hora de dizer que os maiores responsáveis pelo roubo dos cofres públicos e pela existência de muitos políticos corruptos são muitos eleitores corruptos, já que são votantes que chantageiam e ameaçam derrotar o candidato que não roubar dinheiro no atacado para distribuir no varejo.

    Em pleno século 20, quando crianças manobram a internet de forma impressionante, não falta mais esclarecimento e politização aos eleitores. Em verdade, são adultos que causam o roubo ao erário, vendem o voto por dinheiro sujo e, com isso, terminam vendendo até a esperança e o futuro das crianças, inclusive de seus prosópios irmãos, filhos e netos.

  • Cláudio Adão

    Espero que acabe definitivamente o financiamento privado de campanha eleitoral.