Ainda que a situação de Alagoas seja melhor do que a Rio Grande do Sul ou de Sergipe, o secretário George Santoro, da Fazenda, fez uma declaração preocupante a O Globo:

— Acendeu a luz vermelha. Acumulamos algum caixa. Mas, se a situação piorar, não sei se vamos aguentar.

Conversei com o secretário Santoro na semana passada, e ele já demonstrava preocupação com a evolução dos acontecimentos desagradáveis: queda na atividade econômica, diminuição do FPE, aumento da despesa com pessoal e aproximação do limite do possível no crescimento da receita própria.

Então, ele me disse que só haveria complicações com o pagamento dos servidores “se tudo que foi planejado der errado”.

Tudo bem, mas e o resto?

O governo do Estado economiza em custeio, contratos, algum corte de pessoal – simbólico -, mas não consegue apresentar nada que dê uma cara diferente, para melhor, à gestão de Renan Filho.

Parece que também está chegando ao limite nos cortes – não oficializados – na Saúde, na Educação, sem falar nas áreas com menos visibilidade.

(Até agora, nem a “sopa do Joaquim Brito” foi servida, para dizer o mínimo).

É saber qual a cor do semáforo à frente do governo Renan Filho.

Eduardo Cunha é o maior aliado de Renan Calheiros hoje
À luz da chuva
  • wal

    Ele só esqueceu de falar sobre os valores, que a cambada rouba; falo de boas parte dos políticos alagoanos,dos rombos nos cofres ´públicos, a não ser que não seja contabilizado por despesas…

  • Romeu Soares

    Tem que cortar o supérfluo e administrar o essencial, bem assim como reduzir certos investimentos que não há retorno a curto prazo.
    Um pouquinho de administração sem gastança.
    Isso vale par todos os Poderes e órgãos do Estado.

  • Decepcionado

    BLA´BLÁ,BLÁ,BLÁ, ESSA É A MESMA CONVERSA É SIMPLES SO É DIMINUIR AS SECRETÁRIA E TIRAR OS CARGOS COMISSIONADOS OS PELEGOS E PRONTO TÁ RESOLVIDO A SITUAÇÃO.

  • Haroldo

    Na Europa não existe um país que gaste tanto com o Poder Judiciário, Ministério Publico e Tribunal de Contas em proporções, como gasta sozinho o Estado de Alagoas. É verdade pesquisem e confiram então não está faltando dinheiro, é só investir na produção !!!

  • Andre

    É só cortar os cargos comissionados e está tudo resolvido. Supondo que um servidor ganhe 3 mil reais, 1% é igual a 30 reais. Vai quebrar onde os cofres

  • Claudio

    Governo da Pata Manca está descendo a ladeira numa velocidade que a maioria não percebeu ainda, a crise politica que muitos acha muito grave, nesse monento é cafe pequeno para a crise econômica que estamos indo, pois resultara na insolvencia dos Estados e Municipios, pena que os Administradores so percebem quando o FPE e FPM caem, vejamos os dados de hoje:
    Dolar subindo 2%
    Petrobras caindo 8%
    Divida Interna subiu de junho para julho 13 Bilhões de juros (DPMFi)
    Previsão Recessão para 2016 cada dia pior, segundo BACEN
    Dividas vinculadas ao Dolar do Governo Federal, Estadual, Municipal e de Empresas Privadas explodindo.
    Gastos do Governo subindo sem parar, e arrecadacão caindo mês a mês.
    Resumindo a crise economica será muito mais devastora do que a crise politica, pq essa vai em cheio atingir o bolso.

  • Toninho Cruz

    O ‘Governo do Faz-De-Contas” está posto.
    Faz de conta que não tem dinheiro.
    Faz de conta que atende gente no HGE.
    Faz de conta que existe professor nas belas escolas instegrais.

  • carlos

    Luz vemelha seletiva só tem um foco o servidor público.Quero Vê essa luz atingir o poder Judiciário,Legislativo e o Tribunal de Contas.Se lá chegar toco fogo nos meus testículos!!

  • Sergio Oliveira

    Espero que o governo faça sua autocrítica, principalmente com o que falava, falou ou fala do governo Téo Vilela. Todas as poucas “realizações e inaugurações”, são do governo passado. Vejam aquela propaganda da distribuição das sementes para os agricultores não tem a menor criatividade. Devia se chamar “Mais Sementes”. Daqui uns dias vem o “Mais Leite”. Tudo é do governo Téo Vilela. Acorda governo! Com todo o respeito.

  • Há Lagoas

    Ele não deve agradecer apenas ao seu mestre e tutor Joaquim Levy, mas a mandatária do palácio do Planalto!
    Vivamos os dissabores da republiqueta do PT, afinal, elegemos democraticamente a cria do Sr. Molusco.

  • Vivo

    Alagoas hoje paga pela falta de visão de anos anteriores e quando digo anos, não me refiro a um passado mais recente.

    Desde quando ainda nos governos Suruagy, lá atrás se optou por uma monocultura de cana de açúcar, mantendo-se os padrões ainda do tempo do Império, nós assinamos a falência do Estado.

    Usinas faliram em razão de má gestão e de não se haver preparado sucessores capazes de tocar o barco. Não se procurou nenhuma alternativa econômica e quando veio o pólo cloro químico, não se teve competência de captar novas indústrias para compô-lo e dar aquele impulso que se necessitava.

    Voltamos à capitania hereditária, da monocultura, de novo e não se acompanham as tendências da região.

    Me lembro que o Valor Econômico, em determinada oportunidade, disse que Alagoas era uma ilha de não desenvolvimento, numa região que dava sinais de ir em outra direção.

    Aliado a uma cultura de ‘trabalhar no Estado para se ter estabilidade’, a própria geração que veio surgindo não abre os olhos e se acomoda nas campanhas políticas com o objetivo de ter ‘cargo em comissão’ no governo que se inicia ou é mantido.

    Vocês querem o que?

    De onde somente se tira e não se põe, impossível não sentir-se a falta, exceto RF achasse uma cornucópia ou botija, que emanasse ouro de forma incessante e não faltassem recursos ao governo.

    Mas ficar na dependência que papai faça a Tia Doida Dilma soltar grana para o Estado, vai fazer o que está ruim ficar pior.

    A saída sempre foi desenvolvimento, geração de emprego através de investimentos de grande porte da iniciativa privada, mas como se contentaram com as fábricas mequetrefes trazidas para o polo industrial, agora é o famoso ‘tome’.

    E menos ainda em período de aperto econômico financeiro … de novo e redundando: é tome mesmo e não tem por onde.

    Lamento profundamente.

  • carlos

    Luz vermelha, seletiva só atinge o servidor público.Quero vê esta luz vermelha chegar no poder Legislativo,Judiciário e no Tribunal de Contas.Sem cortar nada kkkkk.

  • SEBASTIÃO IGUATEMYR CADENA CORDEIRO

    E DESDE QUANDO TROCARAM A LUZ VERMELHA DOS BORDÉIS DE BEIRA DE ESTRADA !? ÔMI !

  • Carlos

    O problema já vem desde que se gasta milhões para se eleger. Quero saber quem trabalha de graça ? Esse dinheiro gasto fica por esquecido ? Lógico que não .. De todos os lados raspam uma fatia. O povo se lasca mas eles não .

  • SEVERINO FEIJÓ DE MENDONÇA

    ALAGOAS É UM ESTADO QUE NÃO APRESENTA RENDA, UMA VEZ QUE A SONEGAÇÃO DE IMPOSTOS É MUITO ALTA,MAS TODOS OS POLÍTICOS QUEREM MESMO ASSIM SER GOVERNADOR.

  • FRED

    SE ACENDEU VAMOS APAGAR, OU PAGAR. MEU CARO RICARDO, VOÇE QUE É UM JORNALISTA COM CURSO DE TERCEIRO GRAU, MIM RESPONDA POR QUE O SENHOR SECRETARIO NÃO BOTA NA MIDIA LOCAL PARA QUE O POVO PECA A NOTA FISCAL, MIM DIGA POR QUE NÃO FAZ ISSO COM MAXIMA URGENCIA PARA AUMENTAR A NOSSA ARRECADAÇÃO. POR FAVOR PERGUNTE A ELE.

  • ferreira

    Ricardo; Não podemos esquecer, que a forma de cortar custos da Secretaria de Ressorcialização, capitaneada por dois incompetentes no assunto, vê-se que são pessoas que não têem o menor conhecimento na área de ressorcilização, quando detonaram gratificações de quem realmente toca o Sistema Prisiona.

  • Antonio de Pádua

    Caro Ricardo,Só faltam dizer agora que a culpa do Estado está entrando em dificuldades financeiras para saldar seus
    compromissos é do SENADOR COLLOR.