Pode ser qualquer unidade da Federação: estados e municípios estão quebrados ou quebrando, principalmente os mais pobres.

A situação do Rio Grande do Sul deve servir de alerta para Brasília, que está apertando o laço no pescoço de governadores e prefeitos de todo o país.

O ajuste fiscal é o remédio que já virou veneno, menos para o autor da obra, encomendada pelo Palácio do Planalto (“Vamoss pashar esha fage”, diria Levy).

A desaceleração da economia, com todas as suas consequências, já faz estragos de Norte a Sul, de Leste a Oeste: ninguém escapa, nem mesmo as economias mais poderosas do Brasil – que sofrem menos, mas sofrem também.

A questão ganha maior dimensão em um país cujos serviços públicos, com raras exceções, são de dar vergonha a quem ainda tem vergonha.

O governo do Rio Grande do Sul reclama da transferência mensal dos cofres estaduais para a União, em pagamento dos juros da dívida.

E Alagoas?

São mais de R$ 60 milhões, hoje, que ficam em Brasília, na ação de agiotagem explícita adotada pelo governo federal.

Se haverá o efeito dominó, só o tempo – pouco tempo, ressalte-se – dirá.

Mas o que já está ruim pode ficar muito pior.

 

Cortar ministérios atende a Renan e Cunha, mas não ao país
VLT de Luxo na Assembleia visa reeleição da atual Mesa Diretora
  • Francisco Gusmão

    Amigo Ricardo não se compara a economia do rio grande do sul que está em queda a vários anos com a de Alagoas que sofreu durante os 8 anos de vilela,lula e Dilma um ajuste fiscal e investimentos. Em 8 anos de vilela o servidor público teve um aumento em média de 30% então foi viável o aumento nos últimos 4 anos. Prova que Alagoas já sofreu o que tinha que sofrer na gestão do lessa que nos 8 anos deu um aumento de pouco mais de 15%. Espero que reman filho cumpra a lei e reponha a inflação porque o estado tem condições sim, está provado e a arrecadação cresceu em 2015 quase 15% porque não pode dar 6% ao servidor que na verdade o impacto anual será de 3% pois será dividido até dezembro.

  • Romeu Soares

    Os Estados da Federação como uma residencia bem organizada. Planeja o essencial mensalmente e só gasta o necessário, esquecendo do supérfluo, Isto é, administra bem o que possui. Alguns Estados da Federação arrecada bem mas gasta desordenadamente sem limite, ou planeja para coisas desnecessárias, esquecendo o essencial.
    Às vêzes o Governador toma empréstimo para pagar, adentrando ao período de mandato do substituto, mas a legislação não impede tal situação e deixa o novo Governador engessado e sem perspectiva.
    Isso sim é que deve ser enfrentado.
    Os impostos pago pela população deve ser usado dentro das prioridades que todo cidadão sabe, bastando verificar as despesas mensais de sua casa e família.
    Pode acontecer em cada Estado o que ocorre no Rio Grande do Sul, mas observe o que realizaram com os recursos arrecadados e os débitos realizados sem lastro.
    Aí está a má administração.
    O político quer Governar e amanhã dizer que deixou a sua marca, o que não interessa, mas sim uma boa administração.
    A situação do Rio Grande do Sul não é um bom exemplo.
    ..

  • Decepcionado

    PARA NÃO ATRASAR OS SALÁRIOS DE FUNCIONÁRIOS É SIMPLES, SÓ É ACABAR COM ALGUMAS SECRETÁRIAS,TIRAR OS COMISSIONADOS DEIXAR DE DESVIAR DINHEIRO COM OBRAS INACABADAS, DEIXAR DE REPASSAR TANTA VERBA PARA OS TRES PODERES E POR FIM VAI TER SOBRA DE CAIXA PARA NÃO TER ATRASOS E AINDA VAI SOBRAR DIINHEIRO PARA INVESTIR NA SAÚDE,EDUCAÇÃO E SEGURANÇA E DEIXAR DESSE BLÁ,BLÁ,BLA.

  • BEL

    APOSTO QUE PARA OS PEQUENOS. !!!!!

  • carlos

    É bom, lembrar que o Rio Grande do Sul,vem sendo governado há anos pelo PT!!!!

  • Há Lagoas

    São tempos difíceis…
    E ao que parece, o Rio Grande não estará sozinho nesta “tragédia grega”!
    O mais lamentável nisto tudo é que a reforma do Pacto Federativo continua engavetado sobre os olhos atento do palácio do planalto. Mas, até quando?!
    Sei que meu argumento é risível, mas parece que a “corte” continua festejando entre seus comparsas enquanto Paris – digo Brasil – entra em convulsão socioeconômico…
    Foi assim que Luís XVI perdeu a cabeça, literalmente!

  • uajs

    O problema de Alagoas e de todo o Brasil e a mordomia dos políticos e dos seus apadrinhados.Aqui mesmo no estado é muita gente mamandos nas tetas do estado.

  • carlos

    Falando em crise RC,será hoje o dia D,para o servidor público com a decisão em reúnião com o poder judiciário….

  • Lúcio Oliveira

    É muito engraçado criticar o Governo Federal pelo pagamento de juros da dívida dos Estados que foram assumidas pela União, quando nenhuma instituição financeira disporia de encargos menores àqueles contratualizados com o Poder público federal. RS paga alto a conta, mas seria muito maior se o “papagaio” estivesse nas mãos dos banqueiros, ou de especuladores de títulos públicos, que se fossem negociados na época já circulariam com baixíssimo deságio. AL não sofre somente com esta retenção, a crise é crônica, e não é econômica, mas de credibilidade. Os governantes locais jamais passaram confiança ao mercado para captar recursos, e o histórico de governos corruptos e incompetentes afasta aprovação de projetos de infraestrutura bancados total ou parcialmente pela União. Além do mais, AL não possui quadros técnicos com gabarito para elaboração desses projetos. Resumo da ópera: contentemo-nos com o antiquado, inoperante e ineficiente setor sucroalcooleiro.

  • Deise Abranches

    Certamente, o que ocorre no RS criará uma espécie de jurisprudência nefasta acatada por muitos gestores estaduais. Ocorrendo aqui, o bicho vai pegar!!!

  • memoria

    O INSS tem a obrigação moral de avisar ao contribuinte que em10 anos todos estarão com a mesma aposentadoria. Então devemos pagar para um salário e fazermos uma complementar
    Como vimos o exemplo vem de cima. É claro que todos os estados estão quebrados.

  • Carlos Eduardo Miranda

    Bom dia!
    Nosso país está quebrando ! Estamos pagando a conta pela gatunagem nestes 12 anos de gestão petista. A presidenta incompetente e vilã tanto quantos os seus comparsas está apertando governadores e prefeitos para que estes apertem os cintos arroxando os salários dos servidores. Só que ninguém suporta mais pagar as farras milionárias destes gatunos. O povo e os servidores vão reagir, prescisam reagir.

  • Claudio

    Quando se fala que a divida interna da União esta em 3,538 Bilhões, e que essa divida esta sendo com o aumento da taxa selic para 14,25% a taxa de juros do Mundo, enquanto o Japão paga 0,25% e os EUA e Alemanha paga 0,5%. O governo federal gasta 3 vezes mais com os juros da divida do que o orcamento Ministerio da Saude. Por isso os Bancos estão cada vez mais rico.
    O que aconteceria com o Japão, EUA e Alemanha se pagasse juros igual ao Brasil ?
    O Governo está aumentando os juros para tirar dinheiro do mercado, consequencia vende menos, arrecada menos, Estados e Municipios Falidos, e a divida de União Estados e Municipio maior devido o aumento da selic.
    O Povo só acordar quando essa divida atinge os salarios, o emprego.
    O Povo Grego so foi a rua quando cortaram o salario e o desemprego atingiu a populacão, será que o povo brasileiro vai esperar como a Grecia fez !

  • João Bosco

    Não, Ricardo, o RS não se transformará em Alagoas porque o estado ainda tem um capital humano formidável – algo impensável para nós.

    De todo modo, o RS vem enfrentando uma lenta decadência econômica, uma perda de importância relativa na produção nacional. Ao contrário de Minas, do Paraná e até mesmo da Bahia – para quem perdeu a fábrica da Ford, no péssimo governo de Olívio Dutra (que também trouxe a aftosa de volta ao Rio Grande depois de 40 anos) -, os gaúchos não têm conseguido modernizar sua economia, ainda muito dependente do setor primário.

    A gestão pública e a política locais, ainda muito influenciadas, por um lado, pelas ideias brizolistas e, por outro pela esquerda do PT, também não ajudam. Depois do desastre de Olívio, e das tentativas fracassadas de ajuste da máquina tentadas por Rigotto (2003-2006) e Crusius (2007-2010), Tarso Genro (2011-2014), a quem você devota risível admiração, também viu que não adianta viver a vida para irresponsabilidade e foi vítima do próprio veneno. Perdeu sentado na cadeira a reeleição e, agora, como um Brizola redivivo, sonha em recomeçar a vida política no Rio de Janeiro.

    Se levar a Luciana, a filha, o Rio Grande terá aumentado suas chances de reencontrar o caminho do desenvolvimento.

  • MARCÍLIO TAVARES DA GUIA

    QUEM QUEBROU O RIO GRANDE DO SUL FOI O GOVERNO QUE ANTECEDEU O P.T, UMA MULHER DO PSDB QUE DEIXOU O ESTADO EM PETIÇÃO DE MISÉRIA.
    AQUI EM ALAGOAS BASTA CORTAR ALGUMAS EXTRAVAGÂNCIAS, QUE TEM E É MUITO, ORGANIZAR TUDO DE ACORDO COM A REALIDADE DO ESTADO, REALIDADE ESSA QUE ELES MESMOS PREGAM, QUE TUDO VAI DÁ CERTO
    MAS SE FICAR DIZENDO UA COISA PRO POVO E FAZENDO OUTRA, PERDOANDO VELHACOS, CONTRATANDO CARGOS COMISSIONADOS, E OUTRAS E OUTRAS DESPESAS, VAMOS NOS TORNAT UM HAITI.
    SERVIDORES PÚBLICOS SERO ESCRAVISADOS, ATADOS A GRILHÕES, SERÃO COAGIDOS, SURRADOS, PRESOS EM FAVELAS, SENZALAS URBANAS, O COMÉRCIO PERDERÁ VENDAS, E O CALOTE SERÁ GERAL.

  • Jorge

    Falta gestão! Excesso de politicamente!

  • DILMA + LEVY = ROMBO DE R$ 1,6 TRILHÃO.

    NINGUÉM GRITOU, MAS O ROMBO ESTÁ NO AUMENTO DE CÓDIGO ORÇAMENTÁRIO N° 25.000 – MINISTÉRIO DA FAZENDA, DE R$ 28,5 bilhões/2014 PARA NADA MAIS DO QUE R$ 1,633 TRILHÃO, R$ 1,633 TRILHÃO, R$ 1,633 TRILHÃO EM 2015, AUMENTO DE 5.700%, 5.700%, 5.700%. O QUE NÃO DEIXA DE SER UM ASSALTO CONTRA O POVO BRASILEIRO, OU NÃO? SÓ NO ATUAL EXERCÍCIO FISCAL ATÉ O DIA 31/07, O misterioso MINISTRO JOAQUIM LEVY ATRÁS OS BRASILEIROS JÁ GASTOU, TORROU O ABSURDO DE R$ 770,9 BILHÕES, SÓ R$ 770,9 BILHÕES, R$ 770,9 BILHÕES, MAS O DESGOVERNO DA NOSSA TERRORISTA DILMA RUIMSELFF NA MESMA DATA, GASTOU:
    R$ 5,3 bilhões – MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, MAS TORROU R$ 770,9 BILHÕES NO misterioso MINISTÉRIO DA FAZENDA!!!.
    R$ 58,7 bilhões – MINISTÉRIO DA SAÚDE, MAS TORROU R$ 770,9 BILHÕES NO misterioso MINISTÉRIO DA FAZENDA!!!
    R$ 59,4 bilhões – MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, MAS TORROU R$ 770,9 BILHÕES NO misterioso MINISTÉRIO DA FAZENDA!!!
    DIANTE DE TAMANHA GRAVIDADE, É CLARO O GOVERNAR DO PT DA TERRORISTA DILMA RUIMSELFF É SEM DIVISÃO EQUÂNIME DAS RIQUEZAS PRODUZIDAS E DA FALTA DE SERIEDADE NO TRATO DA COISA PÚBLICA, E DIANTE SÓ RESTA:
    FORA DILMA FORA DILMA FORA DILMA.
    IMPEACHMENT IMPEACHMENT IMPEACHMENT.
    INTERVENÇÃO INTERVENÇÃO INTERVENÇÃO.

  • Claudio

    A situacão pode ficar muito mais grave, basta cair a arrecadacão do ICMS e FPE, com os dados de nossa economia hoje não esta dificil as coisas continuarem piorando, a industria nacional so nesses 6 msese desse anos ja caiu 6,3%, e vem caindo a 5 anos a producao nacional.
    Com esse Ministro do FMI só Deus sabe onde vamos parar, ele consegue superar o famoso Antonio Delfim Netto.

  • DILMA + LEVY = ROMBO DE R$ 1,633 TRILHÃO

    ONDE NÃO LIA-SE NADA DE NADICA, NO FINAL, LEIA-SE:
    “P/ARABUTAN”.

  • Marcos Moreira

    Entre várias causas que quebraram a Grécia, o Rio Grande do Sul …desde má gestão, até corrupção, mas a maior se chama previdência, imagina gente com pouco mais de 40 anos aposentados, o correto seria todos depois dos 60. Dentro de 10 anos o governo federal quebra também se não houver uma reforma.

  • MARCÍLIO TAVARES DA GUIA

    PUBLIQUE SE PUDER!!!
    Já que o nosso querido governador Sr. Renan Filho, insiste em NÃO conceder um reajuste digno a uma das classes mais indispensáveis do mundo “OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO” vai aí uma dica importante e útil.
    Por que ele não reduz os salários dos secretários, cargos comissioandos e até os duodécimos repassados ás instituições, aos níveis dos salários dos PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO?

    Todos ficariam felizes, e todos poderiam ter até um reajustizinho a mais, os Professores que são úteis e indispensáveis á humanidade nem iriam questionar a sua superioridade como seres humanos na pestação de serviços primordiais, sem interesse próprio, nem nepotismo.

    Que tal? foi boa a ideia? Senhores internautas, por favor comentem essa postagem. Se ela realmente for publicada.

  • carlos

    Concordo Marcílio e a saúde.Agora cortar duodécimos dos poderes nem um acordo é possível essa turma que manda e muito não aceita essa proposta nem em sonho.Assembelia e o Tribunal de Contas.Fazem dessa sobra que é muita grana de rodoleiro a taturenagem…